quarta-feira, 9 de maio de 2012



Inauguração
Com muita alegria e Axé no dia 12 de outubro de 2004 foi inaugurado o Centro Cultural e Social de Umbanda Carismática Luz de Oxalá Força de Oxum em São Paulo. A casa foi abençoada pelas presenças de Pai e Mestre Rubens Saraceni, sua esposa Alzira Saraceni, Pai Élcio de Oxalá, Senhor Sardinha, grande mestre em apometria (in memorian) e sua Esposa Dona Letícia.
O evento teve seu início com chave de ouro, Pai Rubens Saraceni abençoou a casa e a voz inconfundível de Pai Élcio de Oxalá encantou a todos os presentes com os pontos maravilhosos da nossa querida Umbanda.
Após a benção, Pai Rubens fez menção à importância da abertura de novas casas e que tudo começa pequeno com o objetivo maior de ajudar as pessoas que necessitam. O senhor Sardinha, Kardecista e Mestre em Apometria, com algumas palavras nos deu uma lição de humildade e espiritualidade, dizendo que independente de religião, devemos nos unir e servir ao Pai em primeiro lugar. Acompanhado dos membros de sua casa e da cantora e violinista Osinete Marinho, que abrilhantou o evento com músicas em homenagem aos nossos queridos Pretos-Velhos e Orixás.
Todos os irmãos presentes saíram encantados e agraciados pelas bênçãos de humildade e sabedoria dos mestres ali presentes que envolveram a todos, em ambiente agradável e descontraído.
A dirigente espiritual Mônica Caraccio convida a todos os irmãos de fé a compartilharem dos projetos culturais, grupos de estudo: Umbanda, palestras, biblioteca circulante e desenvolvimento mediúnico.
Parabéns UMBANDA, por mais esta iniciativa.
Que a Luz de Oxalá nos ilumine e que as Forças de Oxum nos unam na Fé em OLORUM!
Quem somos
Somos instrumentos de Deus, que por Força Divina, por amparo de OXÓSSI e do "Sr. CABOCLO DAS SETE ENCRUZILHADAS" realizamos um trabalho direcionado à expansão cultural, divulgando e estudando a UMBANDA como "Religião" e não como seita, culto ou pronto-socorro. Realizamos um grande trabalho de conscientização e de responsabilidade religiosa e mediúnica.
Ministramos diversos ESTUDOS como o Grupo de Estudo Religioso Umbandista que abrange entre diversos assuntos, Teologia e Teogonia de Umbanda, as Sete Linhas da Umbanda, os Sagrados Orixás, as linhas de trabalho da Umbanda, Exus, Pombogiras e Exus mirins; os cuidados e técnicas mediúnicas; o entendimento dos ataques espirituais e muitos outros temas que envolve a Umbanda. e a Espiritualidade. Como se não bastasse, há ainda estudos como: O poder das Ervas , Pedras e Águas e seus poderes fitoterápicos, energéticos e ritualísticos; Cura, Transporte e Descarrego na Lei da Umbanda; Lendas, Rituais e Oferendas dos Orixás; Rito e Rituais na Lei de Umbanda; Pontos Riscados e Pemba na Lei de Umbanda.
Contamos com uma biblioteca espiritualista, com um acervo de aproximadamente 1.500 títulos colocados a disposição de todos que desejam estudar e evoluir espiritualmente, contamos ainda com o nosso jornal – JORNAL DE UMBANDA CARISMÁTICA, JUCA – direcionado para a Umbanda, para atender a necessidade do entendimento e crescimento espiritual, com tiragem de 10.000 exemplares mensais é distribuído gratuitamente para quase todo o Brasil e também disponibilizado eletronicamente.
Tudo para se ter uma Conscientização Religiosa, Médiuns mais preparados e uma Umbanda mais Fortalecida e Unificada.
Somos instrumentos de Deus, que por Ordem Sr. OGUM MATINATA abrimos as portas de "SUA CASA" para os trabalhos caritativos espiritual na Linha de Umbanda
Somos um grupo onde OXUM rege e nos concede todo o amor Divino, onde YEMANJÁ nos ampara gerando sempre novas oportunidades de evolução, onde OXALÁ REINA COM PAZ, ESPERANÇA E FÉ abençoando a todos independente de raça, credo ou cor, um grupo onde Srs. GUARDIÕES e Sras. GUARDIÃS dão toda a proteção e sustentação diante da LEI MAIOR e JUSTIÇA DIVINA.
SARAVÁ A TODO O POVO DE UMBANDA!
Que a Luz de Oxalá nos ilumine,
que as Forças de Oxum nos unam na
Fé em Olorum.

Por quê Umbanda Carismática?
CARISMÁTICO – Em teologia, poder extraordinário, como a capacidade de realizar milagres, concedida a Cristo pelo Espírito Santo.
Ler o termo CARISMÁTICO nos traz o conhecimento didático mas, além disto, existe o Plano Espiritual e é através dele que a UMBANDA CARISMÁTICA nasceu e vem crescendo trazendo uma visão RENOVADORA sobre o Mundo Espiritual.
Essa renovação tem a SUSTENTAÇÃO DIVINA e tem como função trabalhar dentro da Religião de Umbanda de uma forma respeitosa, onde o conhecimento, o amor e a ordem fazem parte da Umbanda.
A UMBANDA CARISMÁTICA não veio criar uma nova Umbanda, mas veio, amparada pelo Sr. Caboclo Das Sete Encruzilhadas, ensinar, pedir e dizer que a Umbanda tem que ser trabalhada com seriedade e que para isso é necessário, não somente o estudo religioso, mas a 'reforma intima continua', acreditando assim, na Lei das Afinidades e na Lei da Ação e Reação.
A UMBANDA CARISMÁTICA acredita que somos nós os responsáveis pelas nossas demandas, carmas, dificuldades, alegrias e vitórias, portanto, nossas vidas dependem única e exclusivamente de nós e de nossa capacidade de AMAR, DAR e PERDOAR.
A UMBANDA CARISMÁTICA acredita no UNIVERSALISMO ESPIRITUAL, acredita que nomes, termos e formas de trabalho, somos nós seres humanos que diferenciamos, mas Deus, a Lei Maior e a Justiça Divina ESTÁ em todo o Universo de forma única e amparando a todos sem distinção.
NOSSO CENTRO DE UMBANDA CARISMÁTICA TRABALHA
SEM DISTINÇÃO ESPIRITUAL,
É ECLÉTICA E DIVINA.

Inspiração Diária | Minha Umbanda

Inspiração Diária | Minha Umbanda

33

Nesse momento e em vida!

Filho de Pemba bebe água no rochedo,
Filho de Ogum corre campo e não tem medo.
Filho de Pemba bebe água no rochedo,
Filho de Ogum corre campo e não tem medo.
Vou pedir ao Criador, que derrame o Seu Amor,
Aos nossos Guias e ao nosso Babalaô
Aos nossos Guias e ao nosso Babalaô
Axé a todos! Depois dos festejos dedicados ao Orixá Ogum e de muitas emoções, entramos no mês de maio e eu fico com a esperança de aproveitarmos as boas vibrações e energias das Falanges dos Pretos Velhos para vivenciarmos um mês mais sereno, tranquilo e que pudéssemos exercitar com mais ênfase a humildade, a bondade e o respeito mútuo.
Maio, mês das Mães, das Noivas… dia 13, Dia da Abolição da Escravatura, Dia dos Pretos Velhos que se manifestam em nossa Umbanda e, Oxalá permita, mês de reflexão e de entendermos as dores da vida, do espírito e da alma. Dores minha, sua, nossa, deles… Não importa! São dores que causaram e causam marcas que somente a bondade humana é capaz de transformá-las.
No entanto, não há como falar, pensar, manifestar a “Bondade Humana” acusando, mentindo, apontando, sentindo-se superior, o dono da verdade ou “senhor” de todas as ideias, ações e soluções. Não há como vivenciar, transmitir, compartilhar a “Bondade Humana” com atitudes arrogantes, com o íntimo invejoso, vivendo do passado ou ainda, falando mal dos outros.
Esperança!
Ah, quanta esperança vemos no caminhar dos Vovôs e Vovós de nossa querida Umbanda, e quantas lágrimas… Quantas lágrimas escorrem pelos mesmos Vovôs e Vovós ao perceberem tanta maldade e vaidade, tanta inverdade e prepotência em seus filhos e entre seus filhos. Quanta megalomania em nome da Umbanda esquecendo-se da simplicidade, do pé no chão, do branco e do compromisso.
A verdadeira Bondade não surge nos momentos de interesse ou de troca, não se reconhece, ou melhor, não se caracteriza em palavras escritas ou frases ditas. Ela surge no dia a dia, na compreensão, na aceitação, na resignação, na verdade e na esperança para com o próximo.
Lamentar-se, atracar-se, mal dizer das diversidades da vida, das acusações, dos disque me disque ou das manias de brigas, perseguições e agressões, não. Não é assim que devemos proceder, principalmente se entendemos, conhecemos ou vivenciamos, mesmo que minimamente, a Umbanda e suas intensas ações e reações que propiciam em nossa vida.
Temos que compreender serenamente que “só se joga pedras em árvores que dá bons frutos” – afirmativa que aprendi com meu “pai”, com o tempo e com as experiências diárias.
Temos que rogar por Paz, mesmo sabendo que a paz depende principalmente de uma coisa chamada ‘boa vontade’.
Temos sim, que olhar para frente, refletir sobre os atos e confiar no tempo e nas ações dos Orixás, sejam eles Ogum, Oxóssi e Oxalá, Xangô, Iansã e Oxum ou ainda, Exu e Iemanjá.
Enfim, aproveitemos a oportunidade, a missão e a função que temos nesse momento e em vida e semeemos a Paz, Esperança e Bondade.

Nesse momento e em vida! | Minha Umbanda

Nesse momento e em vida! | Minha Umbanda

Emoção, Possibilidade e Atitude. 13 de MAIO está chegando

Axééé pessoal!!! Estamos chegando perto do dia treze de maio, dia em que os terreiros de Umbanda cheiram a bolo de fubá, café e guiné, se enfeitam de pipocas, crisântemos, palhas da costa e cantam para as almas, mirongas e Pretos Velhos, entidades espirituais que representam os anciãos conselheiros, os sábios bondosos e os vovôs e vovós “feiticeiros”.

Nesse dia também comemoraremos o Dia das Mães. Mulheres de todas as idades, belezas e esperanças, cheias de lembranças, ideais e cicatrizes, que lutam, cuidam, criam e educam, ou negam, abandonam, violentam e destroem.
E além dessas duas datas que mexem com nossas emoções, historicamente é o dia em que se comemora a Abolição da Escravatura, momento em que, de acordo com a Lei Áurea (Lei Imperial n.º 3.353) assinada em 13 de maio de 1888 pela princesa Isabel, encerrou-se o terrível ciclo de dor, covardia, sangue, violência, morte e desrespeito entre negros e brancos, ou melhor, entre seres humanos. Aliás, vale a pena salientar e pontuar que essa data se contextualiza somente de acordo com a história, afinal, ainda existe, nos dias atuais e em qualquer lugar, as mesmas barbáries da época de escravidão, sobrecarregadas de preconceito, prepotência e arrogância.
Enfim, estou imaginando quantos sentimentos, quantas energias e quantas lembranças, falas, juras, lamentos, comemorações ou ainda, quantas lágrimas de alegria e de tristeza envolverão  a atmosfera nesse dia.
Dia em que será exposta e vibrada a energia da Emoção junto com o atributo da Memória propriamente.
Assim, só posso pedir para que comecemos AGORA a refletir sobre nossos atos, pensamentos e sentimentos. Que fiquemos atentos à real possibilidade da energia ficar densa e tensa, de uma carga mais pesada e negativa sobrecarregar nosso campo áurico e mediúnico devido à projeção de cordões magnéticos e espirituais, afinal, a emoção ‘está no ar’, o passado estará sendo revivido potencialmente mesmo que inconscientemente e nossos antepassados serão lembrados muitas vezes abarbados de mágoas, dores, lamentações, apegos, saudades…. ou seja, cheios de sentimentos que, na grande maioria, são negativos.
Reflitamos e percebamos, nessa época é comum que as mulheres que negaram a maternidade, consequentemente, a geração, o nascimento, a passagem da condição de desencarnado para encarnado – oportunidade importantíssima para os espíritos que se encontram no plano espiritual e que muito se preparam e esperam pelo momento de reencontro – sofram influências espirituais mais intensas, como reação de suas próprias ações. Normalmente são os espíritos/filhos que reclamam por seus direitos de nascer, de terem mães, de reencontrarem suas famílias.
É comum também, pessoas que viveram – sustentados pela crença da reencarnação – na época da escravidão, que foram, em vidas passadas, agressores, mantenedores de escravos ou ainda o próprio escravo, sentirem igualmente fortíssimas influências alcançando o patamar de ‘ataques espirituais’ como reação de suas próprias ações. São pessoas que obviamente não sabem de seu passado e de suas dívidas espirituais, mas que devido a violência que o espirito revive nesse período de comemoração à Abolição da Escravatura, sentem um grande aperto no peito, uma tristeza inexplicável chegando à depressão, dores em partes específicas do corpo que surgem do “nada” ou ainda, entre tantas outras possibilidades, uma revolta, uma violência, um ódio descontrolado e até sobrenatural.
Claro que esse pensar, que esse olhar ou que essa sensibilidade não podem servir de justificativa aos nossos desequilíbrios, comodismo ou vitimísmo. Pelo contrário, a compreensão “do que” nosso espirito pode estar sofrendo, “da possibilidade” da energia ficar mais densa pelas relações emocionais e principalmente, que “tudo é” Ação e Reação, da mesma forma que tudo é ‘Reação de nossas próprias Ações’, devem nos inspirar dia a dia, devem ser as bases de nossas atitudes, pensamentos e sentimentos, consequentemente, a bomba ejetora que propicia o “fazer diferente”.
Refletir, se vigiar, se disciplinar, respirar fundo o ar da resignação e rezar com o coração aberto e sincero são, sem sombra de dúvida, as melhores opções a todos nós.
Além disso, é óbvio que encher nossa casa de axé, de energia de “preto velho”, de compreensão, perdão e serenidade, são excelentes atitudes que também irão garantir um período mais sereno.
Por fim, ainda podemos aproveitar os grandiosos ensinamentos dos Pretos Velhos de nossa querida Umbanda, mesmo porque, ninguém mais, ninguém menos, conhece o que é dor, preconceito, compaixão, bondade, lágrima e esperança.
Axé a todos e boa reflexão

Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade: Regimento interno

Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade: Regimento interno:   MANUAL DO MEMBRO DA CORRENTE Regimento Interno EDUCAÇÃO - DISCIPLINA - TRABALHO “Vinde a mim todos os que estais cansado...