sábado, 14 de junho de 2014

Pode demorar, Mas terão que nos Respeitar!!!!

Há décadas, lutamos contra a o ódio religioso patrocinado pelas igrejas eletrônicas, que se valem das concessões públicas das emissoras Rádio e TV para veicularem programas ofensivos a nossa fé.

A decisão, esta semana, do desembargador relator Reis Fried, da 7ª Turma do Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro em determinar ao Google a retirada do Youtube 16 vídeos que ofendem a Umbanda e o Candomblé, é a mais importante vitória conquistada pelos nossos irmãos nos últimos anos contra a intolerância religiosa.

A decisão, resultante de uma ação ajuizada pelo Ministério Público Federal e provocada pela Associação Nacional de Midia Afro, contraria a sentença do juiz Eugênio Rosa de Araújo, titular da 17ª Vara Federal, que não acatara o pedido de retirada do ar dos vídeos discriminatórios e incitadores ao ódio. O juiz Eugênio Rosa alegara em seu despacho que Umbanda e Candomblé sequer eram religiões.

A repercussão negativa da sentença, em âmbito nacional, fez com que ele voltasse atrás. O magistrado pediu desculpas e reconsiderou sua opinião sobre o reconhecimento da Umbanda e do Candomblé como religiões afro-brasileiras, mas não atendeu o pedido de impugnação dos vídeos. E agora, o desembargador Reis Fried determinou ao Google a retirada do Youtube dos vídeos.

Há 65 anos nossa família enfrenta o preconceito religioso. Nossos irmãos enfrentaram as perseguições policiais nas décadas de 50 e 60, e desde a década de 70, enfrentam o ódio disseminado pelas igrejas eletrônicas nas emissoras de Rádio e TV, que são concessões públicas, e são distribuídas há décadas pelo governo federal em troca de votos no Congresso Nacional.

A maior consequência do preconceito dessas seitas eletrônicas é manter os seres humanos separados. Não serão eles, contudo, que dividirão os brasileiros por causa de sua religião ou orientação sexual.
Como dissemos recentemente, tolerância para os iguais é fácil; o problema para esses fanáticos é a tolerância com os desiguais.
​Umbanda unida, Umbanda forte!

​ÁTILA NUNES e ÁTILA ALEXANDRE NUNES

Catimbó ou Jurema Sagrada?