domingo, 1 de janeiro de 2017


PORQUE SOU UMBANDISTA!

Explicar é difícil só fazendo parte para entender;
Certas coisas à gente VIVE.
Não se EXPLICA.
Mais tentarei em simples palavras dizer:
"A GRANDE ALEGRIA QUE TENHO DE SER UMBANDISTA."
Sou UMBANDISTA, pela simplicidade desta em seus rituais;
Sou UMBANDISTA, por ter me encontrado nessa maravilhosa religião;
Sou UMBANDISTA, pelo simples fato de ser uma religião que glorifica o criador e sua criação.
Sou UMBANDISTA, pelos simples ensinamentos passados.
Onde muitos julgam!
Que as ENTIDADES trabalhadoras na UMBANDA.
São seres espirituais de baixa vibração.
E não conseguem entender que é na simplicidade de PENSAMENTO e SENTIMENTO.
Que se alcança à VERDADEIRA GRANDEZA no trabalho de CARIDADE.
Sou UMBANDISTA, por decisão própria, construída e solidificada (consolidada), dentro do meu SER.
Com princípios passados e pregados por essa maravilhosa religião chamada UMBANDA.
Que são:
AMOR;
SIMPLICIDADE;
HUMILDADE;
RESPEITO;
E tantas outras coisas que à UMBANDA transmite.
Através do toque dos ATABAQUES, PONTOS CANTADOS.
Pelo conselho das entidades: (PRETOS(A) VELHOS(A), CABOCLOS(AS), CRIANÇA (IBEJI), BAIANOS(AS), MARINHEIROS, BOIADEIROS, GUARDIÕES (EXU/PG)....e todos espíritos de coração humilde que adentra nessa SAGRADA RELIGIÃO chamada UMBANDA para à pratica da CARIDADE.
Que me ligo ao SAGRADO.
Sou UMBANDISTA por essa me mostrar.
Que não existe DIFERENÇA, PRECONCEITO e INTOLERÂNCIA em sua prática.
Pois ela atende à todos.
Sem descriminação de RAÇA, CRENÇA, STATUS SOCIAL e ORIENTAÇÃO SEXUAL.
Sou UMBANDISTA pelo fato dela me ensinar.
"QUE NÃO EXISTE RELIGIÃO RUIM. MAIS SIM MAUS CONDUTORES DENTRO DELAS."
Sou UMBANDISTA porque ela me ensina que através do ESFORÇO PRÓPRIO cada SER consegue se aproximar do DIVINO.
Sou UMBANDISTA pelo simples fato;
Consigo enxergar:
AMOR;
SIMPLICIDADE;
HUMILDADE;
RESPEITO....em seus rituais (práticas).
Sou UMBANDISTA porque ela me ensina, que a melhor e maior RELIGIÃO é a do AMOR.
Pois esse sentimento sim. Consegue trazer à transformação necessária dentro de cada SER.
SALVE À UMBANDA!
SARAVÁ.
(Por Tim Silva)

Exú Mirim

negrinho do pastoreiro:
Exú mirim: vou deixar aqui minha opinião bem particular dessa entidade, é um exú que ao mesmo tempo que mostra o lado doce dos ibejis mostra o lado travesso de exú, alguns vem em terra e contam suas passagens terrenas outros falam que nunca encarnaram.
Exú Mirim é uma entidade que pode ajudar muito quando bem doutrinada e cuidada pelo dirigente, mas quando contrariada pode ser bem travessa, fofoqueira, vamos colocar assim, daquelas que não tem papo na língua, desafiar um exú mirim é a pior viagem, ele pode dizer coisas sobre você que você jamais imaginária ouvir de uma entidade.
Exú Mirim podem ser bem travessos as vezes e melindrosos, exigem dos seus médiuns certos cuidados e considerações e caso se sintam ofendidos podem ficar um bom tempo sem dar o ar de vossas graças.
Suas presenças nos terreiros quebra qualquer gelo, sempre acabam descontraindo o ambiente, gostam muito de brincar com todos, mas não gostam que tenham muitas liberdades com eles, é tipo eu posso, você não.
Quando gostam de uma pessoa são muito leais, amigos e ajudam muito.
São muito apegados a proteção de crianças de um modo geral, pessoas idosas e necessitadas, não gostam de injustiças, de mentiras e nem de lamentações. Podem surpreender em quebras de feitiçaria, demandas, curas, e trabalhos de abertura de caminhos de uma forma geral.
Costumam responder a um exú guardião responsável pelo campo de atuação que trabalham e atuam, mas ao contrário dos mesmos não pensam duas vezes se ofendidos. Gostam da famosa meladinha, pinga com mel, ou xiboquinha que é uma bebida composta por vários ingredientes que apreciam.
Antigamente era muito comum serem até associados com a lenda do Saci Pererê, e a história do Negrinho do Pastoreiro, apreciam um bom fumo de corda, e um bom cachimbinho.
Já vi ajudarem em várias questões como infertilidade, trabalho, pendências judiciais, e até mesmo acharem objetos perdidos.
Ao contrário do que se pensa muitos exús mirins podem se mostrar muito arredios, quietos, sem muito papo, ao contrário de outros que não param um minuto se quer.
O grande problema que vejo é a confusão que se fazem desses Exús com os Ibejis, precisa-se entender que Exú Mirim não é como uma criança da linha de ibeji, não vai dos extremos de comportamentos infantis.
São espíritos extremamente únicos dentro de sua essência, devendo-se tomar cuidado ao lidar com os mesmos nunca os trate imprudentemente como uma criança porque não são e podem simplesmente deixar a pessoa numa saia bem justa caso desafiados.
Infelizmente tem-se se feito algumas associações a essas entidades lamentosas e equivocadas, antigamente era muito difícil de se ver um exú mirim num terreiro, porque justamente são muito exigentes e escolhem seus médiuns a dedo, hoje meio que virou moda e estamos vendo cenas tristes e vergonhosas em algumas casas se dizendo estarem recebendo exú mirim.
Se as pessoas soubessem como essa entidade é melindrosa teriam mais cautela ao lidar com o mesmo.
Em alguns momentos gostam de exclusividade e ao contrário do que se vê na linha de Ibeji onde trabalham muito em grupos, em um trabalho onde exú mirim esteja trabalhando pode se observar certos isolamentos, mas não se engane quando preciso se juntam em um minuto.
O que foram em outras vidas, suas passagens,  cada um carrega consigo suas histórias e não gostam muito de as revelar.
Eu costumo dizer que Exú Mirim é o mensageiro de Exú, aquele que caminha por todo lado, você sabe que ele esteve ali, mas você só o pega se ele deixar  ou se o seu guardião permitir. Seus nomes costumam estar correlacionados aos campos de atuação dos mesmos, e de seus guardiões. Por exemplo um exú mirim que responda a um caveira, carrega o nome caveirinha, como outros calunguinha, pimentinha, brasinha etc.
Já li alguns textos a respeito onde se afirma-se que são espíritos encantados acho muito precipitado colocar isso como regra, não se cabe em todos os casos.
Já obtive muitas graças com uma entidade dessa falange chamada Brasinha, o qual devo meus respeitos.
Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira.

Mensagem de Pai João de Aruanda

                                        

                                        Pai João de Aruanda: 


                                             AS SENZALAS


Filho, o véio vem de Aruanda trazer algumas palavras para fortalecer seus corações.

Nas senzalas, em meio ao sofrimento, a dor e a revolta que transbordavam dos corações amargurados dos negros escravizados, humilhados e judiados pelos senhorios, donos da vida e da morte destes, Deus nunca deixou os negros escravos desamparados.

Deus colocou em cada senzala, em cada fazenda, um preto velho ou uma preta velha, para curar as feridas físicas e emocionais daquelas almas necessitadas, para que enfrentassem a dor com fé e resignação, pois a única força que restaria a eles, seria a esperança, e nós fomos encarregados desta missão, de manter a esperança e a calma nos corações despedaçados.

Muitas almas das mais elevadas perante nosso Senhor Jesus Cristo se voluntariaram amorosamente, pedindo para vir à Terra em socorro desses sofredores.

Jesus, em sua sabedoria também conhecia muitas almas imperfeitas que suplicavam por uma oportunidade de purificação, de aprendizado, para poderem resgatar inúmeros e pavorosos débitos do passado, para tentarem se superar, para mostrarem para si mesmos que eram dignos de serem filhos, imperfeitos, mas amorosos filhos de Deus.

Dentre todas as valorosas almas voluntárias, Jesus escolheu aquelas que poderiam ajudar aos necessitados bem como a si mesmo, e também escolheu elevadas almas de Luz para mostrar o caminho da humildade para aqueles que se seguiriam ao longo da missão, pois sabia-se que seriam longos e difíceis anos de sofrimento, até que a liberdade os resgata-se.

E assim, nós os pretos e pretas velhas, vivemos, sofremos, aprendemos e auxiliamos junto com todas as almas escravizadas.

Aprendemos magia, mandingas, encantamentos e simpatias. Aprendemos a nos comunicar com os espíritos, bons e maus. Ajudamos, protegemos e também éramos temidos pelos senhorios, que sabiam que nosso poder provinha também de outro mundo, do mundo dos espíritos, e por isso, muita dor foi evitada, muitas revoltas dos negros foram abafadas internamente pelos próprios negros, pois na maioria das vezes, dentro da senzala, a palavra final eram as sempre sábias orientações dos pretos e pretas velhas.

E hoje, muitos de nós, aqueles missionários nas senzalas, quando nos apresentamos perante os humanos, seja em reuniões espiritas, em canalizações e psicografia, ou em contatos com médiuns, optamos por usar nossa vestimenta de Preto e Preta Velha, não por orgulho, e sim por saber que dos humildes é que vem a força do entendimento e do Amor.

Aruanda é Nosso Lar, é onde almas afins se reúnem para dar continuidade à vida e obra de humildade, sabedoria e Amor que nosso Senhor Jesus Cristo trouxe para a Terra.

Pai João de Aruanda