sábado, 20 de agosto de 2016

Diálogo 12 - Entidade: Exu Marabô - Psicofonia: Marcos José Felipe

Text of the video(*)

DIÁLOGO COM OS ESPÍRITOS [EXU MARABÔ] 

Exu Marabô: Bom dia Moço! 
Jefferson: Bom dia! Senhor Guardião Marabô? 

Exu Marabô: Isso mesmo.
Jefferson: A gente deve chamar o senhor de Guardião ou de Exu? 


Exu Marabô: Como você quiser moço, é a mesma coisa. É que tem gente que tem nome feio e tem gente que acha que Exu é nome feio.
Então inventaram essa história aí de guardião né? Mas é tudo igual.
Jefferson: Ta certo, porque e voltando então à idéia. Marabô não é o nome que o senhor teve na sua última encarnação? 

Exu Marabô: Não.

Jefferson: É uma linha de trabalho? 

Exu Marabô: É. É o uniforme de trabalho.

Jefferson: Uniforme. Essa palavra é nova, entendi.

Exu Marabô: É! Quando você vai trabalhar, você não “bota” uniforme? 
Jefferson: “Bóto”.


Exu Marabô: Então, eu “bóto” esse uniforme de Marabô porque eu acho bonito.
Jefferson: Então, de todas as linhas que tem de Exu. Por que o senhor escolheu a linha de Marabô? 
Pessoalmente, assim, pra trabalhar? 

Marabô: Porque é uma linha de alta magia. É uma linha de alto conhecimento.

Jefferson: Ahhh… alta magia. Alta magia e alto conhecimento. Mas esse alto é com “l” ou com “u”? 

Exu Marabô: Com “l”. De máximo. De acesso a informação.

Jefferson: “Ta”.

Exu Marabô: Entendeu moço? 
Jefferson: Entendi. Então o senhor... Tem hierarquia que o senhor tem que respeitar aí no mundo espiritual? 

Exú Marabô: Claro! Claro! Tem o Exu Tronado, moço. Tem Exu Tronado. E o verdadeiro Exu Marabô, O princípio Marabô, 
o condicionador. Aquele que vai determinar o formato e vai determinar a organização do trabalho é o que a gente 
chama de Exu Tronado. E ele estabelece as regras, o funcionamento, o condicionamento das almas dos espíritos 
que vão trabalhar nessa linha. E você tem que estar digno pra se encaixar nisso. Como você vai pedir um emprego...

Você não tem que ter qualificação, moço? 
Jefferson: É.


Exu Marabô: É a mesma coisa. Se eu vou fazer determinadas tarefas, não tem que ter certas qualificações? E aí você passa por teste, moço. Não é assim não...

Jefferson: O senhor então passou por teste! 

Exu Marabô: Claro! Claro! Mas não é provinha escrita não, moço. É pra ver a tua dignidade da tua alma.

É pra ver a tua capacidade de compreensão. Pra ver tua ética, tua moral. Nós somos Exu de Lei, moço.
Nós temos regra muito mais séria que vocês.
Jefferson: E se engana então quem acha que vocês são espíritos “zombeteiros”? 

Exu Marabô: Espíritos "zombeteiros" são vocês encarnados. Vocês se olham no espelho e se acham muito bonitos...

um bando de gente sem caráter,moço. Eu nunca vi tanta gente encarnada sem caráter.
Que mundo é esse moço que vocês estão vivendo? 
Jefferson: E tem moral ainda de dizer que é Exu não merece atenção e é tudo coisa de macumba e do diabo.


Exu Marabô: Isso é coisa de gente tapada, moço. Isso é coisa de gente burra. Nós não gostamos disso não.
Nós gostamos de gente inteligente. Eu sou inteligente. Meu médium é inteligente. Por isso nós escolhemos trabalhar nessa linha.
Não gosto de burrice. Não gosta de ignorância.Ignorância, pra mim, é qualquer preconceito sem conhecimento anterior.
O problema é que as pessoas se agarram a uma religião como tábua de salvação e se esquecem de se olhar pra dentro, né moço? 
Coitados desses que se agarram a religião como tábua de salvação. Coitados! 
Jefferson: E o pior, “seu” Marabô, é que eles criticam tudo que não vai de acordo com a falta de conhecimento deles.


Exu Marabô: Moço. Você não precisa acreditar em nada. Mas eu tenho que deixar o outro acreditar naquilo que ele quiser.
Jefferson: É então...

Exu Marabô: Desde que, moço... Eles tenham conhecimento, estudo, fundamento. Moço! A Bíblia... “vamo” mexer num tópico, 
porque eu gosto de mexer em coisa polêmica, moço.

Jefferson: (risos) Hâ...

Exu Marabô: O que que é a Bíblia? O que é a Bíblia? 
Jefferson: É um livro de comunicação dos tempos antigos.


Exu Marabô: É muito mais um livro de história do povo judeu, do que fundamento religioso.
Aí pegam um bando de pastor ignorante, moço,que nunca nem estudou direito.
Faz uma interpretação literal das coisas e empurra goela abaixo de um bando de gente burra que não pensa também, 
e diz que aquilo é a verdade do Senhor. Que Senhor é esse? Só se for o cão dos inferno.

Jefferson: Ha Ha Ha. Olha...

Exu Marabô: Moço. Eu não critico ninguém. Acho que todo mundo “ta” num caminho de crescimento pelas vias mais tortas.
Mas é difícil engolir certas coisas, moço. É difícil.
Jefferson: O senhor já recebeu, aí do outro lado, esses pastores e padres? 

Exu Marabô: É o que mais tem é religioso que vira Exu, moço. Sabe por quê? 
Jefferson: Hã.


Exu Marabô: Porque eles se deram a prerrogativa de líderes. Se deram a prerrogativa de pessoas importantes que lideravam uma comunidade moço.Se você puder pedir por uma coisa, peça pra nunca ter poder, moço. Porque o poder que você tem aí vai ser cobrado o triplo aqui. Então o que mais tem é padre, pastor, bispo, o diabo trabalhando na linha de Exu. Sabe por quê? 

Pra reverter o tanto de besteira e maldade que eles fizeram pros outros, embutindo na mente das pessoas um monte de besteira.

Quanta gente na pobreza, na miséria, na doença por ignorância religiosa, moço. Que carma que essa pessoa “ta” criando? 
Pra não falar do abuso financeiro, sexual, etc... né moço? Depois acha que vai virar santo? 
Vai entrar lá na sétima dimensão? Só se for pra sétima dimensão do inferno! Né moço? 
Jefferson: Olha! Antes deu esquecer. No começo a gente começou a falar sobre linha de trabalho e a gente sempre vai avançar numa espiral ascendente na nossa conversa. Porque ajuda esclarecer bastante coisa.

É... Aqui a gente tem informação, sobretudo aqui na nossa internet, que o Marabô, normalmente, trabalha na linha negativa de Oxóssi, na serventia do Caboclo Arranca-Toco.


Exu Marabô: Eu trabalho na linha de Oxóssi cruzada com Xangô, moço.
Jefferson: Ah, entendi.

Exu Marabô: Vocês têm que entender que toda entidade espiritual sempre trabalha com cruzamento de energia, 
porque se eu preciso de uma energia de conhecimento, de busca, eu vou buscar em Oxóssi. Mas se eu preciso de um sentido de justiça, eu vou buscar em Xangô, moço. Você entendeu? 

Jefferson: Ah, entendi! 

Exu Marabô: É importante você estudar as sete linhas dos Orixás, moço, pra entender o que a gente falando quando se fala em Oxalá, em Oxóssi... são virtudes, são tronos divinos de irradiação de certas verdades universais, moço. Você ta entendendo? 

Jefferson: Certo! Certo! 

Exu Marabô: Então se eu preciso de um recurso energético de uma linha que não é especificamente a minha, 
eu tenho o direito de usar essa linha, pra ajudar a resolver aquele problema, moço. Você entendeu? 
Não é porque, vamos dizer assim, Marabô trabalha como servente de Oxóssi. Sim! É um servente do conhecimento.

Do alto conhecimento. Dá busca do conhecimento. Mas se eu tenho um caso, por exemplo, de uma pendência, 
que é uma coisa, uma questão de justiça, moço, a justiça cármica, eu vou pedir licença a esse Orixá para usar essa energia.

E se é uma coisa de amor, eu vou pedir à Oxum. Se é uma coisa de geração eu vou pedir à Iemanjá.
Se for de doença, eu vou pedir a Obaluaê e etc. Todas quando você à medida que você ascende, você tem, vamos dizer, 
a prerrogativa de poder utilizar essas energias. Por isso que eu te digo que nós trabalhamos com alta magia, porque a magia simples é uma coisa, alta magia é como você combina energia. Você entendeu moço? 

Jefferson: Entendi. E magia seria então a...? 

Exu Marabô: Manipulação energética.

Jefferson: Ah, ta! Com a ferramenta da mente sua? 

Exu Marabô: A minha mente, o ectoplasma do médium durante o atendimento e a movimentação das energias de quem “ta" sendo atendido, pra que ele não... Como eu sou um cobrador cármico, eu não posso deixar a pessoa se desviar do caminho, né moço? 

Mas nós podemos moderar, podemos maneirar as coisas. Ta difícil, desde que a pessoa tenha compreensão e entendimento.
Se a pessoa escolheu passar por uma série de dificuldades eu não posso tirar essas dificuldades porque é o aprendizado dela.
Mas eu posso fazer com que ela passe por aquilo sem se machucar tanto. Como é que você se machuca menos? 
Quando você se coloca na sua energia verdadeira, né moço. Quando você tem fé, vamos dizer assim, pra colocar numa coisa que todo mundo entende. Fé não é ficar acendendo uma vela todo dia pro santo e rezando e pedindo. Fé é você se olhar pra si e se reconhecer como divino. É fácil falar e difícil de fazer.

Jefferson: Seu Marabô, eu vou perguntar uma coisa assim, é mais física agora é por questão do áudio que a gente “ta" 
produzindo aqui. Ele ta dando um som é... que parece que ta passando um trem aí atrás. O senhor ta ...


Exu Marabô: Tão consertando, ou tão arrumando alguma coisa aqui no prédio desse filho.
Jefferson: Ah! Então não é aqui no computador.

Exu Marabô: Não é. Não é moço.
Jefferson: Ah! Então ta bom. Então vamos continuar.

Exu Marabô: Ta muito ruim moço? 
Jefferson: Não, não é, to bom... Vale a pena.


Exu Marabô: Fica um zumbido, né? 
Jefferson: É, eu achei que era aqui no computador e eu ia tentar arrumar. Mas se não é então vamos embora pra frente.


Exu Marabô: Tão passando um raspador, uma enceradeira, um negócio.
Jefferson: Êêê, mas esse povo, eu vou falar! Mas então. Ó! É o seguinte! Aqui eu também vejo que há vários caminhos que 
o Marabô pode trabalhar. Os caminhos são esses, o senhor dirá o qual o senhor “ta”. Se às vezes até existe um novo.

Não sei. Dizem que existe o Marabô das Sete Encruzilhadas, do Cruzeiro, das Almas, Toquinho, Marabô Cigano, Marabô das Matas e Marabô da Calunga.


Exu Marabô: Calunga é cemitério 
Jefferson: Ahã ! 

Exú Marabô: Então! É isso que eu tô te falando. Se eu vou trabalhar com a energia de Obaluaê, de Omulú, eu vou ser o 
Marabô do Cemitério da Kalunga.Se eu vou trabalhar com a energia de Oxóssi, eu vou ser o Marabô das Matas, 
se eu vou trabalhar com a energia de Oxalá, etc.

A cada Orixá que você, vamos dizer assim, obedece, moço, você pode adotar uma roupa, um uniforme. Entendeu? 
Jefferson: Entendi.


Exu Marabô: É a energia que você usa para exercer o seu trabalho, moço.
Jefferson: Ah ta! E o senhor está mais “ná” qual? 

Exu Marabô: Eu to mais na de Xangô.

Jefferson: Então é Marabô do que? Das Almas? 

Exu Marabô: Moço, isso não importa, da alma é linha de Oxalá. Você entendeu? 
Jefferson: Ahã.


Exu Marabô: Você pode me chamar de Marabô da Pedreira, você pode me chamar de Marabô das Pedras, você pode me chamar de 
Marabô da Montanha, alguma coisa que faça referência ao Orixá Xangô.

Jefferson: Ah! Entendi. E a roupa que o senhor veste é ideoplasmada? O senhor que faz ela? 

Exu Marabô: Para quem tem clarividência vão me ver assim: com uma capa, uma cartola, uma capa preta ou azul marinho, 
bem escura e por dentro roxo.

Jefferson: Então, e as pessoas no mundo espiritual, quando o senhor chega é o senhor impõe respeito? 

Exu Marabô: há há há há há! Muito! Há há há há!! 
Respeito é bom e eu gosto moço, quando eu fui encarnado, nessa terra aí, eu já fiz coisa que até o capeta dúvida, moço.

Jefferson: É? 

Exu Marabô: É! Mas hoje, eles me respeitam pelo meu conhecimento. Eu não passo medo em ninguém não, moço.

Eu sou de bom trato, mas não pisa no meu calo, moço. Não fala besteira perto de mim, que eu tenho pouca tolerância 
com gente burra, já te falei.

Jefferson: Ta certo.

Exu Marabô: Eu admiro gente humilde que não teve acesso às coisas, mas o que eu mais detesto é gente que se diz letrada 
e é de uma ignorância absurda.Entendeu moço? 
Jefferson: Entendi.


Exu Marabô: E não gosto de arrogância, pois quanto mais você sabe, menos você sabe então abaixa a sua crista.
Jefferson: Realmente é lamentável a gente ver as pessoas achando que sabem muito e fazendo o mal para muita gente, né? 
Não seria pior aquelas pessoas que sabem que estão fazendo mal e levando um monte de gente burra pro caminho errado 
igual o senhor fala... burra? 

Exu Marabô: Por isso que eu te falei que ta cheio de Exu que é Pastor, Bispo, Padre, Professor, Político então, 
é o que mais tem, né moço? Porque se eu me dou o papel de dirigir, de liderar sem ter o conhecimento, sem ter a fé, 
sem ter a verdade divina eu estou levando as pessoas para o buraco, né moço? 
Jefferson: É.


Exu Marabô: Não é isso? 
Jefferson: Realmente.


Exu Marabô: E aí, você acha que você não vai ter a responsabilidade pelo que você está fazendo com os outros? 
Se família que é um núcleo pequeno você já resolve um monte de carma ali porque você tem relação de co-responsabilidade.

Você imagina uma pessoa que diz: Ai, porque a minha comunidade, os meus fiéis, os meus alunos. Todo mundo que se coloca 
num papel desses, moço, tem que ter muita consciência.

Jefferson: É. Hum...

Exu Marabô: Porque um deslize assim na formação do caráter, que seja, de uma pessoa pode “botar” a vida daquela pessoa 
a perder, moço. Isso é muito sério. Só que as pessoas fazem isso sem consciência.

Jefferson: O senhor falou da vida do senhor, o que o senhor fez mal. O senhor falou que veio Pastor e, às vezes Padre, 
pessoas com o ego muito inflado e faz muito mal para as pessoas aqui na Terra, às vezes vai ”praí “ como Exu.

Só que não devia ir praí como Quiúmba? Porque Exu parece que está numa coisa mais acima.

Exu Marabô: Mas é que têm vários níveis de Exu, né moço?! Quando você começa, até você chegar a ser um Exu Coroado, 
como eles falam, ou Exu de Lei, você passa por Quiúmba. Todo mundo já foi Quiúmba, moço.

Até você, com todo o seu conhecimento, se você desviar as pessoas da verdade, você também vai virar um Quiúmba bem grande.
Por quê? Porque Quiúmba é aquele que não entendeu as coisas ainda. E não entender não significa que você 
não tem conhecimento intelectual. Porque nao adianta só ter conhecimento intelectual, moço, e não sentir aqui ó! 
No coração tem que ter ressonância com o divino, e o divino é no coração.Não é na cabeça, moço. Então tem gente 
que acha que às vezes está fazendo muito bem e “ta” ferrando com a vida do outro, né moço?!Então é por isso.

Depende do teu grau de consciência, do grau de consciência do que você estava fazendo. Porque uma coisa é, as vezes, 
eu achar que estou certo e ajudando. Então esse vai vir,pela ignorância, para um nível mais baixo.

Agora, aquele que sabe o que está fazendo e está prejudicando, esse vai para o sétimo nível do Umbral mesmo, moço.
Esse vai lá pra baixo para ser arrancado do buraco. Isso quando tiver o perdão das entidades superiores.
Pra ir alguma equipe de Exu mais trevoso buscar e arrancar esse moço de lá. Ele tem que pedir perdão todo dia, moço.
E aí começa a escalada de desenvolvimento espiritual, que é muito longa e se conta por séculos, anos, milhares de anos,moço.
Jefferson: Então o Exu de Lei é aquele que.....

Exu Marabô: Que ganhou consciência. Ele sabe o que está fazendo. Ele sabe que no universo existe lei para tudo 
e ele respeita isso. Então ele não prejudica, porque ele sabe que se ele prejudicar ele vai estar se prejudicando.

Jefferson: Só que na história, por exemplo, do Exu da Meia Noite (Livro de Rubens Saraceni – O Guardião da Meia Noite) 
ele fala assim: - “Eu vou preferir ficar aqui porque eu “tô” com um chicote novo, uma espada nova e a hora em que algum anjo desses cair do céu, porque parece que é isso que acontece às vezes eles se rebelam, sei lá o que eles fazem 

(uma pessoa que foi para uma paragem melhor no mundo espiritual). E daí ele falou: “eu vou ficar aqui porque a hora que 
um desses cair aqui na minha mão, eu vou maltratar eles tanto, pra eles aprenderem que aqui é só sofrimento.


Exu Marabô: Ah, moço, eu não sei. Acho que isso é uma visão. Isso é uma estória.
Jefferson: Qual foi a sua história? 

Exu Marabô: A minha história é muito simples. Eu tive muito desmando por aí, de poder mesmo. Eu era muito autoritário, 
mas eu não era uma má pessoa não, moço. Mas eu achava que eu podia dar conta de vida de todo mundo, né?! 
E acabei entendendo que eu não dei conta nem da minha né? 
Eu preferi, eu escolhi esse caminho, porque eu acho que o que é mais importante na vida do ser humano 
é a consciência divina, moço. Isso você começa a trabalhar desde lá de baixo. Então eu preferi seguir um processo 
de evolução muito lento, de milhares de anos. Eu tenho encarnação que eu recordo na Atlântida há 12 ou 13 mil anos 
do seu tempo, moço. Então poder sempre foi uma questão séria para mim e é por isso que eu trabalho nessa linha, moço.

Porque eu quero ver justiça! Eu gosto muito de poder bem usado! 
Jefferson: Entendi! Então o senhor acha que se eu me desviar do caminho, se eu for praí, eu já chego num grau bom de Exu? 

Exu Marabô: Ou talvez você já vire um anjo, moço. Vai depender da sua vida. Você é muito novo ainda.

O que estou te dizendo é que você tem que tentar conciliar, moço, o seu conhecimento, você é um moço muito inteligente, 
que veio com muito preparo espiritual, então é maior a tua responsabilidade, mas também, 
não se negue a viver a vida mundana, a vida dos homens,porque se você está nesse plano você 
tem que viver a vida desse plano. Você não é um santo encarnado. Entendeu moço? 
Jefferson: Ta certo! Ta certo! Mas é normalmente na última vida do senhor que definiu mesmo porque é sempre 
na última vida que a gente tem a opção,as chances e as oportunidade, ne? Então nessa última vida o senhor foi Pastor, 
Prefeito, Presidente, Príncipe...? 

Exu Marabô: Não, digamos que eu tenha sido um homem de poder, de posses.

Jefferson: E o senhor morreu do que? 

Exu Marabô: De doença. Velho! 
Jefferson: O senhor esperava, já, que ia morrer? 

Exu Marabô: Sim! Mas eu era muito materialista. Achava que acabava tudo. Achava que depois da morte os bichos 
iam me comer e acabou.

Jefferson: E depois que o senhor desencarnou. A grande surpresa! O senhor continuou vivo.

Exu Marabô: É! A morte é só uma mudança de consciência, né moço?! O corpo físico padece, mas o espírito continua.
Agora quando você morre você vai ser levado para um lugar que a tua consciência acha mais adequado, né moço? 
Jefferson: Nós temos informação que o Senhor Tranca Rua, que a gente conversou, quando desencarnou ficou no Umbral.


Exu Marabô: Todo mundo fica no Umbral! Porque você não tem consciência espiritual, você acha você vai parar aonde? 
Jefferson: Às vezes vai mais pra baixo, né? 

Exu Marabô: Tem 7 níveis de Umbral, né moço?! Você tem sete para cima e sete para baixo.

Jefferson: Nossa? 

Exu Marabô: Sim, a energia vai se densificando. Claro! Claro! Você tem entidades que eu chamo de Exús mais trevosos 
que não vêem nem luz nenhuma! São uns bicho feio, ouviu moço? 
Jefferson: É?!Feio em que sentido? 

Exu Marabô: Feio do ponto de vista plástico mesmo. Feio de ver! Eu gosto de coisa bonita, moço.

Eu detesto essas imagens de Exu que são vendidas em casa de Umbanda. Eles botam os Exús todos escurinhos, 
tudo com o chifre do capeta... Não sei por que botaram aquilo... Acho que quando surgiu à religião era para impor 
respeito e as pessoas ficarem com medo. Isso é uma besteira, moço!!! As pessoas têm que ter medo é delas mesmas.

Eu sempre digo uma coisa: Deus me livre de mim mesmo, né moço?! 
Jefferson: É mesmo! Realmente, até imagens vermelhas, ou meio bicho meio gente.


Exu Marabô: É porque a energia de Exu é vermelha. É energia básica, né moço. É o chakra básico de vocês, 
então a gente trabalha com a energia mais terrena e é uma energia, do ponto de vista de coloração vermelha.

Quando você está trabalhando com a energia de Exu, se fosse conseguisse tirar uma foto do médium aqui agora, 
você ia perceber que ele está envolto em energia vermelha.

Jefferson: Ah! Entendi. Inclusive eu perguntei isso pro Pai Joaquim ontem, já que surgiu este assunto.
Como o senhor fala através dele (do médium)? O senhor se conecta...

Exu Marabô: Contato... Contato magnético. Normalmente, vamos dizer assim, você se liga nos chakras que você acha que 
são os necessários para você passar a sua mensagem. Por exemplo, se eu não vou ter uma postura física de atendimento 
porque normalmente eu fico em pé assim, com a mão para trás, né? Hoje nós estamos aqui sentados.

Então, eu só estou ligado no segundo chakra do médium e no plexo solar do médium.
Jefferson: Eu vejo que quando ele (o médium) canaliza o Pena Branca, a voz é diferente também...

Exu Marabô: Cara! O Senhor Pena Branca já é um anjo, né moço? Eu sou mais pra capeta mesmo...
O Senhor Pena Branca não toma nada. Eu gosto de tomar whisky, gosto de fumar um cigarro bom. Eu gosto de coisa boa.
Não vem com porcaria pro meu lado que eu não gosto não. O Senhor Pena Branca já está em outra, já passou por este caminho, né moço?! Vou lhe dizer uma verdade: O Senhor Pena Branca já foi Exu,viu moço! 

Jefferson: Nossa! 

Exu Marabô: Sim senhor. Todo mundo. Daqui a pouco até eu vou deixar de ser Exu, né moço?! Capaz de virar um Preto Velho 
ou um Caboclo, né? Esta é a ascensão dentro da linha de evolução espiritual. É assim para quem trabalha na Umbanda.

Jefferson: Ah é? Como é que é? 

Exu Marabô: Exu Marabô: Você primeiro trabalha nas linhas de Exu, e aí, depois você vira na linha de Caboclo e de Preto Velho.

Jefferson: Não tem muita saída também, não é? O senhor não vai virar um Erê (criança), né? 

Exu Marabô: Pode virar um Erê também. É que eu detesto criança, moço! Acho muito bagunceiros, mas pode! 
É uma questão de afinidade. Se eu fosse escolher eu ia escolher um Caboclo, tem mais a ver comigo, né moço? 
Jefferson: E outra. É porque a Umbanda e as linhas de trabalho aqui na Terra são esses os arquétipos que ela oferece né?! De qualquer forma.


Exu Marabô: É, mas vai mudando,viu moço. Daqui a pouco vai estar tudo diferente. Sabe por quê? 
Porque esse povo novo que vão chegando não vai entendendo mais nada dessas linhas de santo, de nada. Vai ficando, 
vamos dizer assim, você que gosta desses termos mais bonitos, você vai perdendo a plasticidade. Vai perdendo a importância, a forma, entendeu moço? 

Você está falando com espírito X, Y, Z, não importa, você está falando com o seu mentor espiritual.

O que importa se é Índio, se é Preto Velho, se é criança? Mas a Umbanda é importante, porque ela é de formação, 
conseguiu oferecer ao povo mais humilde uma forma de identificação porque não encontrava nas casas espíritas, 
porque os espíritas eram muito mais elitizados, como ainda são hoje, né moço? Então, à medida que isso foi evoluindo, 
eu acredito que tenda a haver uma conversão e você não vai ter nem o Espiritismo e nem a Umbanda.

Você vai ter o Espiritualismo, vamos dizer assim, sem plasmar nenhuma forma. Entendeu moço? É que pro povo de hoje 
isso é difícil, mas daqui a pouco as pessoas vão começar a entender que, na verdade, o que importa é a mensagem, 
e não importa quem está dando.

Jefferson: Entendi. É questão da própria evolução da consciência humana.

Exu Marabô: Claro, você tem uma mistura tão grande de, vamos dizer assim, das culturas que, daqui a pouco, 
nada vai fazer muito sentido, tudo é muito mundial, entende moço? Então, daqui a pouco, a Umbanda vai ter que trabalhar com, sei lá, um Aborígene Australiano, ou um Esquimó... Esquimó já trabalha, viu moço.. Você vai poder trabalhar com Tirolês, né moço? Pra poder entender a cultura deles. Então a Umbanda tem, vamos dizer assim, tem essa plasticidade, 

essa flexibilidade de aceitar qualquer espírito que venha para fazer a caridade, fazer o bem. Né? Mas isso vai chegar 
o momento que a forma vai perder importância e vai ficar só o conteúdo, né moço? Você sabe disso.

Jefferson: O Sr, a gente falou sobre hierarquia. O chefe do Senhor ele é muito mais, vamos dizer assim, muito mais mau ou muito mais sutil? 


Exu Marabô: Muito mais mau ?!?!? Assim, de malvado? Nós não somos malvado não, moço. De onde você tirou esta ideia, moço? 
Você está reforçando o preconceito, daqui a pouco vão botar chifre de novo, moço! Nós não temos maldade não moço.

Nós só fazemos justiça. É que, às vezes, pra promover o bem a gente tem que ser mau, moço.
A gente mostra o caminho do amor pra vocês, e vocês vão pelo caminho errado. O que a gente tem que fazer? Me fala? 
Sabe, você está levando um rebanhozinho.. Ó, aqui tem um caminho...

Aí tem aquela vaquinha que quer ir para o outro lado, ai você vai lá e senta uma vara nela para ela voltar pro caminho,moço! 
É isso que nós fazemos. Você pensa que nós gostamos? Eu queria não ter que trabalhar não, moço.

Eu queria ficar como vocês ficam imaginando: aaaaahhh.... Que vida espiritual,fica lá sentado numa nuvem 
tocando um instrumento!!! Moço, nós trabalhamos demais aqui!! Mais que vocês aí!!! Graças a Deus a gente não cansa né moço? 
Jefferson: A gente que aprendeu a ser criado da maneira mais fácil possível, né? Com tudo cheio de amor, e às vezes 
até esquece da responsabilidade, a gente entende justiça como maldade.


Exu Marabô: É! Eu sei. Eu também entendia assim e ficava reclamando, me achando infeliz. Porque que Deus fez isso comigo? 
Porque eu não merecia. E eu merecia ter muito mais, Deus foi muito bom comigo. Ele tinha que ter acabado comigo mais, moço.

Jefferson: Ta certo! Então, o chefe do senhor... É...

Exu Marabô: Ele é bem mais sábio moço! A hierarquia aqui é por conhecimento. Ele é mais velho do que eu, um espírito antigo.
Então ele sabe mais, encarnou mais. Ele já não encarna mais hoje né moço? Eu não sei ainda se vou querer reencarnar.
Acho que não vou querer não, moço! 
Jefferson: Mas o Senhor está sabendo que está tendo uma transição planetária. Está havendo uma limpeza aí, né? 
Exu Marabô: Ah, nem começou ainda! Limpeza você vai ver daqui uns 10, 20 anos, moço.

Jefferson: Ah, não começou ainda? 

Exu Marabô: Começou assim: o planeta está esquentando. A energia do planeta está esquentando. O Sol está esquentando.

Vocês vão ter problema sério com água, moço. Falta de água. Vocês vão ver o que é tristeza, moço. Sabe por quê? 
Esse planeta não aguenta mais vocês. Ele está: SAI, SAI, SAI DE MIM. Parece um bando de carrapato em cima.

Só suga, suga, suga e não tem... E ai vocês querem manter um padrão de consumo de país desenvolvido...
De gente rica e vocês esquecem que tem limite pra tudo, né moço? Tem gente demais. Tem pobreza demais. Tem injustiça demais.
Tem que acabar com essa história, moço. Então, assim, aos poucos o planeta vai se livrando de vocês e vai vindo espíritos mais elevado para criar uma base nova de sociedade.

Mais justa, menos pesada, menos polarizada, que é um termo que vocês adoram usar, né? Vai ter um pouco mais de amor pelo planeta, por si mesmo, um pouco mais de solidariedade, um pouco mais de humanidade. Vocês chegaram no extremo do egoísmo.

Da falta de caráter. Bom, só não explodiram com este planeta ainda porque tem gente de fora interferindo.
Você não gosta de falar destes ETs, moço? Esse é o papel deles, eles são zelador do planeta.
Porque nós não temos condições de fazer isso. Nós não temos! Nós não temos amor suficiente pelo planeta para zelar.
Jefferson: Nossa..... No livro do Ramatis “A vida no planeta Marte”, Sr Marabô, ele fala muito de uma sociedade que a gente só pode se tornar daqui no mínimo 500 anos.


Exu Marabô: A Terra vai estar diferente daqui a 1000 anos. A Nova Terra é daqui 1000 anos, moço. Assim, do ponto de vista de vida biológica humana é muito tempo, mas do ponto de vista cósmico ou galáctico isso não é nada, né moço? 

Jefferson: A não, certamente!! 

Exu Marabô: To falando que nós tivemos de encarnação aqui..... Eu tive encarnação há 14 ou 15 mil anos atrás, moço.

Jefferson: Êita! 

Exu Marabô: Tem espírito perambulando aqui há 400.000 anos, moço! Preso nessa roda de Sansara de vocês, essa roda cármica.

Gente que chegou aqui com uma missão acabou se perdendo e ficou preso, moço! Então esses portais que vocês vêem aí...
Que estão abrindo portais disso e daquilo .... É pra esse povo voltar pra casa. Os espíritos de vocês não são daqui não, moço. É tudo emprestado. Esse planeta é emprestado para vocês experimentarem. Se vocês tivessem essa noção vocês iam tratar isso melhor. Mas vocês estão acabando com ele.... Acabando!! É uma tristeza! 

Jefferson: Vocês não gosta muito né?! Quem que gosta também, né!? Mas só citei o planeta Marte porque, parece que, 
eles trabalham em simbiose. Um ajudando o outro para um fim comum o que a gente deveria fazer né?! Seria inteligente! 

Exu Marabô: Você sabe o que é sinarquia, moço? 
Jefferson: Não conheço este termo não! 

Exu Marabô: Então o senhor, que um moço inteligente... Eu não vou falar não. O senhor vai procurar. O senhor vai entender o que é por que... É um sistema de poder, divisão de trabalho por competência, por conhecimento, por MÉRITO! 

Jefferson: A ta!!!!! 

Exu Marabô: É uma coisa que se tinha muito na Grécia. Sabe aquelas coisas que você gosta? De antiguidade? Clássico? 
Aquilo era um pequeno ponto do que que pode ser, mas vocês acabaram com isso.

Mas daqui a 1000 anos a Terra vai estar assim, moço! Vai ter um sistema de mérito e gente competente para olhar.
Agora... a superfície do planeta vai mudar. A vida do planeta não vai acabar, vai acabar é com vocês! 
Esse bando de chupim em cima do planeta. Isso vai acabar! Esse povo não vai vir mais pra cá! Tanto é que estamos 
finalizando um ciclo... Estamos finalizando um ciclo cármico, né moço!? Tem gente nova que já vem pra cá sem carma.

Quando se fala em criança Cristal, criança Índigo, é gente sem carma. Gente que está leve.
Então essa leveza vai ser necessária para se chegar a essa nova Terra.
Jefferson: Mas conta pra mim, como é que está a movimentação aí no mundo espiritual. Existe também um certo 
planejamento que deve, obviamente, começar daí, né?! 

Exu Marabô: A primeira coisa que eu tenho que cuidar é do meu médium, ou dos meus médiuns. Porque eu trabalho com vários.

Jefferson: Ah ! 

Exu Marabô: Então eu tenho que saber se ele está andando na linha, moço!? Se ele não estiver andando na linha 
toma bordoada da gente. Mas este médium é muito bom. Esse médium é um médium que... Ele não é muito de fazer muita coisa não, mas tudo que ele faz, ele faz com muita propriedade. Ele é um moço sério. Ele gosta de estudar. Ele é inteligente.

Tem uns outros aí que são mais rebeldes, mas a gente tem que aceitar os outros como eles são né? 
Jefferson: É ! E o trabalho do senhor num Terreiro de Umbanda consiste no que? 

Exu Marabô: O que sobra pra Exu, né moço? Merda!! Limpar merda dos outros....

Jefferson: Hahahahahha.....

Exu Marabô: E aconselhar de forma direta, pois eu sou direto! Não vem tapar o sol com a peneira pro meu lado que 
não funciona, moço. Eu to vendo, às vezes, chega um consulente, como vocês gostam de chamar a pessoa que vai lá para 
se consultar.

Jefferson: Hã! 

Exu Marabô: Vem com aquele papo mole.... “Eu to sofrendo...”. Moço, você acha que eu vou passar a mão na cabeça? 
Eu vou falar assim: Você está sofrendo porque você quer. Porque você escolheu o caminho errado, moço “ Ai porque meu...

Mulher sempre vai atrás de macho, né? “ Meu marido me largou! Meu namorado está com outra!” 
Primeiro: você tem que ter marido, moça??! Será que você serve pra ter marido? Você não sabe cuidar nem de você, moça! Né? 
Jefferson: E uma visão que as pessoas têm errada da Umbanda Sagrada, é que ela aceita trabalho e fazer macumba 
para fazer mal para os outros. É assim? 

Exu Marabô: A gente faz macumba, moço. Macumba é magia! Todo Umbandista faz magia. Mas a magia é manipulação da energia.

A gente não faz nada pra acabar com os outros não moço. Quem faz isso é Quimbandista. Quimbanda é magia negra e 
eles servem quem está pagando. Certo? Por exemplo: chega uma moça e fala: Ah, eu quero fazer uma amarração para não sei quem.

Sabe o que nós vamos falar pra ela? Eu não faço isso! Eu falo na cara, moço! Então assim, esse menino aqui não vai 
frequentar estes Terreiros. Tem muito Terreiro que faz isso para ganhar dinheiro, moço! Moço, pra ganhar dinheiro 
o povo dá nó em parafuso, moço.

Jefferson: Então o Senhor fala que, mesmo dentro da Umbanda, não podemos generalizar só porque existe gente gananciosa 
que leva pra o lado errado?! 

Exú Marabô: Claro moço!! Toda religião é assim! O que importa é quem é o gerente deste terreiro? 
Começa a analisar por aí, moço. Quem são os médiuns que trabalham neste terreiro? Né? Então assim, é o conjunto, né moço? 
Tem muita coisa por trás, portanto não se leve pelas aparências. Tem Umbanda boa e tem Umbanda ruim. Quem faz a Umbanda 
ruim são as pessoas. Toda religião do ponto de vista teórico, do ponto de vista, vamos dizer assim, teológico é bonita! 
Você conhece alguma religião feia? 
Jefferson: É ... Na aparência eles passam uma imagem bonita.


Exu Marabô: Tudo é ligação com Deus, com o divino. Coisa bonita, né moço? Aí você começa a olhar a prática e 
é essa desgraça, né moço? 
Jefferson: Hahahha..... Só desgraça? 

Exu Marabô: É só desgraça!!! Vou falar pra vocês. Tem um monte de Umbandista que não vale um centavo, que nem Umbandista é, que nem entende a religião, não foi estudar, não entende os preceitos, não entendem nada.

À vezes pegou um livro e decorou meia dúzia de banho e acha que sabe dar conselho, né moço? 
E vai ter um monte de espírita também que acha tudo lindo, tem um discurso bonito e tem uma vida que é completamente contra tudo aquilo que ele tem no discurso. Como a Igreja Católica tem um monte de Padre sem vergonha. Pastor sem vergonha, né? 

Então é assim: toda religião é feita de gente e vocês tem falha, moço! Agora o que eu te digo é: nenhuma entidade que 
trabalha, vou dizer de Exu. Nenhum Exu de Lei se presta a um serviço destes. Ele vai se prestar a um serviço desses se 
isso for útil pro crescimento espiritual daquela pessoa. Você entendeu? 
Jefferson: Entendi! 

Exu Marabô: A pessoa te pede uma coisa e você faz mais por que ela vai aprender. Ela vai aprender através do erro.

Você entendeu? Por isso que dizem que Exu é bravo, que Exu é mal... Exu não é bravo, 
Exu está aqui para promover consciência, moço.

Jefferson: E do jeito mais justo, né? Mais duro né? 

Exu Marabô: Mais duro! Eu não passo a mão não, moço! Eu já rasgo o verbo. Quer buscar ajuda? Sabe qual é a melhor ajuda? 
Olhar para dentro de você, ver a tua verdade! Pare de tapar o sol com a peneira, moço! 
Jefferson: Nossa! O senhor já repreendeu algum Babalorixá, assim, tronado, num centro de Umbanda? 

Exu Marabô: Não, porque, na verdade, quando ele se “arroupa” a esse título, ele acha que nós somos apenas servos deles, 
né moço? Então eu nem entro nesse tipo de coisa, moço! Você tem o direito de escolher. Quando você vê que a pessoa quer 
muito título e muito poder pode sair correndo, moço. Sai correndo, pois ali não tem verdade. Ali só tem mentira.

Isso serve em toda religião. Quando a pessoa se achar muito encantadora, muito bonita, muito isso... SAI CORRENDO, moço! 
Porque não tem estofo nenhum, é só aparência! Mas vocês vivem no mundo da aparência, não é moço? Porque este planeta está indo pro buraco, moço? Porque é só aparência. Não tem conteúdo de nada, moço. Nada! Então assim, começa a ficar muito...

Eu sou isso, eu sou aquilo. Sai correndo! Procura coisa mais simples, gente mais modesta. Você vê algum grande 
Avatar Cármico aí moço, que tivesse qualquer tipo de empáfia ou arrogância? 
São os mais simples... E acabou a época de Guru, né moço?! Você é o SEU GURÚ! Você é o SEU GURÚ! Nós podemos te aconselhar, seja na Umbanda, no Espiritismo, nestas religiões ditas espirituais tem essa missão de aconselhamento sim, mas aconselhar não significa que eu vou viver a sua vida por você e nem dizer o que você deve fazer.

É te ajudar a entender melhor o que você está passando, né moço? 
Jefferson: O Senhor, as vezes, na hora do sono, o senhor tira alguém do corpo (físico = Projeção Astral) e convida 
para dar um passeio? 

Exu Marabô: Esse moço (médium) trabalha no sono. Esse moço vai pro Umbral ajudar a gente a resgatar espíritos 
de prostitutas por exemplo. Este é um trabalho que a gente faz.

Jefferson: Ah! Entendi.

Exu Marabô: Ele tem essa missão. Isso é um, vamos dizer assim, é um acordo dele. E nós estamos juntos. E ele vai 
para aconselhar, porque ele conversa bem. Você entendeu moço? 
Jefferson: Entendi! Não tem perigo? 

Exu Marabô: Não! 
Jefferson: Morrer não vai né? 

Exu Marabô: Não moço, não tem isso! O que existe... O perigo, talvez, é que se você não tem fé ou força nos pensamentos 
você pode, vamos dizer assim, se deixar contaminar por aquela energia, o que é muito triste, moço. Então os médiuns, 
às vezes, tem isso. Às vezes acordam muito cansados e eles não entendem o porquê. É porque estão trabalhando de noite.

Jefferson: Entendi. E vocês precisam, porque eles tem uma energia mais animalizada que vocês manipulam, não é? 

Exu Marabô: Eu não gosto desta palavra que você usa: ANIMALIZADA, porque dá a impressão que é uma coisa assim de besta, 
do capeta, sabe moço? Vamos dizer vocês tem uma energia mais densa.

Jefferson: Densa, ta bom! 

Exu Marabô: Eles têm. Claro! Vocês que estão aqui encarnados, vocês tem que ter, senão vocês estavam voando, né moço? 
Então a gente usa esse Ectoplasma, essa energia mais densa de vocês, pra poder ajudar e fazer caridade para aqueles 
que estão lá perdidos, né moço.Sem saber. Quando a Luz divina diz: É hora de resgatar! O trabalho de resgate é feito 
e não é fácil.Você já tentou convencer uma pessoa que não tem auto-estima nenhuma de que ela é filha de Deus, filho? 
Jefferson: Nossa! 

Exu Marabô: Isso é uma tarefa inglória. E não estou falando nem desses espíritos mais revoltados.

Eu estou falando de espíritos que morreram por depressão, por se sentirem desvalorizados. É muito triste, moço.
Muito triste, porque você tem que fazer despertar aquela fagulha e dizer assim: Você também é filho do GRANDE, né moço? 
E isso é difícil! Porque, às vezes, a pessoa não quer. Você precisa ter paciência.

Jefferson: Entendi, porque não é vocês chegarem lá e jogar um manto bonito em cima dela que ela vai mudar a vibração dela...

Exu Marabô: Não...
Jefferson: Tem que vir de dentro? 

Exu Marabô: Claro! E ela tem que pedir ajuda. Ela ou ele, né moço?! Também existem espíritos de prostitutos.

Homens e mulheres que não eram profissionais do sexo, mas que usaram o seu corpo de forma indevida.
Jefferson: O que que é usar o seu corpo de forma indevida? Porque assim fica claro.

Exu Marabô: Você usar o seu corpo para atividade sexual mais do que o necessário para te satisfazer sexualmente.
Tudo que é demais é ruim.
Jefferson: Entendi.

Exu Marabô: O sexo é importante para vocês, não só para a reprodução que eu acho que isso nem é mais importante, 
mas é importante para equilibrar e estimular toda a estrutura energética de vocês. A tal da Kundalini é fundamental.

O sexo Tântrico onde você estimula aquilo é para chegar até a sua coroa e, vamos dizer assim, fazer a sua conexão com 
o divino. Isso é pra poucos. Mas o sexo tem a, vamos dizer assim, importância de reenergizar, de reequilibrar, 
de trazer alegria para vocês e dar uma sensação de vida, não é? Só que isso é bom quando você quer fazer, 
quando você tem atração e quando você se sente estimulado a fazer com a outra pessoa que você gosta, né moço? 
E aí eu não estou dando valor, pode ser homem, mulher, macaco...

Com quem você quiser, moço. Se você vive em função disso já tem um desequilíbrio. Como em tudo.
A pessoa que vive só para o sexo tem um desequilíbrio.
Ela é viciada. Como um drogado, como comida, como, sei lá, todo o tipo de vício. Todo tipo de atividade que é viciante.
O senhor também tem seus vícios. Você é viciado em leitura. Não to falando mal, mas também é um vício.
Jefferson: Tá certo! 

Exu Marabô: A busca do equilíbrio é que é o bom. Então tem gente que usou, não se prostituia, mas usou de forma muito ruim e se sentia mal por quê? Porque o sexo feito, muitas vezes, sem sentido dá uma sensação muito grande de vazio e não vê mais sentido naquilo. Então são pessoas que perderam o estímulo. Elas usaram a energia de forma, vamos dizer assim, inconsequente.

E não existe o julgamento de valor. Você vai me perguntar assim: Com quantas pessoas eu devo fazer sexo? 
Você que sabe o que é bom pra você. Mas eu digo assim, quando aquela energia não está sendo usada para algo que é divino e para algo que te estimule, ta errado! 

Jefferson: Senhor Marabô, só para ter mais informação do mundo espiritual, deixa eu perguntar isso.

O Exu é aquele que sabe que fez um monte de coisa errada, mas que mereceu estar no lugar que é diferente de onde 
os espíritos iluminados estão e que já pagou a dívida cármica, mas continua aí...

Exu Marabô: Está pagando, moço!! Está pagando...

Jefferson: A ta, está pagando...

Exu Marabô: Você escolhe, ficar 100 anos, 200, 500 anos, você escolhe! Pode trabalhar mais em menos tempo, 
ou trabalhar pouco em menos tempo. Moço, não existe nada forçado aqui. Tudo é por consciência, então você mesmo chega 
à conclusão. Você senta com seus mestres, vamos dizer assim, e eles vão analisar: olha, sua sequência de encarnações 
foram essa essa e essa... O que você quer? Você quer reencarnar, você quer ajudar, você quer trabalhar? Tudo é feito 
por acordo moço. Ninguém empurra nada para você fazer não! É outra história: essa estória de dizer que o Umbral 
que é feio e etc. Eu não vivo em Umbral nenhum, moço! 
Jefferson: Onde o senhor mora? 

Exu Marabô: Eu vivo em um lugar muito do bom, moço! 
Jefferson: É? 

Exu Marabô: É.

Jefferson: É tipo um castelo? 

Exu Marabô: Não, eu posso projetar isso se eu achar que isso é bonito. Existe dentro do plano Astral, você sabe disso, 
várias moradas.

Jefferson: Sim... sim. E organizações...

Exu Marabô: O meu grau de evolução... Eu não sou Quiúmba. Eu não estou lá embaixo. Eu não preciso estar lá embaixo.
Eu vou lá embaixo para resgatar. Porque a minha energia me permite fazer isso. Também não estou lá no sétimo céu, né moço.
Senão não estava falando com você. Porque se eu tivesse lá, eu não desço aqui. É isso então...
Jefferson: O senhor falou que tem sete níveis pra cima do Umbral e sete níveis para baixo.
O senhor está em algum deles, não é? 

Exu Marabô: Não!!! Eu não estou no Umbral não! Exu de lei nenhum vive no Umbral!!! 
Jefferson: Vive aonde?! 

Exu Marabô: Vive em uma cidade espiritual, como você, não tem Aruanda? 
Jefferson: Tem! 

Exu Marabô: Tem uma Aruanda dos Exus, vamos dizer assim.

Jefferson: Olha... Isso eu não sabia não! 

Exu Marabô: Sim senhor.

Jefferson: Ah! Então, tem assim um plano...

Exu Marabô: Eu não tenho que estar no umbral. O umbral é um plano de pagamento. De carma inconsciente.
Quem tem consciência não fica no Umbral, moço.
Jefferson: Ah 

Exu Marabô: Onde eu moro não tem anjinho passando na nuvem não, moço. É uma cidade normal. Entendeu moço? 
Jefferson: Entendi! Então o senhor está acima do sétimo nível do Umbral? 

Exu Marabô: Vamos dizer que eu estou no primeiro nível acima de vocês.

Jefferson: Entendi. E aí o senhor projeta o senhor vive aí, o senhor tem, assim, uma princesa? 

Exu Marabô: Não! Você diz um casal? 
Jefferson: O Exu da Meia Noite (Livro do Saraceni) tinha a princesa dele.


Exu Marabô: Não, isso é estória, moço. Tem um pouco de ficção, né moço? 
Jefferson: Ah é? 

Exu Marabô: Claro! Aquilo é um romance. É um relato baseado num fato, mas é um romance. Na história real sim, 
você pode ter companheiros, amigos, amigas sem problema. Eu, neste momento, não tenho, porque a minha dedicação é total 
ao meu desenvolvimento espiritual. Agora, trabalhamos com uma Pomba Gira sim! Precisamos da energia feminina para certas tarefas.

Jefferson: E essa Pombo Gira está no mesmo nível intelectual que o senhor? 

Exu Marabô: Claro moço! Dona Maria Padilha.

Jefferson: Muita gente acha que ela não merece esse respeito. Eles se enganam não é? 

Exu Marabô: Imagina!!!! É uma besteira tão grande! Aí, como vocês falam besteira demais! 
Jefferson: Hahahaha... É porque eles acham que ela só sabe....


Exu Marabô: ... Fazer amarração de amor...
Jefferson: E é ignorância, não é Senhor Marabô? 

Exu Marabô: A minha Maria Padilha foi uma pessoa tão importante do ponto de vista científico que você ficaria besta.

Ela é muito mais inteligente do que eu. Tem uma sagacidade, uma capacidade de compreensão,moço... Não fala nada não.
Um dia você conversa com ela.
Jefferson: É? (risos) 

Exu Marabô: Esse médium não quer trabalhar com ela, por cauda do preconceito. Esse médium não quer trabalhar com 
as energias feminina por causa do preconceito. Você sabe disso! 
Jefferson: O preconceito dele ou da nossa sociedade? 

Exu Marabô: O preconceito da sociedade! 
Jefferson: Por quê? Porque ele é médium e ela vai passar uma energia feminina.


Exu Marabô: Exatamente! Vão falar que ele é viado! Que é mulherzinha....
Jefferson: Ah, mas é a mesma coisa aqui. Nós sabemos que, por exemplo, a gente chama uma pessoa de esquizofrênica ou 
que tem problema psicótico aquele que está cuidando dessas ideias de mediunidade fora do contexto religioso, né? 
Agora ele está dentro deste contexto e como ele está psicofonando, então não tem o porquê...


Marabô: ...que nome bonito!! Psicofonando...
Jefferson: hahaha... Acho que eu inventei...

Exu Marabô: Ta dando umas entrevistas aqui com nós, né moço? 
Jefferson: Não, não... Acho que é canalizando, né? Que chama.


Exu Marabô: Isso é coisa bem bonita também, né?! Ah, estamos macumbando mesmo, né moço? 
Jefferson: Mas eu acho que dentro deste contexto é mais parte da ignorância da pessoa, e, ninguém vai levar ela a sério 
de qualquer forma, chamar uma pessoa de “viada” só porque ela está canalizando uma energia feminina.


Exu Marabô: A moço sei lá. Aí você resolve com ele... Não vou entrar neste mérito.
Jefferson: Voltando, aqui. Então, o senhor falou: A aparência que o senhor tem e que ela tem é a aparência que vocês 
tinham na última encarnação? 

Exu Marabô: Eu escolhi uma aparência que é a aparência que eu tinha quando eu era encarnado na Atlântida.

Tudo muito bonito! Muito bonito, moço! 
Jefferson: Entendi! 

Exú Marabô: Tipo esses astros de cinema. Bonito, eu não gosto de coisa feia não. Você pode escolher uma forma que quiser.

Jefferson: É outro racismo isso, achar que todo o espírito de baixa elevação é negro...

Exu Marabô: Não! Isso é RACISMO, moço! 
Jefferson: Nossa! É muito mau isso! 

Exu Marabô: Tem Exu preto, porque foi preto e quer manter. Exu Africano. A imagem que eu uso é bem branco, olho verde, 
alto, cabelo castanho claro. Esta é uma imagem que me agrada! Eu posso usar essa imagem. Para trabalhar eu uso a imagem 
com a capa.

Jefferson: E a cartola? 

Exu Marabô: E a cartola! 
Jefferson: Mas assim o senhor não impõe muito medo! Mas eu respeito...


Exu Marabô: Mas eu não quero impor medo! Medo é uma coisa que vocês têm que se livrar. Ô desgraça! Tira esta palavra 
do ser humano! Medo!! Não tem que ter medo de nada não, tem que aprender a enfrentar as suas verdades, moço.

O maior medo do ser humano é de se olhar no espelho. Quando vocês olham no espelho, vocês vêem tanta coisa feia 
que vocês querem sair correndo. Por isso que ficam se arrumando, se pintando.

Porque o ser humano, moço, divino é muito bonito, mas o ser humano encarnado é feio pra diabo, não é? 
Jefferson: Mas é uma feiúra... que é... porque adquiriu tudo coisa que não é natural dele.


Exu Marabô: Feio porque é mentira, moço. Tudo mentira. É construído em cima do nada, moço.
Eu acho que tem uma coisa bem bonita que vocês têm que resgatar que é se entender por dentro e tratar o outro 
como alma também, moço. Não to dizendo que você tem que achar uma pessoa feia, bonita,isso é mentira também, né moço? 
Se a pessoa é feia, é feia e pronto. Mas é saber reconhecer que, além de feia, ela também é um filho de Deus 
e é uma alma bonita, né moço? De repente ela escolheu aquele corpo feio pra reencarnar, é porque aquilo faz parte da missão dela nesse plano, moço. Assim como tem aquele bonito, que escolheu ser bonito ou bonita para encarnar porque 

tem um aprendizado. Tudo tem uma razão de ser, moço. Então para de olhar na superfície das coisas e tenta entender 
o que está por trás daquilo. Porque você também escolheu um corpo e uma forma porque aquilo te serviu até o aprendizado, moço.

É tão simples quanto isso. Mas todo mundo só julga pela aparência e se esquece do resto, né moço? É feio, é alto, é baixo, gordo, é careca e etc...

Tem mais pergunta moço? 
Jefferson: Não, tenho sim!! Fique aqui! 

Exu Marabô: Não moço, tenho coisa pra fazer! Ih moço! Tem planejamento pra coisa pra fazer demais.

Ainda tem trabalho hoje de noite, moço.
Jefferson: O que que o senhor tem? Trabalho em terreiro? 

Exu Marabô: Tenho. Trabalho em terreiro. Hoje é dia de trabalho em terreiro.

Jefferson: Então daquilo que estávamos falando é o respeito que vem do jeito que o senhor se comporta e a aquisição 
intelectual e moral do senhor, no meio das outras pessoas, que impõe o respeito e não necessariamente o medo que isso passa? 
E se passa medo é por respeito? 

Exu Marabô: É as pessoas não gostam de ouvir certas verdades e eu tenho um comprometimento com a verdade 
muito grande, né moço. E aqui a gente vê o outro, né? A gente vê a alma do outro. Então não tem como mentir.

Não tem como criar um artefato intelectual ou, sabe, engendrar toda uma história. A gente pega aquilo ali e rasga, 
pois a gente sabe que você ta mentindo. Então é fácil você entender o outro, porque você tira as cascas.

É como uma cebola sabe moço? Todo ser humano é uma cebola. A gente vai tirando aquelas cascas e depois fica só aquele 
“raminho” fininho, sabe? Mas é aquilo que é a verdade. Então vocês precisam aprender a descascar as pessoas.

Tirar as cascas de fora porque tem mentira demais.
Jefferson: Entendi! E ninguém escapa da colheita da própria plantação? 

Exu Marabô: Moço é matemática. O universo é matemática, moço. É dois e dois é quatro não é cinco, 
não é seis e não é sete, moço.

Jefferson: Tá certo! E quando fala: É Exu de Lei quer dizer que...

Exu Marabô: É um Exu com consciência da lei do universo. Dessa ciência que é matemática. A justiça do universo é matemática.
Se eu to descompensado de um lado eu vou pagar do outro, moço.
Jefferson: Êita.

Exu Marabô: Só que... lógico moço. Se eu estou te falando do ponto de vista de, vamos dizer assim, seres mais aperfeiçoados, ascencionados e etc. Vocês vem pra experimentar o desequilíbrio, moço. É difícil encontrar gente equilibrada aqui, não é não? 

Então julgue menos, porque você, que se acha tão certinho, será que no fundo você é tão certinho assim? 
Jefferson: Realmente! Tem muito o que arrumar. Sobretudo quem se acha certinho, porque está se enganando e acha ...

A nem vou falar!! 

Exu Marabô: Nem fala moço, este diálogo aqui já via dar bastante polêmica, viu? Você vai ouvir muita história.

Já vão xingar esse moço aqui. Vixi! Já vão me chamar de Quiumba. Já vão me chamar de... Podem me chamar de Diabo.
Do que quiser. Eu não estou nem aí. Eu to aqui pra falar a verdade para vocês, se foi dada esta oportunidade, 
que seja aproveitada, que é para o crescimento de vocês. Busquem sempre a verdade e essa é minha palavra final.

Busquem a verdade! Busque o conhecimento, o autoconhecimento (alto conhecimento também), assim você vai errar 
menos na sua vida. Se errar menos na sua vida é capaz de você nem virar Exu, já vai pra planos mais altos e, dependendo, nem encarna mais e vai pra planetas mais felizes, como vocês gostam de dizer, né moço? Vamos todos para os planetas mais felizes...Vamos todos para planetas mais felizes.

Mas para isso você tem que realmente viver de acordo com a sua verdade interior e saber respeitar a verdade interior 
do outro. E tirem as cascas, descasca a cebola que você encontra todo dia na sua frente, moço. Que vai ser bem mais fácil pra você e pro outro. E não agrida! Entenda! Entenda! Diga a verdade, mas sem agredir. Fale: “Eu não acredito em nada do que você está falando”, mas não precisa agredir. Porque, às vezes, a pessoa não tem a compreensão.

Às vezes nem ela mesma sabe que ela está tão engendrada nas mentiradas todas que ela criou que ela nem consegue mais sair.
Não tem essa história, os mitômanos . Eles criam uma mentira e já estão acreditando. Não dá pra ser assim! 
Jefferson: É! Realmente! Mas olha! Eu agradeço muito a sua... o seu tempo, o seu conhecimento, a sua magia interior e...

muito obrigado e a gente fica até uma próxima vez.

Cantar pontos em casa.