sexta-feira, 24 de novembro de 2017

VAMOS RECORDAR? - EXU - SOFREDOR - EGUN - QUIUMBA NA UMBANDA !

                                           VAMOS RECORDAR

1)      EXU:  É entidade de luz. Trabalha para o BEM !
2)      Espírito SOFREDOR: É o desencarnado que ainda não compreendeu ou não aceita  tal situação. Está desorientado e com isso procura qualquer encarnado que ele tenha  acesso, parentes, amigos, sem que com isso tenha intenção de prejudicar a qualquer um.
 Causa a quem ele  se fixou, os mesmos sentimentos : doenças, frigidez, angustia, toda negatividade que possuía, depressão, desorientação, ficando ambos com os mesmos sentimentos.
3)      EGUN: É um espírito Obsessor: Este vem com a finalidade de vinganças, por ter inveja, ciúme, raiva do consulente.
Ele tem um objetivo final. Ele escraviza um sofredor ou vários para atuarem juntos com a única intenção de concluir sua vingança, seu ódio, sua raiva, etc, sobre o consulente.
4)      Quiumbas ou Kiumbas: São espíritos que se utilizam de espíritos sofredores, de Eguns, enviando para os terreiros, centros templos de Umbanda para  ou receberem auxílio ou em sua maioria, para atrapalhar os trabalhos . Estes, não aceitam a luz, e não será com um transporte ou desobsessão, tendo em vista que eles têm o poder de enviar outros sofredores, ou outros Kiumbas.
5)      Para cada um dos casos, existe o trabalho de transporte ou desobsessão que poderá ser apenas um sofredor, que normalmente se apresenta com olhos fechados, desorientados aceitando por parte de o médium orientador seguir seu caminho para sua evolução.
6)      O EGUN, já é mais difícil, tendo em vista que ele se apresenta  e diz mesmo o que ele quer da parte do consulente, e neste caso, o Médium orientador, deverá com cautela,mas com seu guia de luz conduzí-lo ou para o caminho de luz ou para o lugar onde ele quer ficar.
7)      Finalmente; o Kiumba ou Quiumba, surge, com arrogância, afrontando a todos e chega mesmo a afirmar qual sua finalidade de ali estar e que foi pago(?) para  exercer esse trabalho.

COMO IDENTIFICAR UM  SOFREDOR – UM EGUM – UM KIUMBA( Quiumba ):

- SOFREDOR: não abre olhos, pouco fala, espera que o Médium orientador o conduza para um caminho a seguir, o que normalmente é realizado  em uma sessão.
- EGUM: Surge, olhos encarando ao consulente e aos médiuns, necessitando de muita orientação para que o mesmo aceite seguir o caminho da evolução, da luz. Não será com uma vez  garantia de conseguir o resultado do desligamento deste.
- QUIUMBA: E um espírito que se aproveita dos sofredores dos Eguns, não aceitam o caminho da luz, da evolução, entram muitas vezes com palavrões, desafiando  a todos,
Sabendo que não está sozinho e sim acompanhado de diversos para realizar o trabalho que foram pagos. Há que se ter muita firmeza, e talvez necessário mais de um médium para efetuar o trabalho do desligamento.
COMO  SABER QUAL DESTES ESTÃO RELACIONADOS COM O CONSULENTE?


a)      SOFREDOR:
Pessoa Negativa, Pensa e Fala a todo o momento em doenças, possui frigidez consigo  e com outras pessoas. Desânimo, Depressão,  e outros sintomas que o próprio consulente note que não seja algo normal em sua vivência.
b)      QUIUMBA:
Todos sintomas  acima mencionado e mais raiva, inveja , ódio, rancor sem nenhuma razão, nada na vida presta, tudo está errado.
c)      EGUM( EGUN ):
O consulente tem ódio, raiva, inveja, desprezo por outros semelhantes, está sempre vivendo reclamando de tudo e de todos. A VIDA NÃO PRESTA. ESSE CASO ALÉM DO TRABALHO MEDIÚNICO, HÁ QUE SER TAMBÉM EM CONJUNTO UM TRABALHO DA MEDICINA TERRENA!


FINALIZANDO; É NECESSÁRIO ENTENDERMOS QUE EXU NÃO FAZ PARTE DESTES TENDO EM VISTA QUE JÁ FORAM DOUTRINADOS, E TRABALHAM PARA QUALQUER CONSULENTE PARA O BEM .
ESSE CONCEITO É UM CONCEITO UMBANDISTA, NADA CORRELATO COM O CANDOMBLÉ QUE TEM SEUS PRECEITOS SEUS ENSINAMENTOS.


É Necessário que nós Umbandistas, relembremos esses conceitos que também aprendi, para que não haja misturas ou mesmo fracasso sem saber a razão de um trabalho realizado de transporte( desobsessão ) e não tenha entendido !

Essa é minha pequena colaboração que quando em vez, faço, por acreditar que como aprendi de meus mestres, sacerdotes, dirigentes; vejo-me na necessidade de repassar aos meus irmãos(ãs) , sempre em prol de cada dia mais, a nossa amada Umbanda ser respeitada pelo que somos e pelo que praticamos.


ACE

Dinheiro e terreiro

Cantar pontos em casa.