sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Aviso de Atividade Comemorativa ao dia de Ibejada !

Festa de Cosme e Damião - 25/09/2015

Festa de Cosme e Damião
Homenagem as crianças
Dia: 25/09/2015 (sexta-feira)
Horário: 20:00 horas
Local: Rua Julio de Mesquita 209 - Santos/SP

Entrevista com Rubens Saraceni - O Chico Xavier do Candomblé e Umbanda -...

A recepção de passes 3 - Video aula 11

A recepção de passes 2 - Video aula 10

A recepção de passes - Video aula 09

A aplicação de passes II - Video aula 08

A aplicação de passes - Video aula 07

O passe como instrumento de cura - Video aula 04

Palestra Espírita - Cura Espiritual da Depressão - Videoaula 04 - Profil...

Palestra Espírita - Cura Espiritual da Depressão - Videoaula 03 - Depres...

Palestra Espírita - Cura Espiritual da Depressão - Videoaula 02 - Sentim...

Palestra Espírita - Cura Espiritual da Depressão - Videoaula 01 - Concei...

O bem e o mal - Livro dos Espiritos

Paraiso, inferno e purgatório - Livro dos Espiritos

Espíritos Errantes - Livro dos Espíritos

A Realidade do Amor

           Tema: “Realidade

O amor é fonte de bênçãos que fortalece e cura sentimentos em desarmonia, e à medida que se expande, mais proporciona felicidade, alegria e bem estar. 

Como fluxo contínuo de energias divina, enriquece toda criação, para que todos os seres criados tenham coragem e disposição para os enfrentamentos difíceis da senda progressiva, que exige a renovação contínua dos valores morais e espirituais.

Ocorre, porém, que as heranças pretéritas, nem sempre equilibradas e sadias, estão sempre a estabelecer parâmetros equivocados para o vicejar de amor, por isso, os inúmeros desencantos, aflições e sofrimentos. 

O desconhecimento do que representa o amor na existência das criaturas, é que tem induzido aos comportamentos nocivos e desequilibrados que só expressam egoísmo e desrespeito. 

Se decorrente do egoísmo, o amor encarcera e infelicita, ao contrário, se sincero e fraterno, não retém, nada exige e sempre se alegra por fazer alguém feliz. 

É que o verdadeiro amor é amplo e generoso, jamais controla por não ser mesquinho nem portador de paixões inferiores e levianas que só produzem desilusão, aflição e lágrimas. 

Sem simplicidade e honestidade, o amor gera desencanto e decepção, produz ruptura nas afetividades que dilaceram sentimentos, deixando como herança ressentimentos e mágoas.

O amor é sustentáculo vigoroso por ser amplo, irrestrito, sem limites, irradiando paz e gerando satisfação emocional e psíquica trazendo libertação do egoísmo. 

No entanto, não se deve viver na busca atormentada pelo amor, nem instituí-lo como permuta de sentimentos ou coroamento de ambições mesquinhas. 

Para alcançar o amor verdadeiro, é preciso revestir-se de sentimentos fraternos e edificantes e cultivar tudo que possa promover a ética, a moral e os valores da humildade e da caridade. 

A automação ora vigente para simplificar o trabalho e ganhar tempo, faz com que as pessoas se aflijam e se inquietem, tornando-se ansiosas, irritadiças e egoístas. 

Jesus mostrou a necessidade de se buscar vivenciar o amor, no entanto, o desrespeito à vida e ao próximo, as ambições e a busca pelas coisas prazerosas o coloca em segundo plano para dar lugar aos valores terrenos. 

Atualmente, uma força negativa terrível vem arrastando multidões para o despenhadeiro dos vícios e más condutas, conspirando contra todos os valores de dignificação moral e ética. 

Em face das infelizes atitudes e escolhas, muitos perderam a consciência do reto dever guerreando entre si nas disputas que só aumentam as crises de relacionamentos fraternos, trazendo o atual caos nos sentimentos. 

Com isso, as aflições morais alcançam patamares elevados, que proporcionam o aumento do crime e da violência de todo tipo, resultando o sofrimento, a aflição e a inquietação. 

Graves são os problemas na atualidade da Terra, exigindo soluções urgentes e seguras para resolvê-los. No entanto, sem a presença do amor, pouco poderá ser realizado.


( Favor Compartilhar)
INSCRIÇÕES PARA A PRÓXIMA INICIAÇÃO CÓSMICA MULTIDIMENSIONAL DO DIA 21/11/2015 ( Gratuito ). Detalhes em nosso site: www.portaldesananda.com.br

Olha aí nossas Reinvidicações sendo levadas ao Senado contra a Perseguição Religiosa !

CPI contra intolerância religiosa é reivindicada em audiência

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Líderes de candomblé, umbanda e outras expressões religiosas de matriz africana cobraram providências na Comissão de Direitos Humanos (CDH), nesta quarta-feira (16), contra a crescente onda de intolerância religiosa no país. Houve inclusive pedidos para abertura de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar atos de violência contra locais de culto e seguidores de religiões afro-brasileiras.
O primeiro a defender a instalação de uma CPI foi o balorixá Joel de Oxaguiãn, de Planaltina (GO). Antes, ele lembrou que desde 1890, com a fundação da República, o Estado brasileiro passou a ser laico, com garantia de liberdade de religião. No entanto, disse, alguns segmentos estão se esquecendo disso e usando a força, como se tivessem “procuração de Deus”, para tentar impor a todos suas crenças religiosas.
— É preciso uma CPI para que se tomem providências imediatamente, porque estão ficando cada vez mais graves os ataques às nossas religiões — disse Joel de Oxaguiãn.
Para o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que propôs a audiência, está claro que há no país um clima crescente de intolerância contra diversos credos, mais acentuadamente contra os cultos afro-brasileiros.  A seu ver, é preciso "dar um basta” e deixar claro que o país não aceita conviver com expressões de ódio e violência religiosa.
— O que fizemos hoje foi mostrar solidariedade aos que estão sofrendo mais diretamente no momento. Depois, poderão ser judeus, evangélicos ou ateus que sequer vão poder andar nas ruas — disse o senador.
Sobre a possibilidade de uma CPI, salientou em entrevista que não depende apenas dele, mas de pelo menos 27 senadores. De todo modo, adiantou que vai debater o assunto com outros colegas, considerando que poderia ser apropriado abordar a questão de intolerância de modo abrangente, não apenas contra os cultos de matriz africana.

Ocorrências

No entorno do Distrito Federal, dois terreiros já foram atacados nos últimos dias. O episódio mais grave foi em Santo Antônio do Descoberto (GO), onde o templo ficou destruído depois de incêndio criminoso. Em Águas Lindas (GO), homens usaram uma caminhonete para derrubar o portão na entrada do espaço. Na terça-feira (15), os agressores voltaram e atearam fogo. Até agora, ninguém foi preso.
Babazinho de Oxalá, do terreiro em Santo Antonio do Descoberto, contou que um mês antes os criminosos já haviam invadido o espaço, quando quebraram tudo.
Foi ainda lembrado, entre outros casos, o da menina Kayllane Campos, 11 anos, vítima de agressão no Rio de Janeiro, em junho. Vestida com a indumentária de culto, ele voltava para casa depois de participar de um culto de candomblé quando foi atingida com uma pedrada na cabeça. Depois disso, líderes religiosos realizaram na capital fluminense um ato contra a intolerância religiosa e em apoio à menina.
Adna Santos de Araújo, também conhecida como Mãe Baiana, coordenadora de Comunidades de Matriz Africana de Terreiros da Fundação Cultural Palmares, informou que o órgão já recebeu registros de 218 denúncias de atos de violência contra espaços de culto de religiões de matriz africana.
Segundo ela, a procuradoria da secretaria está acompanhando todas as ocorrências, buscando garantir que sejam apuradas e os responsáveis punidos. A seu ver, os atos não são apenas de violência, mas também denotam racismo e devem ser enquadrados legalmente desse modo, como crime inafiançável.

Cantos e tambores

A audiência foi marcada pelos sons de tambores e cânticos dedicados aos orixás nas cerimônias nos terreiros. Antes de sua manifestação, a Mãe Railda Rocha Pitta, de Brasília, acompanhada pela plateia formada de “povo de santo”, entoou a saudação a Xangô, que tem nas quartas-feiras o seu dia. Contou sua história e propôs reflexões sobre a tolerância, sempre citando simbologias relacionadas às divindades do candomblé.
— É preciso mudar este cenário de ódio para uma realidade de amor. Aprendam com Oxum, a deusa das águas doces e a maior expressão de amor: é preciso que a vida seja doce como mel e vivificante como a água, que é essencial para a nossa existência — afirmou.
O senador Paulo Paim (PT-RS), que preside a CDH, antes de passar o comando dos trabalhos a Cristovam, observou que o natural seria cada brasileiro estar tranquilo e em paz para praticar a religião escolhida, qualquer que seja. No entanto, diante dos casos de intolerância, disse que não adianta apenas “chorar sobre o sangue derramado”, mas estimular o debate e fortalecer o respeito à diversidade.
— A liberdade de culto e religião é cláusula pétrea da nossa Constituição. É necessário defender o direito de todos a manter sua identidade e as suas raízes — reforçou.
Na visão do Babá Adailton Moreira Costa, do Rio de Janeiro, hoje é necessário falar não apenas em “tolerância”, a seu ver uma palavra que está “em cima do muro”. Antes de tudo, disse ele, deve haver respeito à tradição religiosa de cada um. Para o líder religioso, a violência de cunho religioso ocupa o mesmo contexto do racismo, da homofobia e da violência sexual e de gênero.
Com emoção, outro babalorixá presente à audiência, Pecê de Oxumaré, de quem partiu a sugestão da audiência ao senador Cristovam, cobrou respeito ao “povo de santo”, lembrando os que fogem disso negam a Bíblia que dizem seguir.
— Nós temos respeito e amor: respeitamos a natureza, o outro e abrimos nossas portas sem perguntar quem está chegando e sem pedir antecedentes criminais. Para qualquer um que chegar, a porta estará sempre aberta — disse.

Ecumenismo

O frei David Santos, da Educafro, entidade que luta contra o racismo e desigualdade social, informou que estava ali como representante de uma entidade que cultua o ecumenismo. Celebrou a presença do Papa Francisco à frente da Igreja, salientando que o líder católico levou adiante o compromisso com o diálogo interreligioso. Depois, o frei criticou a postura de segmentos evangélicos que estimulam o preconceito contra religiões de matriz africana. A postura desses grupos não representam verdadeiramente os evangélicos.
— Essa postura não representa as expressões evangélicas; essas são pessoas desequilibradas que representam pequenos grupos — afirmou.
Pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH-PR), Alexandre Brasil Carvalho detalhou as ações e mecanismos do Plano Nacional de Direitos Humanos contra a intolerância Religiosa. Citou o aperfeiçoamento do sistema de ouvidoria e a produção de relatórios sobre casos de intolerância e preconceito. Outra ação é estimular fóruns permanentes de dialógo interreligoso nos estados e municípios, hoje já existindo sete organizações do tipo em todo o país.

Reivindicações

Além da proposta para a instalação da CPI, os participantes da audiência apresentaram outros pedidos à comissão, como um apelo para envio de carta ao governador de Goiás, Marconi Perillo. A intenção é pedir providências para que sejam investigados os ataques a terreiros nas cidades goianas no entorno do DF.
Foi também solicitada negociação com o governador do DF, Rodrigo Rollemberg, para que estenda aos terreiros as garantias de concessão de áreas, como já é feito em favor de outras religiões, para que edifiquem seus templos. O advogado Bernardo Sukennik sugeriu também que seja solicitado à Ordem dos Advogados do Brasil, no nível nacional e DF, a criação da Comissão de Liberdade Religiosa.
Os senadores Regina Souza (PT-PI), Omar Aziz (PSD-AM), Hélio José (PSD-DF), Otto Alencar (PSD-BA) e Donizeti Nogueira (PT-TO) manifestaram solidariedade e se colocaram à disposição para apoiar ações contra a intolerância religiosa.
Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)
Copyright © 2015 Colégio Pena Branca, All rights reserved.
Você está recebendo este e-mail porque você se cadastrou em nosso sitewww.colegiopenabranca.com.br

Our mailing address is:
Colégio Pena Branca
Avenida Gentil de Moura, 380, Ipiranga
São Paulo, SP 04278000
Brazil

terça-feira, 15 de setembro de 2015

-O MAIS IMPORTANTE-José Salviano

25º DOMINGO TEMPO COMUM

20 de Setembro de 2015
Ano  B

Evangelho - Mc 9,30-37


Se alguém quiser ser o primeiro, que
seja aquele que serve a todos!

PRIMEIRA LEITURA
         O justo incomoda os incrédulos, os quais por meio de caçoadas, procuram fazer com que o justo desista de ser justo, e viva como eles. Na verdade, o injusto precisa se mostrar forte para que todos não percebam a sua infelicidade, o seu vazio interior. E isso acontece pelo fato dele ter escolhido viver com seus próprios recursos ignorando o amor de Deus e sua proteção.
SALMO
É o Senhor quem sustenta a minha vida.  É Ele quem me dá forças e me protege do egoísmo dos maus e dos perversos. Mas para isso preciso andar em seus caminhos e suplicar diariamente a toda hora o seu perdão, a sua proteção. Quero sempre bendizer ao Senhor da glória, e seu santo nome, poder e bondade infinita, eu que quero anunciar ao mundo enquanto estiver lúcido. Amém. 

SEGUNDA LEITURA

         Como podemos transmitir a paz de Cristo se dentro de nós há inveja, e discriminações? Como podemos falar do segundo mandamento: Amar uns aos outros, se não estamos sendo fraternos, se não acolhemos os fracos, os desclassificados? Como podemos dizer: O Senhor está no meio de nós, se não admitimos, AQUELES QUE NÃO SÃO DO NOSSO NÍVEL  NO NOSSO MEIO?
         A sabedoria que nos vem do ALTO precisa ser refletida por nós aos nossos irmãos. E para que essa sabedoria passe pela nossa pessoa, precisamos estar puros, ser humildes, e acima de tudo pacíficos.  "Eu vos dou a minha paz, eu vos deixo a minha paz".  
         POR QUE EXISTEM AS GUERRAS?  As brigas, as discussões, e demais atritos e crimes entre nós? É porque na luta pela sobrevivência, somos escravos da idolatria do poder, do conforto, do prazer, e tudo isso gera todo tipo de competição e mesmo que ganhamos a disputa pelo "OSSO" que mais cobiçamos, continuamos no vazio, pois O MUITO SEM DEUS É POUCO. Enquanto isso, os humildes que se contentam com o pouco que podem conseguir, são muito mais felizes, pois O POUCO COM DEUS É MUITO!...
         E quando estamos entorpecidos, dominados pela ganância de querer sempre mais, de vencer o outro custe o que custar, de ser o maior, não adianta nem rezar, pois no nosso pensamento dominante não paira a humildade, e para que a oração seja válida, precisamos nos reconhecer pecadores, imperfeitos, e humildemente admitir que somos carentes do poder de Deus Pai, pois somente Ele nos basta.
         Para que a nossa oração seja atendida, precisamos abandonar a arrogância, a mania de grandeza, e lembrarmos que não passamos de um esqueleto coberto de carne, osso, cartilagens, pele, e muito lixo, que são as fezes dentro de nós...
         Caríssimos. A nossa conversão só vai acontecer quando pararmos de idolatrar coisas e até pessoas, e voltarmos para o Pai com humildade e submissão, aquele que é o nosso único sumo bem. É claro que precisamos das coisas. Do carro, da casa, da roupa etc. Mas o que não precisamos é idolatrar tudo isso, ao ponto de pensar que viveremos aqui para sempre, e que Deus existe para satisfazer aos nossos planos egoístas. Estaremos em processo de conversão diária, quando abandonarmos o orgulho, a competição, a inveja, a fofoca, a discriminação, e procurarmos amar uns aos outros como Jesus nos amou.   
         Só seremos reconhecidos como verdadeiros catequistas, como semeadores da paz e da justiça,  como aqueles que foram escolhidos para levar ao mundo o amor de Deus, PELOS NOSSOS FRUTOS:  De paz entre nós, de fraternidade, de ACEITAÇÃO DO OUTRO...
         E esse nosso modo de ser, esse nosso modo de agir, já é a primeira parte da evangelização.  POIS TODOS OUVEM A NOSSA CATEQUESE, COM UMA PERGUNTA NA MENTE: SERÁ QUE ELE, OU ELA VIVE TUDO ISSO QUE ESTÁ DIZENDO A NÓS?

EVANGELHO

       

         QUAL DE NÓS É O MAIS IMPORTANTE? Meus irmãos. A competição entre nós começa desde cedo! Começa desde que somos pequenos.  E o pior. Começa entre os próprios irmãos. (Leia a história de José vendido no Egito).
         A irmã mais  bonita, o irmão mais inteligente, aquele que teve oportunidade e vontade de estudar mais, esses são invejados pelos demais irmãos. E são até de certa forma perseguidos, ironizados, mentiras são inventadas contra eles, chacotas, piadas, e por fim, ofensas são lançadas, só para compensar a diferença. 
         Lembro-me de dois irmãos, meus vizinhos. O maior teve paralisia infantil e uma de suas pernas era atrofiadas, fazendo-o caminhar mancando. Era um garoto inteligente, porém revoltado, e manifestava sua ira contra o seu estado físico, com ironia. Muita ironia. Vivia contando piadas do português, fazia chacota de todos, arrumava sempre um jeito de botar defeito nas pessoas com as quais convivia. O seu irmão menor, era um garoto normal. Mesmo assim, ele deu um jeito de fabricar um defeito para o seu irmão, para compensar a sua perna defeituosa. Ele inventou que o seu irmão tinha orelhas grandes. Tão grandes como as orelhas de um elefante, que abanavam espantando os mosquitos ou para se refrescar do calor. Assim, ele chamava ser irmão menor de abana, ou abano. Seu irmãozinho no início gritava, chorava, olhava no espelho para conferir se suas orelhas eram grandes mesmo...
Os pais conversaram com o irmão menor. Explicaram para ele que suas orelhas não tinham nada de errado, e também explicou o verdadeiro motivo da atitude do seu irmão mais velho para com ele. A partir deste dia, o irmão menor passou a não se importar mais com as críticas infundadas do seu irmão deficiente.  
         Jesus não vinha junto com os discípulos, pois os mesmos ficaram um pouco para trás, para poder conversar sem que fossem ouvidos. E então eles discutiam sobre a importância de cada um. Ou seja, cada um deles, se julgava o mais poderoso do grupo. Ao se aproximar de Jesus, aquele que vê tudo, eles foram interrogados pelo Mestre, sobre o que eles estavam conversando pelo caminho. Os discípulos com grande vergonha, ficaram sem palavras. Sem saber o que falar, se calaram diante do Filho de Deus. Pois se lembraram que Jesus tinha todo o poder no Céu e na Terra, e portanto já devia ter percebido tudo.
         Meus amigos. Assim também somos nós. Na empresa, na sociedade, na família, na festa, na reunião, na catequese, onde quer que estejamos, a nossa preocupação é sempre uma. De ser a mais importante, o mais importante de todos ali.  Através de posturas, de cabeça levantada, com aquele olhar de cima para baixo, alguns de nós se empenha em dar a melhor impressão, a melhor aparência de si mesmo diante dos demais. 
         Quantas vezes o humilde é criticado, é chamado atenção pelos demais. O humilde é repreendido e chamado de INGÊNUO!...
         Minhas irmãs, meus irmãos. Jesus hoje está nos dizendo que se quisermos ser o mais importante, se quisermos ser os primeiros diante de todos, temos de sermos os últimos, os mais humildes, os mais inocentes como uma criança.  Para ser o mais importante diante do Reino dos Céus, temos de ser aquele que serve a todos, aquele que não tem o nariz empinado, e que não olha o irmão de cima para baixo com desprezo, e com um ar  de quem é melhor e mais importante do que ele.
         Você foi promovido? Foi colocado em uma posição de destaque diante dos demais, seja na empresa, na sociedade, seja na Igreja?  Então MUITO CUIDADO! Não se prevaleça da sua posição social para humilhar os outros, principalmente aquele, ou aquela sua velha rival!... NÃO SE ESQUEÇA DAS PALAVRAS DE JESUS NO EVANGELHO DE HOJE!
         Conheci um líder sindical que se candidatou a presidente do sindicato. E durante a campanha eleitoral, ele, que não era lá muito humilde, se esforçou bastante em se mostrar o contrário.  Fazia visitas às fábricas, nas favelas, discursos na porta de supermercados, e ao terminar, cumprimentava os trabalhadores um a um, mas não convencia muito, pois a  sua cara de NÃO MUITO HUMILDE, era algo notável, difícil de simular! Conclusão, ele perdeu a eleição!
         Que o Senhor nos lembre sempre. De que quem: Quer ser o primeiro, o mais notável, procure ser o último de todos...
Vá e faça o mesmo.   Bom domingo.  

José Salviano.