sábado, 1 de agosto de 2015

AVE MARIA (POR EMERSON C MATOS)

 AVE MARIA (POR EMERSON C MATOS)

pv6
Há muitas coisas no Universo que não se explicam, são ainda incompreensíveis para nós, porém podemos percebê-las.
Acreditando na reencarnação, que o mundo não se acaba nesta vida, acredito da mesma forma que os animais também partem daqui para o mundo espiritual, para seu progresso.
Posso não entender os mecanismos, mas sei que alguns animais reencarnam imediatamente, voltando ou não para a proximidade daqueles a quem amou. Partem em novas jornadas na Terra, por vezes convivendo com pessoas evoluídas, às vezes tendo de sofrer e ensinar lições de resignação e tolerância. Ainda há aqueles que são menos evoluídos e demonstram alguma distonia quanto ao comportamento e desequilíbrio suas relações.
Mas me interessa muito o estudo daqueles que trabalham na espiritualidade, de acordo com relatos de livros espíritas, e muitas afirmações dos guias de Umbanda. Considero que isto é um estudo ainda pouco conhecido e comentado, onde os animais atuam como agentes de Proteção e Cura.
Frequentemente, videntes conseguem visualizar próximo ao médium os mais diversos animais, como cães, gatos, acompanhando seus trabalhos. E nos terreiros de Umbanda, são percebidos junto aos caboclos águias, lobos, tigres e panteras, trabalhando na proteção e no patrulhamento.
Não se trata de licantropia (espíritos humanos que retrocedem e adquirem forma animal), são realmente espíritos de animais que de alguma maneira evoluíram e compreendem sua tarefa de lutar contra as trevas, penetrando os portais de regiões lúgubres, localizando junto aos espíritos guardiões aqueles que precisam ser resgatados.
Estão junto aos tarefeiros nos seus trabalhos, no seu dia a dia, sempre avançando na frente, sempre protegendo a retaguarda, dando a visão ampliada quando é um espírito de águia por exemplo, sempre emprestando a força e agilidade quando é um tigre ou uma pantera, a coragem e a perspicácia quando é um lobo. Acredite quem quiser, mas em contato com alguns médiuns, tenho certeza que estes relatos são reais, trabalhando com caboclos daqui, caboclos do hemisfério norte, espíritos do Oriente.
pv7Pode parecer fantástico e irreal, mas os animais na Espiritualidade existem, e assim como os espíritos humanos, os espíritos angelicais, espíritos de outros orbes, estão a trabalhar, em incontáveis dimensões, inexatas e desconhecidas para nós, apenas vagamente percebidas, mas não menos reais.
Comprovações através da literatura espírita:

L. dos Espíritos – Pergunta 600 – 
“A alma do animal depois da morte é classificado pelos espíritos a quem incumbe essa tarefa e é utilizado quase imediatamente.”
L. dos Médiuns – Pergunta 283 – “Depois da morte do animal o principio inteligente que nele havia se acha em estado latente e é logo utilizado, por Espíritos incumbidos disso, para animar novos seres, em os quais continua a obra de sua elaboração, assim , no mundo dos espíritos não há errantes Espíritos de animais, porem unicamente Espíritos humanos.”
Nosso Lar – André Luiz – 
”Aves de plumagens policromas cruzavam os ares e de quando em quando pousavam agrupadas nas torres muitas alvas…”
“Os cães são auxiliares preciosos nas regiões escuras do Umbral”
“Animais que mesmo de longe pareciam iguais aos muares terrestres”

L. dos Espíritos – Pergunta 602 – 
“Os animais progridem como o homem, por ato da própria vontade, ou pela força das coisas? – Pela força das coisas, razão por que não estão sujeitos à expiação.”

Revista Espírita março de 1864 – 
“Há uma lei geral que rege os seres da criação, animados ou inanimados; é a lei do progresso. Os espíritos estão submetidos a ela pela força das coisas.”

Marcel Benedeti – 
“Os animais principalmente os domésticos, aprendem conosco, que somos, além de irmãos, seus professores. Durante o tempo em que permanecem conosco, passam por várias experiências, como encarnados, e quando já for o suficiente, provavelmente ele reencarnará em outra família e em outra localidade onde aprenderá coisas que não podemos oferecer. Mas em geral retornam varias vezes ao mesmo lar.”

Emanuel – Chico Xavier –
 “Chico, pare e preste atenção neste cãozinho. É o Dom Pedrito que está voltando para você!”

A Questão Espiritual dos animais – 
Irvênia Prada – “A reencarnação pode favorecer o reencontro afetivo entre animais e homens para continuarem juntos o aprendizado de amor

Revista Espírita – Março de 1860 –
 “Pode (um animal) aperfeiçoar-se a ponto de se tornar um Espírito Humano? – Ele pode, mas depois de passar por muitas existências animais, seja no nosso planeta terrestre, seja em outros.”
“Nossos benfeitores espirituais nos esclarecem que é preciso que todos consideremos que os animais diversos, a nós rodearem a existência de seres humanos em evolução no planeta Terra, são nossos irmãos menores, desenvolvendo em si mesmo o próprio princípio inteligente.(…) Eles, os animais aspiram ser, num futuro distante, homens e mulheres inteligentes e livres. Assim sendo, nós podemos nos considerar como irmãos mais velhos e o mais experimentado dos animais. (…) Tudo isso se resume em graves responsabilidades para os seres humanos; a angústia, o medo e o ódio que provocamos nos animais lhe altera o equilíbrio natural de seus princípios espirituais, determinando ajustamentos em posteriores existências (…) A responsabilidade maior recairá sempre nos desvios de nós mesmos, que não soubemos guiar os animais no caminho do Amor e do Progresso, seguindo a Verdade de Deus” – Chico Xavier – Mandato de Amor.
Na verdade, tanto estudamos os seres vivos, sabemos de micromoléculas, sabemos de ultraestruturas, mas não sabemos da essência dos seres vivos, dos animais, de nós mesmos. E desta maneira, isto leva ao desrespeito à vida, e é necessário se refletir sobre isto. Que temos de reservar um tempo em nossas atribuladas agendas para refletir sobre o que somos, o que são estes animais que nos cercam, que nos alimentam, nos confortam, nos fazem companhia, nos protegem, às vezes, nos amedrontam, pois não os conhecemos. Entender seu valor, o porque estão aqui, assim como nós mesmos, entendermos porque aqui estamos e o que fazemos . Isto dará um sentido maior no relacionamento com o que está ao nosso redor.
Temos de ter uma atitude de reverência com o que nos cerca, toda a Natureza, mesmo o que parece inanimado, está vibrando, a água que corre, as estrelas que brilham, as flores que abrem, a chuva que cai, os animais que se manifestam cada um com seu jeito de ser, os seres humanos tão diversos entre si, todos e tudo vibrando ao nosso redor. Merece nossa atenção, nosso respeito, nosso cuidado, na mesma medida que queremos isso para nós. E assim teremos sempre um sentido, uma razão de Ser, uma direção, e uma justificativa para aqui estarmos, e entenderemos melhor a presença dos animais da Espiritualidade, a missão dos espíritos, e muito mais coisas que se encontram além do véu das infinitas dimensões paralelas.
Não vemos as ondas eletromagnéticas, mas sabemos que ali estão; não vemos o Rx, nem a energia atômica, mas podem estar presentes. Então por quê teimamos em achar que só o que percebemos com nossos limitados sentidos são as coisas reais? Vamos seguir com serenidade, em equilíbrio, sem entrar em fanatismos ou acrobacias mentais, mas vamos refletir, deixar fluir nossa intuição, o que nos sopram nossos guias, vamos aumentar nosso padrão de consciência, nossa percepção, abrindo as portas para a compreensão, que nos trará mais Harmonia e Luz.

Alex de Oxóssi
Rio Bonito – RJ
Sociedade Espiritualista Mata Virgem Este arquivo foi retirado do Site Povo de Aruanda www.povodearuanda.com.br 

              O PODER DAS ERVAS, SEGUNDO O 
                     ESPÍRITO ANDRÉ LUIZ - 
                     DO LIVRO NOSSO LAR:

"Comecei o trabalho procurando esclarecer os espíritos perturbados que se mantinham ligados ao doente. Mas tinha muita dificuldade, pois estava muito abatido. Lembrei o quanto seria bom ter a colaboração de Narcisa e tentei. Concentrei-me em profunda oração a Deus e, nas vibrações da prece, me dirigi a ela pedindo socorro. 

Contei-lhe, em pensamento, o que estava acontecendo comigo, informando minhas intenções de ajudar, e insisti para que não deixasse de me socorrer. 

Foi então que aconteceu o que eu não esperava. Depois de 20 minutos, mais ou menos, quando eu ainda não havia terminado minha prece, alguém me tocou de leve no ombro. 

Era Narcisa, que me atendia sorrindo: - Ouvi seu apelo, meu amigo, e vim ao seu encontro. Fiquei muito feliz. A mensageira do bem olhou o quadro, compreendeu a gravidade da situação e disse: - Não temos tempo a perder. 

Antes de qualquer coisa, aplicou passes de alívio ao doente, isolando-o das formas escuras, que se afastaram imediatamente. Em seguida, me chamou decidida: - Vamos à natureza. 

Acompanhei-a sem vacilar e ela, notando meu espanto, disse: 

- Não é só o homem que emite e recebe fluidos. As forças naturais fazem o mesmo, nos vários reinos em que se subdividem. Para o caso do nosso doente, precisamos das árvores. Elas vão nos ajudar com eficiência. 

Admirado com a nova lição, segui com ela em silêncio. 

Quando chegamos a um local onde havia árvores enormes, Narcisa chamou alguém, com palavras que não pude entender. 

Logo em seguida, oito entidades espirituais atendiam ao chamado. Muito surpreso, vi Narcisa perguntar onde poderia encontrar mangueiras e eucaliptos. 

De posse da informação dos amigos, que eram totalmente estranhos para mim, a enfermeira explicou: - 

Estes irmãos que nos atenderam são trabalhadores do reino vegetal. 

E, diante da minha surpresa, concluiu: - Como você vê, não existe nada inútil na casa de Deus. 

Em toda parte há quem ensine, se houver quem precise aprender. E onde surge uma dificuldade, surge também a solução. 

O único infeliz na obra divina é o espírito irresponsável que se condenou às trevas da maldade. Em alguns minutos, Narcisa preparou certa substância com as emanações do eucalipto e da mangueira e, durante toda a noite, aplicamos aquele remédio ao doente, pela respiração comum e pelos poros. 

Ele melhorou muito. Pela manhã, logo cedo, o médico afirmou muito surpreso: - Ele teve uma reação incrível esta noite! Um verdadeiro milagre da natureza."

Cantar pontos em casa.