sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Não Cultua Meu Orixá No Terreiro, O Que Faço? - Ao Vivo Ed. 89 - Umbanda...

Texto do Templo Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira: Dei uma Obrigação,oferenda......

New post on Umbanda - Orixá Essência Divina - Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira

Dei uma obrigação, oferenda… E não me senti bem depois. Por que será?

by cristinatormena
Essa pergunta tem se tornado uma frequente em alguns grupos, feitas por médiuns que após darem determinadas obrigações, oferendas a seus guias e Orixás se sentiram péssimos e não conseguem entender as causas de terem tais sintomas. Ou sentiram que ficaram negativados. Vamos abordar aqui alguns pormenores que podem estar correlacionados a este problema.
Uma obrigação bem feita, bem ofertada, não carece pedir nada, porque nossos Orixás e guias sabem o que precisamos e necessitamos.
Infelizmente alguns dirigentes estão dando obrigações meio que precipitadamente a médiuns iniciantes que podem não estarem ainda preparados e nem orientados de forma adequada quanto as mesmas, provocando um choque energético, onde até seu campo áurico e chakras podem ser prejudicados.
Infelizmente é uma triste realidade, há muitos médiuns dentro de terreiros que fazem roboticamente o que lhes é mandado sem ao menos questionarem o porque e qual a finalidade e propósito. É de suma importância o dirigente questionar ao médium:
Você sabe para que está sendo feito tal obrigação? Acredite alguns dirigentes podem se surpreenderem com as respostas.
Vejam uma obrigação por exemplo de um médium velho abrange campos energéticos que ele levou anos para se sintonizar e entrar em harmonia. Levou anos para que conhecesse com profundidade seus guias e Orixás, eu costumo dizer que é como num casamento onde um só conhece o outro com a vivência.
Alguns médiuns estão dando obrigações complexas por exemplo para Exú e Pombogira sendo que nem ao menos sabem que entidades carregam, sabemos que os elementos no que diz respeito a ritualística da Umbanda exigem conhecimentos, nem sempre um elemento usado para um exú poderá ser usado para outro. Fora aqueles que buscam receitas prontas na internet.
Uma outra questão, eu costumo dizer que é em relação a generosidade que esse médium está tendo com relação a sua própria obrigação. Existem médiuns primorosos, caprichosos, que tem um verdadeiro esmero desde o princípio. Ao contrário de outros que fazem por obrigação no sentido amplo da palavra e não por devoção e amor.
Primeira coisa antes de um médium dar uma obrigação ele precisa saber o que envolve isso, quais os cuidados e preparos. Não é simplesmente arriar ali uma oferenda. Vamos exemplificar.
  • Tem médium que o dirigente fala, fulano você precisa dar uma obrigação para seu guia ou Orixá. A primeira coisa que vem na cabeça de alguns, puxa vida, lá vem gasto. Só a partir do exemplo desta fala, já começa uma frequência negativa, tal médium já mostra má vontade e pouco interesse, para ele dar uma oferenda ou obrigação é um fardo.
  • Na compra dos ingredientes, é pior ainda ele escolhe tudo da pior qualidade, os mais baratos, frutas verdes, flores congeladas, pasmem eu soube de um caso onde o médium congelava até o quiabo no congelador. Veja os alimentos devem ser frescos, de boa qualidade, a mesma qualidade que você gostaria de ter na sua mesa no seu dia a dia. Ninguém gosta de receber flores congeladas que no dia seguinte já estão murchas. Vamos lembrar que você está ofertando para seu Orixá não é para qualquer um.
Já vi médiuns com poucas condições financeiras dar suas obrigações e oferendas com imenso capricho. Então nem sempre condições financeiras é um obstáculo. Acreditem vale mais uma vela e um copo de água ofertados com amor, fé, devoção. Que a mesa farta de bebidas e comidas, envolta de más intenções.
  • Outro ponto dependendo da obrigação, o médium terá resguardos e preceitos, o corpo físico e espiritual deverão estar limpos e em harmonia. Não adianta fazer todo um resguardo e não vigiar sua conduta, postura e principalmente sua língua e temperamento. Tem pessoas que brigaram todo o resguardo, falaram palavrões, discutiram com Deus e o Mundo e ai vão preparar suas oferendas, e obrigações. O sagrado passa longe. Entra nessa questão merecimento. Vamos lembrar que nossos guias e Orixás tudo sabem.
Pois é, não é fácil, lidar com as nossas más inclinações, isso envolve comprometimento, seriedade, vigilância e determinação.
  • Um dos motivos para uma obrigação não dar certo, é a questão quanto a guias e Orixás, muitas vezes o médium está dando uma obrigação para o Orixá errado e de forma errada. Com essa onda que está ocorrendo hoje em dia onde médiuns estão escolhendo suas entidades a bel prazer tem ocorrido muito isso. Escolhas e consequências.
  • Um outro detalhe importante é a mão de quem zela por aquela obrigação, não é só o médium que tem que estar equilibrado e ter os devidos cuidados, o dirigente deve ter um cuidado redobrado. Já ocorreu inúmeros casos onde o dirigente errou e se equivocou e causou desequilíbrios sérios a seus médiuns e para si mesmo.
  • Uma outra questão é que muitos médiuns são colocados precipitadamente dentro da corrente mediúnica, muitas vezes o médium está em desequilíbrio espiritual e energético é a velha história não se consegue dar o que não se tem. E se esse médium está com problemas de obsessão e vampirização ele não terá condições energéticas de suportar a energia que está tentando canalizar, é a mesma coisa que tentar represar um rio com gravetos.
  • Uma questão muito importante é a INTENÇÃO, quantas vezes não ouvimos as pessoas falarem as seguintes falas, dei um agrado, uma oferenda para meu exú e pombogira para ele ir se vingar e derrotar meus inimigos, ou para manipular a vontade de outras pessoas e infringindo leis do livre arbítrio, intenções maléficas, odiosas, vingativas, lembrem-se ninguém mexe com o carvão sem sujar suas próprias mãos, todo o mal imanado tem retorno certo. O mal dos médiuns é acharem que seus guias são seus vingadores a bel prazer. Seria tão simples, pedir aos guias sabedoria no lugar de pedirem vinganças. Fora que muitas vezes nesses tipos de obrigações e oferendas equivocadas acabam se ligando espíritos de baixa categoria espiritual, vendo nesses médiuns um copo cheio, onde poderá se fartar e vampirizar e isso trás consequências tanto na parte física desse médium quanto espiritual.
Lembro-me de um ocorrido onde uma mãe nos procurou, seu filho andava fazendo trabalhos a bel prazer, mexendo com forças maléficas, até um dia que ele não conseguia mais distinguir o que era dele e o que era de tais entidades. Entrando num quadro de obsessão gravíssima. A imprudência e prepotência já levaram muitos a loucura.
Vejam que nessa questão entra o MERECIMENTO, não se consegue caminhos abertos, saúde, prosperidade, amor, trabalho, sendo que naquela mesma obrigação e oferenda você desejou o mal de outra pessoa, ou emanou maus pensamentos.
  • Emocional - o emocional é de suma importância não adianta dar uma obrigação sendo que você está nervoso, muitas vezes blasfemando, com raiva, porque de repente na hora de ir para a obrigação o pneu furou, ou o carro quebrou. Fora aqueles "irmãos" no santo que quando sabem que você vai dar uma obrigação começam os falatórios, as dissimulações, as invejas, os burburinhos que se exige uma dose de paciência escomunal para lidar com tais pessoas. Acredite, em dias de obrigações imprevistos acontecem, justamente porque são forças nefastas já de prontidão para trazer desequilíbrios e o médium desistir da sua tarefa.
Vamos lembrar que uma oferenda, uma obrigação é um ato de amor, de doação, de troca, não pode serem vistas como barganhas, o famoso toma lá da cá.
  • Profanação do solo sagrado, da mesma forma que vocês não gostariam que fossem dentro de vossas casas e sujassem tudo a mesma coisa é o campo sagrado. Como vocês iriam receber quem desrespeitasse vossa casa? nada bem. Os guias e Orixás não são diferentes. Respeito aos campos sagrados.
Um fato é que se foi dado uma obrigação e o médium não se sentiu bem, pode ser um alerta que o que foi feito não está sendo favorável a sua corrente mediúnica, muito pelo contrário está lhe trazendo desequilíbrios e choques energéticos. E muitas vezes no lugar de facilitar o religare, a comunicação e sintonia com os guias acabam se tornando verdadeiras barreiras energéticas.
Muitas vezes podem ser de ordem do próprio médium ou do terreiro. Infelizmente sabemos que estão tendo muitos antros sendo chamados de terreiros, onde a ganância, a vaidade, a mistificação, o comércio religioso faz morada. Onde se faz por fazer uma obrigação para um filho, a troca de uma boa paga. O filho neste caso é visto apenas como mais um, pouca importância se dá com o que aconteça em sua vida, caso algo seja feito de forma equivocada e errada. O importante é o dinheiro entrar. Triste realidade.
  • Preciso colocar aqui uma outra questão, se um médium faz uma obrigação onde não foi feito um trabalho de limpeza adequada e um tratamento espiritual é a mesma coisa que pegar uma pessoa com feridas abertas e querer esterilizar e limpar com vinagre, vai doer e arder muito. Alguns médiuns precisam de cuidados e atenções maiores do que estão dando hoje em dia. Caso contrário no lugar de ajudar acaba-se por provocar danos maiores.
Li certa vez um trecho e irei adaptar aqui.
Algumas pessoas ainda são frutos verdes, por mais que tenhamos compaixão e paciência elas não se corrigem e nem se voltam ao bom caminho. As vezes devemos deixar que o fruto amadureça com suas próprias dificuldades.
Pois é, muitos médiuns ansiosos e com extrema pressa, acabam sofrendo suas próprias consequências.
Uma obrigação, uma oferenda que para alguns pode ser até algo simples, envolve questões primorosas.
Toda obrigação deveria ser vista como um ato de devoção e amor. Onde a caridade começa com nós mesmos em receber as bênçãos que só Deus, os Orixás e os guias podem nos dar.
Cristina Alves
Dirigente do Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira.
cristinatormena | November 8, 2019 at 5:38 pm | Categories: Sem categoria | URL: https://wp.me/p6CoVr-3Ej

PTD nº 428 - Existe uma forma de consenso para saudação de mãos aos Orixás?

ACADEMIA: TEXTO de Hermes de Sousa Veras

Dear Antonio, You read the paper " O CABOCLO FORTE TUPINAMBÁ Aparelhagem sonora, agência e religião em Belém do Pará "...