quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Centro de Iluminação Nosso Lar: Trabalho de Prosperidade (Exu e Pomba-Gira)

Centro de Iluminação Nosso Lar: Trabalho de Prosperidade (Exu e Pomba-Gira): Sexta - 29.01.2016 - 20:00 Trabalho com guardiões (Exu) e as guardiãs (Pomba-Gira), voltado para firmar a nossa proteção contra as vi...

O ATO DE RESPEITAR E DE SE DAR AO RESPEITO.

83f274393f57ba175e8213a965a0066dA palavra respeito, vem do ato de se respeitar alguém ou alguma coisa ou situação, vem de deferência, reverência, consideração.
Vamos analisar com bastante calma essa questão, deferência – respeito, consideração, o respeitar uma pessoa mais velha, o dar atenção. Ser complacente, condescendente.
Antigamente você chegava num terreiro, você via o respeito dos mais novos com os mais velhos, onde os mais novos antes de mais nada pediam a benção para os mais velhos. Hoje o ato de trocar benção parece que virou algo depreciativo, mas lhes digo é melhor um Deus te abençoe do que um diabo que te carregue. Fica a Dica.
Mesmo entre os guias, havia essa postura de reverência ao guia chefe da casa, respeito atribuído por ser ele o cacique daquela ordem, a ordenança.
“… a mais meu guia é a Jurema rainha das matas, ela é superior a Cabocla Lua…”
No mundo dos espíritos há respeito e não títulos de um sobrepujar o outro, o humilhando ou se sentindo superior.  A Jurema rainha das matas em um outro terreiro poderá ser a cacique da casa, mas ali ela não é, então ela com certeza irá demonstrar respeito e consideração para o guia chefe da casa, isso é claro quando ali estiver um guia de verdade e não um médium se sentindo depreciado.
Até mesmo na hora da chamada, costuma-se esperar o guia chefe chegar para que os demais começassem a incorporar em seus médiuns, em muitas casas inclusive, recebia os filhos mais velhos e depois os mais novos. E na hora da desincorporação, de ir embora, era o contrário, os guias e as entidades dos guias mais novos desincorporavam primeiro e assim sucessivamente, os guias chefes são os últimos a irem.
Inclusive isso eu aprendi com dirigenteS mais velhos, que se um guia se manifesta antes do guia chefe da casa ele tem por obrigação e dever de se explicar dos porquês de tal situação, pode acontecer de um guia de outro médium descer em terra antes do guia chefe da casa, pode, mas com certeza terá um porque com uma explicação aceitável. Muitas vezes aquele guia está vindo justamente por ter recebido a ordenança do chefe da casa.
As vezes até vemos médiuns novos que ainda não tem uma doutrina e disciplina, ou controle adequado, nessas situações, mas cabe o dirigente dar o suporte adequado e as devidas orientações.
Era muito comum quando se chegava um dirigente mais velho que o dirigente da casa, por respeito, lhe ser apresentado a BANDEJA ( que poderá ter alguns itens ex. o giz de pemba, o pó de pemba, uma bebida, toalha, ou outros itens de acordo com a tradição e raiz daquela casa) que havia nela alguns itens onde o dirigente visitante deverá saber perfeitamente o que deve fazer com eles,  já em algumas outras Umbandas o dirigente da casa, retira sua toalha e oferece ao visitante se ele colocar no pescoço, a partir dali ele estará assumindo os trabalhos, caso contrário se ele pegar a toalha, dar um beijo nela e erguê-la, mostrando ela a todos presentes como num gesto de respeito e devolver, ele está agradecendo a consideração, mas não irá assumir os trabalhos, ele simplesmente irá agradecer. Só uma dica, certifique-se que o dirigente saiba da tradição da BANDEJA, porque se ele não souber o que fazer com os itens, ficará uma situação bem constrangedora. Existe todo um significado neste rito.
Na Umbanda quando um dirigente nos visita, e ele é apresentado aos filhos de santo da casa, os médiuns tem por obrigação prestar seu respeito ao mesmo, para que seu dirigente não passe vergonha com a falta de educação. Mas os dirigentes visitantes devem também se darem ao respeito e respeitarem também os filhos de santo, um dos principais atritos já vistos, é que alguns visitantes começam a tratar os médiuns da casa, como se fossem seus, mas de uma forma depreciativa, humilhante, até os escravizando a fazer tudo que queiram, na realidade fazem deles empregados, isso é lamentável. Eu particularmente jamais admitiria que um visitante em minha casa, desfizesse de um filho de santo meu, faltando com respeito ao mesmo. Meu lado materno com certeza sabe muito bem como reagir nessas horas.
Como se diz educação vem de berço.
Muitas vezes vem um dirigente em nossa casa, ele pede que não seja anunciado por algumas questões, mas o dirigente por sua vez,  deve avisar aos filhos que tem  um dirigente na casa, até mesmo para que os filhos lhe preste as devidas atenções e não cometam gafes.
Se um dirigente vem a sua casa e pede um copo de água, ele não deverá ser servido já cheio o copo, deverá ser trazido numa bandeja, uma jarra com água, um copo vazio, onde o mesmo será servido na FRENTE DO MESMO, alguns dirigentes digamos mais “cismados” não gostam de tomar água já servida no copo, alguns nem gostam de comer em casa alheia, porque infelizmente já se teve notícias de muitos feitiços, colocação de pós dentro de alimentos e água, e como já diziam, as piores traições são de conhecidos. Esse gesto mostra que a casa é transparente e confiável.
Infelizmente há no nosso meio algumas pessoas maliciosas e maldosas, conheci uma dirigente que quando ela saia do local, o povo já tinha que fazer descarregos na casa inteira, porque por onde ela passava ela jogava pozinhos, valha-me Orixá que gente que não tem que fazer.
Cada casa tem sua doutrina e disciplina e cabe quem entrar na mesma ter respeito, atenção e consideração.
As vezes um médium entra dentro de uma casa religiosa, as vezes impulsivamente ou melhor se precipita, sem avaliar a doutrina e regras da casa, e acha que a casa tem que se moldar aos seus costumes, ERRADO, SE O MÉDIUM ENTROU ELE TEM QUE SE MOLDAR A CASA E NÃO AO CONTRÁRIO.
Vou dar um exemplo básico: tem casas em que médiuns homens não viram com pombogiras, elas são cuidadas mas os homens não se manifestam com elas, inclusive casas antigas são assim até hoje. Se entrar um médium na casa ele deverá aceitar isso, e não causar problemas depois, se tornando inconveniente.
Uma outra questão dentro do mesmo exemplo, se a casa permite a manifestação de homens com pombogiras mas não permite que eles se vistam de mulher, se isso já foi avisado, não tem o que teimar e ponto.
Quero frisar que algumas condutas estão sendo tomadas por alguns dirigentes, não correlacionadas ao homossexualismo em si, mas porque infelizmente algumas pessoas estão se travestindo, colocando para fora suas próprias inclinações utilizando da roupagem das nossas Pombogiras, exemplo disso é alguns vídeos no youtube que estão depreciando demais essas entidades, e pior dando armas e argumentos para os inimigos de outras religiões que nos perseguem.
Já vimos também pessoas que chegam na casa como visitantes e acham que podem fazer o que bem entendem, além de não respeitarem as regras e doutrinas da casa, ainda desfazem do anfitrião, dos cambonos, com grosserias e má educação.
Pessoas com comportamentos assim dentro da minha casa, com certeza será convidado a se retirar, porque se você não se der ao respeito, quem vai te respeitar? fica a dica.
Como já vi o inverso, o dirigente convida um outro dirigente para visitar sua casa, com segundas intenções não muito idôneas e sérias, e chegando lá, começa o desafiar, provocar os guias do visitante, já vi pessoas se darem muito mal com isso, porque além do visitante falar poucas e boas sobre respeito, as próprias entidades e guias, acabaram por mostrar quem eram elas da pior forma, e o dirigente ficou envergonhado. Eu na minha opinião um dirigente que faz isso é no mínimo qualquer coisa menos um sacerdote de Umbanda.
As pessoas estão precisando se situar, se eu sou convidada a uma casa, eu tenho que respeitar as regras da casa, isso é consideração é óbvio. Agora a pessoa vai na casa do outro e quer desfazer, ou toma atitudes ridículas é no mínimo inaceitável, vi uma certa situação uma vez onde um dirigente chegou na casa como visitante, já era tarde, a gira já estava se encerrando, ele fez a gira recomeçar de novo, ele se auto deu o direito a isso,  e a dirigente na maior saia justa ficou sem saber o que fazer. Primeiro cabe a boa educação se você foi convidado a visitar uma casa, por favor, chegue com antecedência, não chegue atrasado, onde pessoas tem que parar o que estão fazendo para te receber, chegou  atrasado, melhor chegar a Francesa, quietinho, faz sua saudação e espera o melhor momento, com certeza a hora que o dirigente te ver ali na assistência vai te receber como se deve. Claro que pode acontecer eventualidades, mas isso cabe também as pessoas da assistência que vivem chegando atrasado, ai quando não são recebidas, se melindram e se ofendem achando que ali é a casa da Dona Maria Joana e não é assim, tem  horários a serem cumpridos. O CHEGAR NO HORÁRIO TAMBÉM É UMA FORMA DE RESPEITO.
Tem terreiros que dá dó dos médiuns, quando eles pensam que a gira vai andar, chega um, lá vai eles ajoelhar, bater palmas e tudo, recomeça a gira, ai vem chega outro, no final do dia os coitados dos médiuns estão sem joelhos de tanto subir e descer. As vezes você vê o médium trabalhando meio manquetola (mancando de uma perna) você acha que é do guia e não é, é o médium que não tem mais pernas para trabalhar (rsrsrs). E o povo não está nem ai, para se ter consideração para com as pessoas que tiveram a consideração de os convidar.
Certa vez, vi um exú que só não xingou a cambona de “santa”, porque a “tal” entidade queria whisky Chivas, nada bobo não é mesmo? tem entidade que além de citar a marca, ainda dá o ano que ele quer. É só eu .. ou tem algo errado ai. Pensemos.
Cabe a cortesia se você não gosta de algo, agradeça e não aceite, simples assim.  Agora acredito que uma entidade deveria ter uma sabedoria melhor que seu pupilo, mas é a velha história tem muitos médiuns montando em seus guias e não ao contrário. E algumas festas estão mais virando extravasamento de ego e vaidade do que focar na principal finalidade que é religiosa e espiritual. E pior muito tonto pagando e aplaudindo a vaidade e o ego do outro. Pensemos.
Outra coisa, a gente é instrumento do guia e não ao contrário, foi convidado para uma gira, no mínimo leve as coisas e os pertences dos seus guias e entidades, se previna. Se acontecer uma eventualidade você tem para onde correr, sem ficar incomodando as pessoas da casa, voltando desde que a doutrina da casa seja respeitada.
Se lhe for oferecido algo que não goste, seja gentil, use se for o caso, mas não desfaça, coisas que todo bom visitante e mesmo entidades deveriam saber se portar. Além do mais não será uma saia mais chique que fara de sua entidade uma entidade verdadeira e melhor.
Eu costumo dizer que o respeito na casa religiosa nasce da educação, na casa do seu dirigente, você tem que ter o mínimo de postura. O mais triste é ver essa falta de simancol dos próprios dirigentes que enchem a cara numa festinha, num churrasco e tomam atitudes lastimáveis perante seus filhos, o respeito é uma via de mão dupla, mas infelizmente há uma entrelinha que muitas vezes é ultrapassada o ato de confundir LIBERDADE AMIZADE, COM LIBERTINAGEM.  Quando certas posturas vem dos filhos de santo da casa, os mesmos devem ser corrigidos, caso contrário numa outra situação os mesmos fazem o dirigente passar vergonha porque não sabem se comportar, mas alguns filhos tem muito a quem se espelhar.
O respeito deve existir de entidade, de guia para com guia, disputas, ostentações no que diz respeito a ego, competições, isso é coisa de encarnado, e não de espíritos, porque eles mais que ninguém sabem que não é a coroa mais bonita, a capa mais bonita que faz um guia.
Vamos falar também do respeito para com os consulentes, e dos consulentes, uma casa de respeito se dá ao respeito. Dentro da minha casa não é permito o uso de celulares, e ficar saindo para fumar durante a gira. Roupas curtas, se a pessoa chegar na minha casa com roupas muito curtas, é na hora os guias chefes e os cambonos lhe dão um pano para se cobrir. Terreiro de Umbanda não é baile funk, nem festinha onde você pode ir de qualquer jeito, se numa igreja você se veste com respeito na Umbanda não é diferente.
Algumas pessoas estão confundindo festas e comemorações religiosas, para os orixás e guias, com festas feitas em baladas noturnas, e está havendo uma deturpação, onde vemos festas parecendo a casa da luz vermelha, está faltando respeito e bom gosto e bom senso. Pior no final da noite, você não sabe quem está mais alcoolizado os médiuns ou os consulentes e visitantes. Espíritos mesmo só se forem quiumbas.
Fora os decotes de certas roupas onde vemos médiuns casadas, com filhos, se portando de forma lastimável perante a sua família religiosa e pessoal, quem leva a culpa? a pombogira, mulheres com decotes tão grandes que chegam a mostrar os seios e as pessoas sem graça ou desviam o olhar ou riem, os homens então com roupas mais furadas que outra coisa, alguns panos com detalhes vazados é uma coisa, agora toda roupa, onde estamos vendo peças intimas sendo mostradas ai me perdoem já passou de mal gosto. E cade o respeito, porque certas coisas despertam no sexo oposto tudo menos algo religioso e espiritual.
Alguns médiuns tratam os consulentes muito mal, com péssima educação, parecem que estão ali fazendo um favor, e não cumprindo suas missões, e isso para mim é muito triste, porque muitas pessoas vem a busca de caridade, chegam tímidas, receosas, com medo, se forem mal atendidas, a nossa missão para com elas fica nula, porque a pessoa já se fecha ao atendimento, cria-se ali um bloqueio.
Por outro lado tem consulentes que não respeitam e não sabem se comportar, vai iniciar a gira, fiquem em silêncio, vai fazer uma oração, orem, e não fiquem com conversas fora de hora, respeitem aquele momento de prece, ali não é lugar para vender avon, jequiti, falar da vizinha, é lugar onde as pessoas devem falar baixo, e aprestarem atenção no que está sendo feito, e muito menos ficarem cochichando do atendimento do outro. Passou com um médium que falou bobagem ou não foi bem atendido, espera a gira terminar e conversa em OFF com o dirigente, sem querer arrumar confusão, porque quem procura atritos, com certeza acha.
Entrou numa casa para visitar, não gostou.. pede licença e saia. Sou contra obrigar uma pessoa a ficar ali na assistência que não queira, tem dirigente que só falta colocar uma corrente no pé, perda de tempo.
Infelizmente com alguns ataques que estão ocorrendo, qualquer sinal de desrespeito, deve ser averiguado na hora pelos cambonos.
Quanto a respeito também podemos falar sobre médiuns uns com outros, irmãos dentro da corrente, ver um médium desfazer do outro, na minha casa é falha grave, com maus tratos, fofocas, humilhações, porque um é mais humilde que o outro, surgindo comparações, isso é desrespeitoso e provoca muitos atritos, e devem ser cortadas tais posturas de imediato.
Infelizmente educação deveria vir de casa, mas a gente como dirigente está tendo que reeducar alguns médiuns.
Aprendam o feio sempre dá mais ibope do que o belo. Mas é muito bonito ver médiuns com boas posturas, educação, gentis, comprometidos com a missão que eles abraçaram e não usando a religião para extravasar suas  más inclinações. Alguns médiuns usam do terreiro como a ponte das lamentações, as vezes aprendendo a se doar para o próximo nossos problemas se tornam insignificantes e fáceis de serem resolvidos.
Que o respeito não seja também só no momento de uma visita, ou festa, que seja algo praticado diariamente, com amor e caridade para si mesmo e ao próximo.
O respeito está em todo o ritual da Umbanda, desde o chegar até o sair da casa religiosa, o respeito está no dia a dia, quando não esquecemos que somos médiuns e que devemos se portar como tal.
Cada religião tem suas doutrinas e ritos, e em cada uma fala-se de respeito. O respeito é tudo na casa religiosa, sem respeito não andamos, não conseguimos conquistar nossos objetivos, ninguém consegue do outro nada com ignorância. Mesmo para se ensinar sobre posturas devemos nos colocar no lugar do outro, o tratar o outro como gostaríamos de sermos tratados, algo tão simples, mas parece que está sendo algo muito difícil de ser aprendido.
O respeito está nas pequenas coisas, desde o fechar os olhos no momento da prece, o ajoelhar quando o guia chefe da casa está chegando, o ato de saudação, o ato da troca da benção, do acender da vela, até o cantar do primeiro ponto, no ofertar. Tudo na Umbanda tem respeito, ou o médium aprende sobre isso, ou nunca ele realmente será um Umbandista ele poderá estar, mas nunca será.
Enfim há ns. questões que podem ser faladas sobre respeito, e que futuramente estaremos entrando em outras questões que envolve o respeito na casa religiosa.
Que nosso pai Obaluayê nos traga sua benção, seus ensinamentos, o silêncio que ensina. Nosso pai Obaluayê é o orixá que mais simboliza o respeito na minha opinião.

Cristina Alves
Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira

Dicas do Bem com Fabi Prem | 08 SURPRESA #1 OK

Dicas do Bem com Fabi Prem | 08 SURPRESA #1 OK

ACADEMIA: Texto= Renovação da Umbanda Urbana contemporânea: Por Luan Rocha de Campos

Dear Antonio, You read the paper " Algumas observações em torno da renovação na Umbanda urbana contemporânea "...