terça-feira, 31 de março de 2015

MEDIUNIDADE - ESTUDO 11
Mediunidade e Animismo - O Espírito do médium introduzindo suas idéias nas mensagens de que se faz instrumento.
Em nosso estudo de número 8 - O Papel do Médium nas Comunicações (fev/02), percebemos que ao médium cabe o papel de "intérprete" do pensamento do Espírito. Se não compreender o alcance desse pensamento, não o poderá fazer com fidelidade. Se compreender o pensamento mas, por falta de simpatia ou outro motivo, não for passivo  (isto é, se misturar suas idéias próprias com as do Espírito comunicante), deformará o pensamento comunicado, o que evidencia a grande participação do Espírito do médium na comunicação que ocorre.
            O problema das interferências do médium na comunicação não passou despercebido a Kardec que, ao questionar os Espíritos orientadores da Codificação, deles obteve a confirmação do fato ( O Livro dos Médiuns, Cap. XIX O Papel dos Médiuns nas Comunicações, Influência do Espírito do Médium item 223)
            Assim, no exercício mediúnico, o animismo se revela sob dois aspectos distintos:
O Espírito do médium se comunicando - animismo clássico pesquisado por Aksakof, Bozzano e outros, aspecto estudado em março/02, e,
2. Espírito do médium introduzindo suas idéias nas mensagens de que se faz instrumento.
            Ao estudarmos o item 2 , identificamos as manifestações mistas, ou parcialmente anímicas, em que o médium, não conseguindo apassivar-se totalmente, introduz inconscientemente suas próprias idéias, clichês mentais e automatismos da personalidade, insistindo num tipo particular de manifestação, podendo ocorrer na vidência, psicografia, psicofonia etc.
            Uma das causa principais deste problema é a falta de afinidade entre o médium e o Espírito, o que se caracteriza, do ponto de vista vibratório, por divergências constitucionais que dificultam as ligações fluídicas indispensáveis para que o fenômeno se processe com naturalidade. (Ver OLM, Cap. XIX item 223, q. 7 e 8).
            A simpatia de que falam os Espíritos não é um resultado somente de afinidades psicológicas ou afetivas, mas de peculiaridades da organização perispiritual que determinam a sintonia vibratória (capacidade de afinização) responsável pelo ocorrência do fenômeno mediúnico.
            Outras vezes o que se dá é um mecanismo de associação de idéias provocado por ação telepática. O pensamento do desencarnado, mal sintonizado pelo médium, apaga-se totalmente em sua mente, despertando idéias correlatas, parecidas ao acervo de suas experiências.
            No livro No Mundo Maior - F.C. Xavier/André Luiz, cap. 9, André Luiz relata o momento em que um médico no plano espiritual transmite ao médium escolhido, mensagem de estímulo a realização de um trabalho de assistência à saúde, na Terra . Enquanto isso, outros médiuns registram-lhe os pensamentos de forma indireta, decodificando-os, interpretando-os de modo particular por meio de associações anímicas peculiares às experiências de cada um. Um senhor recorda-se de comovente paisagem de hospital, outro relembra o exemplo de uma enfermeira bondosa que conhecera, um terceiro abrigou pensamentos de simpatia para com os doentes desamparados. Se qualquer dessas pessoas, supondo estar mediunizada, externasse essas idéias como se fossem comunicações, teríamos um exemplo peculiar de animismo por associação de idéias.
            As interferências anímicas podem ser provocadas ainda por interrupções intermitentes de sintonia: o médium começa a dar a comunicação, e de repente, perde a sintonia, e pode ceder à tentação de preencher as lacunas com pensamentos próprios, num mecanismo inconsciente de preservação de sua imagem. Algumas vezes, essas perdas de sintonia são provocadas pela ação de obsessores que querem inviabilizar o trabalho do médium.
            Para se compreender corretamente o problema do animismo relembremos o papel dos médiuns nas comunicações. Sabemos que ele é o intérprete da mensagem que chega. Ora, quem interpreta, vivencia, e não apenas repete, absorvendo em seu mundo íntimo a idéia, devolvendo-a com a vestimenta representada por seu estilo, vocabulário, emoções e acervo cultural.
            Quando o médium é limitado no conhecimento e menos evoluído do que o Espírito comunicante, não pode transmitir a mensagem, tal qual foi ideada, por falta de experiência vivencial e valor interno para interpretação adequada. Nesse caso, não há propriamente uma adulteração anímica, mas uma incapacidade técnica para a experiência. Estudemos com André Luiz, no exemplo citado acima, a análise que o Instrutor Espiritual, Calderaro, faz: "..."Nosso amigo médico não encontra na organização psicofísica da médium os elementos afins perfeitos; nossa colaboradora não se liga a ele através de todos os centros perispirituais; não é capaz de elevar-se à mesma freqúência de vibração em que se acha o comunicante; não possui suficiente espaço interior para comungar-lhe as idéias e conhecimentos; não lhe absorve o entusiasmo total pela ciência... Eulália, a médium, manifesta, contudo, um grande poder, o da boa-vontade criadora, sem o qual é impossível o início da ascensão...".
   "Após essas explicações, vimos que a médium, apesar de suas limitações, conclui o seu trabalho, grafando o ditado psicográfico com razoável nitidez e com a precisão que lhe era possível. No final da reunião, sob a liderança do dirigente encarnado, os participantes se puseram a analisar a mensagem, concluindo que o seu conteúdo, conquanto edificante na essência, não apresentava índices evidentes de identificação do conhecido profissional da medicina, dada a falta de uma linguagem mais adequada, técnica e com características próprias de sua erudição. A tese animista foi ventilada sendo aceita pela maioria como tábua de salvação. Enquanto isso, na Espiritualidade, os Mentores lamentavam o erro crasso e a verbosidade intelectual daqueles colaboradores humanos, alimentados apenas superficialmente de ciência".
            Seja o episódio a expressão de uma experiência normal em que o médium simplesmente se desvela, a consequência de um trauma que eclode ou a inserção de expressões adulteradoras da mensagem dos Espíritos, ele haverá de ser um episódio esporádico e passageiro que cederá lugar ao exercício mediúnico normal, na medida que o médium adquire experiência e se esforça por superar as suas íntimas dificuldades.
            É comum, no início da educação mediúnica, quando os médiuns ainda não estão familiarizados com o processo das comunicações, que eles façam o conflito sem saberem determinar corretamente a fronteira entre o pensamento próprio e o dos comunicantes.
Ao mesmo tempo que exercita a faculdade, deve o médium educar-se moralmente, a fim de que os seus fatores de desajuste sejam superados antes que se convertam em viciações alienantes e caminhos de acesso para as obsessões.
            Para os dirigentes, a tarefa de acompanhar o desempenho dos médiuns e compreendê-los, requer apurado tato psicológico, um razoável conhecimento da natureza humana e particularmente de cada indivíduo com quem atua. E esse conhecimento só é possível quando o grupo convive, associam-se os seus membros para a tarefa do Bem. Somente assim alcança-se o que Kardec chamou de familiaridade, uma das condições evocadas por ele como indispensável ao processo do trabalho mediúnico.
            O animismo na mediunidade, como expressão de um desajuste psicológico, não resistirá a um esforço consciente de crescimento interior. Deverá constituir-se um capítulo inerente à inexperiência, uma sombra que a luz da boa-vontade desvanecerá. A sua repetição prolongada, todavia, pode refletir uma ferida mal drenada ou uma viciação mal conduzida, e o "médium", com a mente assim coagulada, pode estar precisando muito mais de um terapeuta da área do comportamento do que de exercício mediúnico.
            A questão do animismo na mediunidade não é, porém, obstáculo insuperável. É simplesmente um processo a ser vivenciado e ultrapassado, nem antes nem depois do tempo. Não é de responsabilidade exclusiva dos médiuns ostensivos, mas de toda a equipe, que se deve ajustar no trabalho abraçado sob a égide da fraternidade. O problema se dilui na cooperação e desaparece, quando a tarefa é executada com otimismo e alegria, realçando a boa-vontade de quantos aspiram compreender servindo.
Bibliografia
Kardec, Allan - O Livro dos Médiuns - Cap. XIX, q. 223, de 1 a 8, FEESP . 2ª ed. São Paulo, 1989
Neves, J.; Azevedo, G.; Calazans, N.; Ferraz, J. - "Vivência Mediúnica - Projeto Manoel P. de Miranda", Cap. 1 - Fenômenos, Cap 11- Do Anímico ao Mediúnico, LEAL. 1ª edição. Salvador/BA, 1994
Xavier, Francisco C. - pelo Espírito André Luiz, No Mundo Maior. Cap. 9 - Mediunidade, FEB, 11ª ed.1983

segunda-feira, 30 de março de 2015

QUEM É PAI JUVÊNCIO DA BAHIA? - ORIENTADOR ESPIRIT...

QUEM É PAI JUVÊNCIO DA BAHIA? - ORIENTADOR ESPIRIT...: LIÇÃO DE UM PRETO VELHO JUREMEIRO Pai Juvêncio da Bahia     "Filho meu, pé que dá fruta é o que mais leva pedrada. Nunca r...
MISTICISMO - CODIGOS DESPERTADOS
INICIAÇÃO –TEMPLO DE DELPHOS – SACERDOTISAS - DEUSA – SOL – SOM – DRUÍDAS – ATLÂNTIDA – CÁTAROS – MONSEGUR – PIRINEUS - CHAVES E CODIGOS – CRISTAIS - 7º. SOL - DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA DIVINA
por Judith Kusel
29 de março de 2015


"As derradeiras Portas de Entrada da Iluminação foram abertas nas duas últimas semanas.
Elas vão abrir imensas aberturas internas e portais no interior de quem é chamado a levar a humanidade através Delas, como uma onda maciça de energias surgindo através de fogos de Iluminação.

Que aqueles que têm ouvidos - ouçam.
Que aqueles que têm olhos - vejam.
Que aqueles que precisam sair - saiam.
Que aqueles que precisam vir- venham.
Chegou a hora."

Os mais elevados caminhos do Misticismo têm a ver com a preparação para mergulhar cada vez mais fundo nas profundezas do Ser - esse estado de Ser que é o Reino Desconhecido Inesgotável e Infinito dos Deuses e Deusas - o Mistério da Vida e da Força da Vida em si.

Aprofunda na consciência cósmica, que é sublime e que é a própria força criativa que está dentro de todos os seres e de tudo o que já foi criado sob o Cósmico Sol Central.

É a mais alta vocação do Estado Iluminado.
É preciso empenho total e dedicação a este caminho.
É o caminho mais elevado de pureza suprema e vai exigir Totalidade.

Segundo o dicionário Oxford um místico é uma pessoa que dedica seu tempo ao pensamento profundo a fim de tornar-se mais perto de Deus e alcançar verdades além da compreensão humana. Sua raiz é a palavra grega "mustes" - pessoa iniciada.

O misticismo é então caminho do supremo Iluminismo e não é por acaso que o herdamos da palavra grega, os Gregos sempre tiveram um grande respeito por aqueles que buscavam o último estado do Ser.

Nos últimos anos tenho sido levada de volta para Delphos em minha própria pesquisa, como a tentativa de vincular os Cátaros, minhas próprias conclusões; e retornando à Deusa, com a minha própria emergente elevada imagem da verdadeira história do planeta e dos Super Campos de energia - consciente.

Neste estágio personagens interessantes começaram a surgir a partir dos Pirineus, muito mais antigas do que as pesquisas com os Cátaros e a compreensão nasceu sobre o que eles sabiam, ou de que o praticado era algo mais antigo e rico em tradições ancestrais do próprio misticismo.

Curiosamente, a grande fortaleza de Monsegur, o último reduto dos Cátaros, era um Templo dedicado a Artemis, como Templo da Lua, enquanto mais ao lado estava o Templo do Sol, dedicado a outro: a chama gêmea de Artemis - Apollo.

Foi através de Apollo que a lira, instrumento tocado pelos Trovadores, surgiu como um presente para os nobres da região, porque Apollo é o guardião das frequências vibratórias do SOM.

Isso se move mais longe para ninguém menos que Pitágoras, que teve sua formação como Sumo Sacerdote Druída nos Pirineus e, em seguida, passou para os Templos em Delphos.

Mais interessante é que, posteriormente, os Visigodos dos Pirineus cercaram os Templos de Delfos, onde um grande tesouro estava abrigado. E aconteceu que eles conseguiram ter acesso aos redutos desses Templos e, em seguida, levaram o tesouro.

No entanto, uma grande praga ocorreu e as pessoas morriam como moscas. Foi então que os Druídas descobriram que isso estava ligado ao tesouro e, então, todo este tesouro foi jogado em um dos lagos nos Altos Pirineus.

Os Druídas vedaram toda a área e curiosamente nada cresce lá.
Os Cátaros também têm sido associados com o tesouro - um tesouro perdido.

Em essência Delphos possuía as chaves para o Misticismo e as Antigas Escolas de Mistério dos gregos que foram ligadas às do Egito, Haran e, depois, também às do Himalaia. E, então, as escolas foram sempre para fora dos limites para atingir os que estavam distantes desses ensinamentos internos, principalmente por causa das vias superiores rigorosas do próprio misticismo.

Não foi por acaso que o mundialmente famoso Oráculo de Delfos fazia parte da Escola de Mistérios Antiga de lá.

Isso retroage para Atlântida e até antes, para as Superiores Sacerdotisas que eram altamente treinadas como canais TRANSMISSORES e tinham a capacidade de explorar os campos de energia da Super Consciência e transmitir a informação diretamente da Fonte Divina.

Elas agiram então como Oráculos para o povo - mas só depois que foram cuidadosamente selecionadas para esta tarefa e passarem por imensas e intensas Iniciações para os caminhos mais elevados do Misticismo.

Mais tarde na Grécia, a humanidade começou a esquecer e o papel da Alta Sacerdotisa ficou enfraquecido assim que a dominação masculina assumiu.

No entanto, essas Sacerdotisas também foram altamente treinadas no uso do Som para elevada cura com cristais – muito mais do que aquela que a Grande Sacerdotisa do Templo da Chama Branca realizou sustentando toda a rede de energia do 7º Sol Central sob a sua jurisdição e que ela poderia ativar à vontade. Ela agiu como Guardiã e Mantenedora desta rede e sustentou todas as chaves de cristal e códigos.

As Sacerdotisas também registraram informações gravadas em cristais durante a Atlântida, em seguida foram levados ao subsolo, a fim de preservar os seus conhecimentos - o conhecimento da Deusa, o conhecimento da Alta Sacerdotisa como o caminho feminino do Misticismo.

Os próprios Cátaros tinham dois ramos distintos: eles tinham o ramo mais baixo, que era o homem comum ou mulheres, e o elevado e perfeito treinamento, (e que na maior parte, registrado pela Inquisição, nunca ganhou acesso aos verdadeiros ensinamentos dos Cátaros, apesar de queimar milhares em estacas e torturá-los até a morte), mas outra parte destes, a camada superior, foi cuidadosamente treinada nos velhos caminhos da Deusa do Misticismo e, com ela, à elevada compreensão do Ensinamento do Sol.

O Sol como a via mais elevada de Iluminação

Isso ligado aos antigos ensinamentos dos Druídas, e ainda mais antigo do que isso - diretamente conectado com os Antigos - os ocultos povos que vivem no subsolo.

Monsegur em si é um Portal para este mundo subterrâneo - os Antigos nunca deixaram o planeta a partir da primeira civilização e Eles agem como elevados professores, mentores e guias.
Nota: Lemurianos

Os Cátaros entenderam que as maiores vias de iluminação foram os caminhos do Misticismo e, portanto, a pessoa tinha que passar por iniciações nos planos interno e externo.

Muito disso nunca foi entendido, ou mal interpretado - em essência, não é por acaso que os Cátaros eram também conhecidos como Os Puros. Pelos ritos interiores de Pureza exigido.

Na medida em que as vias superiores para o Misticismo sempre foram sustentadas pelas Escolas de Mistérios Antigos, agora é um fato que as Portas de Entrada abriram-se para aquelas almas chamadas para esses caminhos mais elevados, e que agora vão começar a seguir juntas.

Elas sabem quem são.

Elas virão juntas do leste, oeste, norte e alma, e elas serão o fogo da iluminação que deve iluminar a terra.

Elas são almas antigas e foram envolvidas com a co-criação deste planeta desde o início. Elas encarnaram novamente para provocar mudanças de consciência imensas na humanidade e ascender a humanidade, através das Oitavas de Ser, para um estado de consciência superior.

Dentro de suas próprias almas estão codificadas e consagradas todas as chaves e códigos para a verdadeira iluminação e todos estão agora sendo ativados com o retorno do 7º Sol da 7º Galáxia e os elevados códigos de 777.

Está na hora.

As Portas de Entrada finais da Iluminação foram abertas nas duas últimas semanas.

Elas vão abrir imensas aberturas internas e portais no interior de quem é chamado a levar a humanidade através Delas, como uma onda maciça de energias surgindo através de fogos de Iluminação.

"Que aqueles que têm ouvidos - ouçam.
Que aqueles que têm olhos - vejam.
Que aqueles que precisam sair - saiam.
Que aqueles que precisam vir- venham.
Chegou a hora."
Por favor, respeite os créditos ao compartilharhttp://stelalecocq.blogspot.com/2015/03/misticismo-codigos-despertados.html
por Judith Kusel – através de Uncategorizedleo-radiance-from-your-heart-holeman
http://www.judithkusel.com
https://judithkusel.wordpress.com/2015/03/29/mysticism-awakened-codes/
Tradução - Vilma Capuano - vilmacapuano@yahoo.com.br
Grata Vilma!

LUZ!
STELA

domingo, 29 de março de 2015

sábado, 28 de março de 2015

QUANDO OS ANJOS FALAM - DUBLADO- UMA LIÇÃO DE VIDA. FILME BELO

O ANJO - Filme completo

O que acontece depois do desencarne - Segundo o Espiritismo

O que acontece depois do desencarne - Segundo o Espiritismo

A Umbanda possui algum livro de codificação ou Bíblia?

O que significam os termos Pai de Santo e Mãe de Santo?

Trabalho, Despacho e Demanda são a mesma coisa?

O que são trabalhos de Direita e Esquerda na Umbanda ?

Qual a Diferença entre Umbanda, Kardecismo e Candomblé?

Por que devemos dar luz ao nosso Anjo da Guarda?

Toda a pessoa tem um Guia?

Exus são demônios? Por que eles Bebem e Xingam nos terreiros?

O que são e para que servem as Encruzilhadas na Umbanda?

Por que os pretos velhos usam charuto ou cachimbo? Eles são espíritos Vi...

Por que os pretos velhos usam charuto ou cachimbo? Eles são espíritos Vi...

Para que servem as Velas na Umbanda?

005 - Velas!!!

024 - Defumação

078 - Quiumba Fora do Terreiro

UMBANDA: o que são QUIUMBAS???

quarta-feira, 18 de março de 2015

Diálogo 123 - Exu Marabô [Lucas Silva] - DIÁLOGO COM OS ESPÍRITOS

Diálogo 46 - Entidade: EXU MARABÔ - Médium: Marcos José Felipe

PARTE 65 - EXU MIRIM - BRASINHA - [Rogério Akamatsu] - DIÁLOGO COM OS ES...

PARTE II: "DIÁLOGO COM OS ESPÍRITOS" [Caboclo Pena Branca]

Diálogo 01 - Entidade: Caboclo Pena Branca - Médium: Marcos José Felipe

O CAVALEIRO DA ESTRELA GUIA parte 2 Rubens Saraceni

Livro O Cavaleiro da Estrela Guia parte 1 Rubens Saraceni

Baluartes da Umbanda1.flv

080 - Homenagem a Saraceni e aos heróis da Umbanda

sexta-feira, 13 de março de 2015

Vídeo que fez o mundo inteiro se emocionar

E AINDA RECLAMA DA SUA VIDA!!

SUA VIDA TÁ DIFÍCIL??

Carta de Deus Para Você.

LIÇÃO DE VIDA

5 perguntas que podem mudar sua vida

Fernanda Montenegro - Sermos Quem Realmente Somos

Centro de Iluminação Nosso Lar: Música Cigana - Grupo Rorarni-Krallisa

Centro de Iluminação Nosso Lar: Música Cigana - Grupo Rorarni-Krallisa:

Centro de Iluminação Nosso Lar: Trabalho de Preto Velho

Centro de Iluminação Nosso Lar: Trabalho de Preto Velho:                                                                                                 Sexta - 13.03.2015 - 20:00 Com muit...

Existe uma TEOLOGIA de UMBANDA codificada???

terça-feira, 10 de março de 2015

Sete Linhas continuação.

Sete Linhas de Umbanda

ATENÇÃO! INCORPORAÇÃO

Ponto cantado de Pai Cipriano - No cantinho de Pai Cipriano, o caminho é...

CABOCLOS Y BOIADEIROS 23 PONTOS CON LETRA

O sofrimento é criação dos seres humanos, com a médium Isabel Salomão de...

Tira Dúvidas nº 09

079 - Senhor Maioral

O que representa os animais para cada um de nós ?????

O Livro dos Espíritos  (Allan Kardec)

                         OS ANIMAIS E O HOMEM

605. Considerando-se todos os pontos de contacto que existem entre o homem e os animais, não seria lícito pensar que o homem possui duas almas: a alma animal e a alma espírita e que, se esta última não existisse, só como o bruto poderia ele viver? Por outra: que o animal é um ser semelhante ao homem, tendo de menos a alma espírita? Dessa maneira de ver resultaria serem os bons e os maus instintos do homem efeito da predominância de uma ou outra dessas almas?
Não, o homem não tem duas almas. O corpo, porém, tem seus instintos, resultantes da sensação peculiar aos órgãos. Dupla, no homem, só é a natureza. Há nele a natureza animal e a natureza espiritual. Participa, pelo seu corpo, da natureza dos animais e de seus instintos. Por sua alma, participa da dos Espíritos.
a)  De modo que, além de suas próprias imperfeições de que cumpre ao Espírito despojar-se, tem ainda o homem que lutar contra a influência da matéria?
Quanto mais inferior é o Espírito, tanto mais apertados são os laços que o ligam à matéria. Não o vedes? O homem não tem duas almas; a alma é sempre única em cada ser. São distintas uma da outra a alma do animal e a do homem, a tal ponto que a de um não pode animar o corpo criado para o outro. Mas, conquanto não tenha alma animal, que, por suas paixões, o nivele aos animais, o homem tem o corpo que, às vezes, o rebaixa até ao nível deles, por isso que o corpo é um ser dotado de vitalidade e de instintos, porém ininteligentes estes e restritos ao cuidado que a sua conservação requer.
Encarnando no corpo do homem, o Espírito lhe traz o princípio intelectual e moral, que o torna superior aos animais. As duas naturezas nele existentes dão às suas paixões duas origens diferentes: umas provêm dos instintos da natureza animal, provindo as outras das impurezas do Espírito, de cuja encarnação é ele a imagem e que mais ou menos simpatiza com a grosseria dos apetites animais. Purificando-se, o Espírito se liberta pouco a pouco da influência da matéria. Sob essa influência, aproxima-se do bruto. Isento dela, eleva-se à sua verdadeira destinação.

"Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre, tal 頡 lei"
Allan Kardec.

UMBANDA: a vida "atrasa" se o médium não trabalhar?!?

UMBANDA: os Exus evoluem com os médiuns?!?

UMBANDA: Exu pode ser o Guia de Frente???

Guias Angélicos - "Sua realidade está mudando para um novo paradigma" - ...

Umbanda - Espada de Ogum: Faleceu Rubens Saraceni desencarnou

Umbanda - Espada de Ogum: Faleceu Rubens Saraceni desencarnou: Pai Leo das Pedreiras, Mestre Rubens Saraceni e Pai Emidio de Ogum Dia 09 de março de 2015, infelizmente desencarnou nosso grande U...

O ESPÍRITO, A CONSCIÊNCIA E OS SETE REINOS SAGRADOS

O ESPÍRITO, A CONSCIÊNCIA E OS SETE REINOS SAGRADOS

Aqueles que acompanham nossos estudos já conhecem o processo evolutivo através dos sete reinos sagrados, que chamamos no Núcleo Mata Verde de Arapé (O caminho da Luz).
Neste texto estaremos aprofundando nossos conhecimentos e esclarecendo alguns pormenores sobre o processo evolutivo do espírito.
Aqueles que ainda não conhecem a doutrina dos sete reinos sagrados, sugerimos que procurem fazer os cursos oferecidos pelo Núcleo Mata Verde; especialmente para aqueles irmãos que residem distantes de Santos/SP encontra-se disponível o módulo de ensino a distância –www.ead.mataverde.org  .
O espírito no momento de sua criação ainda não possui suas qualidades totalmente desenvolvidas e nesta fase inicial é chamado de MÔNADA ESPIRITUAL.
Durante sua caminhada evolutiva a mônada espiritual passa por quatro fases conhecidas como: ELEMENTAL, ELEMENTAR, ESPIRITUAL E ANGELICAL.
Recomendamos a leitura do texto “As quatro fases evolutivas e os sete reinos sagrados”  http://www.blog.mataverde.org/archives/1395 .
A mônada espiritual possui em seu íntimo, no momento de sua criação, todas as qualidades e capacidades divinas, mas que se encontram em estado latente.
Para que a mônada possa desenvolver estas qualidades ela passa a atuar sobre a matéria, através do CAMPO ESTRUTURAL.
O campo estrutural é definido na doutrina umbandista dos sete reinos sagrados, como um campo organizador da matéria.
Tudo o que conhecemos em nosso mundo material (energético) possui um campo organizador, também conhecido como CAMPO MORFOGENETICO que é alimentado pelas vibrações da(s) mônada(s).
Logo no momento de sua criação, a mônada se vincula a forças espirituais e campos estruturais, e passa a atuar sobre a matéria.
Lembramos que tanto a mônada espiritual  assim como o campo estrutural existem na dimensão espiritual ou no ORUN.
O Campo Estrutural por suas características é o elo entre a MATÉRIA e o ESPÍRITO.
Na imagem abaixo podemos visualizar esta organização básica da matéria.
estrutura da materia
A mônada inicia sua jornada evolutiva pelo primeiro reino, que é o reino do Fogo, seguindo pelos reinos da Terra, do Ar e da Água.
Nesta fase é denominada de ELEMENTAL.
Ao chegar no reino das matas, a mônada passa a atuar individualmente sobre as estruturas e recebe a denominação de ELEMENTAR, até atingir o reino da humanidade onde é  chamada finalmente de ESPÍRITO.
Na etapa final de seu processo evolutivo a mônada já EVOLUIDA, se liberta da matéria e passa atuar no sétimo e último reino, o Reino das Almas.
É no Reino das Almas que a Mônada, já liberta da matéria,  atinge seu ápice evolutivo e passa a atuar nas estruturas espirituais existentes no universo.
Esta fase é denominada de estado ANGELICAL.
Hoje queremos abordar a fase evolutiva que vai do estado ELEMENTAR até a fase ESPIRITUAL, onde todos nós se encontramos atualmente.
Observe a imagem abaixo:

consciencia
A imagem mostra a mesma estrutura que foi esquematizada na imagem anterior, somente apresenta maiores detalhes que iremos descrever em seguida.
Observe que a estrutura básica MÔNADA ESPIRITUAL, CAMPO ESTRUTURAL (CORPO ESPIRITUAL) E O CORPO MATERIAL continuam representados acima.
O campo estrutural ou campo mórfico é também chamado na doutrina dos sete reinos sagrados de CORPO ESPIRITUAL, ou PERISPIRITO como é conhecido pelos espíritas.
Mas na imagem acima incluímos outro item que é a CONSCIÊNCIA.
A consciência neste modelo gráfico se encontra entre a mônada espiritual e o corpo espiritual, significando que a consciência também é de natureza extra-física.
A consciência se desenvolve mediante a ação da mônada espiritual sobre a matéria, mas ela não é material e sim de natureza espiritual.
Sua existência se dá na dimensão espiritual, no ORUN.
A consciência é o que você é nesta vida e se altera em cada uma das suas encarnações, irá depender do meio social, do sexo, da época, da educação, dos recursos financeiros, das relações sociais, dos compromissos de vidas anteriores, da cultura recebida durante a encarnação etc…
A consciência possui uma memória, que denominamos de memória temporária, ela tem em sua memória os acontecimentos que vivenciou na encarnação presente, e raramente consegue acessar a memória permanente que reside na sua essência espiritual (Mônada Espiritual) onde é mantida toda a informação sobre seu passado evolutivo.
Podemos afirmar que grande parte da sua natureza foi desenvolvida mediante as informações recebidas pelos cinco órgãos do sentido, restando uma pequena parcela de informações que foram recebidas da mônada espiritual e que fazem parte do seu passado espiritual em todas as demais encarnações.
Podemos dizer que no dia a dia somos a nossa consciência e como vivemos muito apegados aos sentidos da matéria raramente conseguimos acessar a nossa essência espiritual que possui conhecimento e qualidades maravilhosas.
Para facilitar o entendimento elaboramos outra imagem que simplifica este assunto:

estrutura_circular
Todos nós possuímos uma essência espiritual que possui uma memória onde está guardada todas as nossas encarnações, vivências e conhecimentos adquiridos em outras vidas.
Esta essência também possui, ainda em estado latente, qualidades maravilhosas que ainda não conseguimos desenvolver.
Cada um de nós tem a possibilidade de acessar esta fonte maravilhosa de informações e poder, basta buscar este universo interior.
Infelizmente a consciência, por ser fruto de cada vida material, é a fonte de muitos  sofrimentos e doenças.
É uma ilusão, pois em cada uma de nossas vidas ela assume características e qualidades diferentes.
Em outro texto continuaremos a desenvolver este assunto.
Abraços,

São Vicente, 09/03/2015

Manoel Lopes

Você pratica uma boa Umbanda?

Você pratica uma boa Umbanda?: Responda a essas perguntas com sinceridade e saberá se você pratica uma “boa Umbanda”. Lembre-se que nenhum de nós é perfeito, mas trilha...

SERÁ QUE TENHO CURA? UM CAUSO DE CONVERSA DE TERRE...

SERÁ QUE TENHO CURA? UM CAUSO DE CONVERSA DE TERRE...: http://livrariadotriangulo.com/        Era noite de Caboclos.        O que significa que a sessão de caridade estaria ocorr...

terça-feira, 3 de março de 2015

ENQUETE: Mulheres na Umbanda! - Umbanda, eu curto!

ENQUETE: Mulheres na Umbanda! - Umbanda, eu curto!

DEPRESSÃO ??????

           ABAIXO A DEPRESSÃO

Richard Simonetti


Santa Simplicidade
O condenado foi conduzido ao local onde arderia em chamas, uma das mais cruéis formas de execução adotadas pelos tribunais inquisitoriais, na Idade Média.
Nas proximidades, observou, admirado, a iniciativa de uma senhora. 
Recolhia gravetos secos e os juntava à lenha que seria usada, a fim de facilitar a combustão.
Não se contendo, exclamou:
- O santa simplicidade!
Essa observação é atribuída a João Huss (1369-1415), célebre teólogo e sacerdote tcheco, precursor da Reforma Protestante, injustamente condenado à fogueira por atrever-se a contestar determinados dogmas, claramente incompatíveis com a mensagem evangélica.
Admirável a sua coragem. 

Enfrentou com serenidade as chamas, não se furtando ao comentário espirituoso.
Diga-se de passagem: deram-lhe uma última oportunidade para salvar-se da fogueira, renegando suas idéias, ao que redarguiu:

- Deus sabe que nunca ensinei ou preguei o que me tem sido atribuído por falsas testemunhas. 

Tenho desejado apenas uma coisa - a conversão dos homens. 

Nesta verdade do Evangelho, que tenho transmitido, quero alegremente morrer.

E deixou-se queimar, entoando cânticos de louvor a Jesus.
Postura típica dos grandes missionários. 

Convictos das idéias que defendem, situam-se acima das limitações de seu tempo e enfrentam o establishment sem temores ou dúvidas, dispostos ao sacrifício da própria vida, a fim de manter fidelidade aos seus princípios.
Como ocorreu com o próprio Cristo, o martírio desses heróis dispara reações em cadeia que culminam com avanços significativos em favor do progresso humano.
O aspecto curioso para o qual chamo sua atenção, amigo leitor, é a iniciativa daquela mulher.
Julgava, em santa simplicidade, como destaca o mártir, cumprir piedoso dever.
Literalmente, pôs-se a jogar lenha na fogueira.
Essa expressão define uma iniciativa freqüente das pessoas, envolvendo palavras e atitudes que tendem a agravar situações complicadas.
Há uma diferença significativa:
Raramente têm a marca da inocência.
Exprimem pura maldade, em expressões assim:
Tem razão em desconfiar de seu marido. 

Eu o vi conversando com uma loira, em atitude suspeita!
Sua antipatia por aquele indivíduo é justificável. 

Noutro dia falou mal de você!
Fez bem em afastar-se daquelas pessoas. 

São expoentes da hipocrisia!
Só você mesmo, para tolerar as impertinências desse seu amigo.
É um neurótico!
Suas informações sobre nosso chefe são fichinha. .. Sei Se fosse comigo procurava a polícia. 

Botaria na cadeia esse mau-caráter que o prejudicou!
Não faça acordo nenhum. Cobre seus direitos, tintim por tintim!
Jesus exalta como bem-aventurados os pacificadores, em O Sermão da Montanha.
Informa que serão chamados Filhos de Deus.
Todos somos frutos do amor divino, mas, para que nos habilitemos à condição de herdeiros dos patrimônios celestes, é fundamental que nos disponhamos a trabalhar com o Criador pela pacificação dos homens.
Se fizermos o contrário, não teremos nem mesmo o benefício da "simplicidade" para justificar nossas ações. 

Em dois mil anos de Cristianismo, estamos todos perfeitamente conscientes de que não devemos jogar lenha ou, mais modernamente, gasolina, na fogueira das dissensões humanas.


"Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre, tal 頡 lei"
Allan Kardec.

domingo, 1 de março de 2015

Estudo da Umbanda - Gratuito.

Desenvolvimento Mediúnico !!!!!!

             DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO.



O desenvolvimento é a melhor fase do médium umbandista.


É o momento onde ele vive as primeiras experiências dentro 

da religião.


Conhece a vida em comunidade no terreiro, conhece 

pessoas, conhece seus guias e principalmente vive um 

exercício profundo de auto conhecimento. Porém valores 

como MORAL, RESPEITO ,SINCERIDADE, 

HONESTIDADE e CARIDADE devem ser trazidos de casa.

Não responsabilize seu DIRIGENTE ou o CORPO 

MEDIÚNICO de seu terreiro, se você se envolveu com 

FOFOCAS, INTRIGAS, MENTIRAS e PROBLEMAS 

MENORES.


Afinal EDUCAÇÃO se traz de CASA.

UMBANDA RIO.

Proibido cruzar braços ou pernas!?!?

 Proibido cruzar braços ou pernas!?!?:      

Tem fundamento a proibição de se cruzar os braços ou pernas nos terreiros? Isto pode ser uma superstição?         Se tal prática ...

Os Guias Reencarnam?