domingo, 29 de novembro de 2015



                                  Bebidas e Fumo na Umbanda

 por Rodrigo Queiroz

O fumo, Tabaco, é considerado uma "Erva de Poder", usada há milênios pelos povos indígenas, considerado sagrado com larga utilização em seus trabalhos de cura, pajelança e xamanismo. 

"Tudo que é sagrado traz o divino e as virtudes para nossas vidas, sempre que profanamos algo sagrado atraímos a dor e o vício.

" Assim, o mesmo tabaco que cura em seu aspecto sagrado também vicia e traz a dor quando utilizado de forma profana. 

Industrializado no formato de cigarro, o fumo traz além da nicotina mais de 4.250 outros agentes tóxicos, prejudicial à saúde, sendo causador de várias doenças, o câncer entre elas. 

Resultado do uso profano... 

Algo muito parecido acontece com o Álcool que como "Bebida de Poder" atrai forças e poderes das divindades, também utilizado para curas. 

Dentro do conceito elemental, o fumo é o vegetal que traz os elementos terra e água, quando utilizado no fumo e defumação traz os elementos ar e fogo. 

Resumindo, o fumo é uma defumação direcionada, que traz além do vegetal os quatro elementos básicos (terra, água, ar e fogo) para trabalhos de magia prática. 

O Sopro por si só traz efeitos terapêuticos e espirituais muito valorosos e eficazes nos trabalhos de cura e limpeza, que somado ao poder das ervas é potencializado muitas vezes em resultados largamente vistos durante os trabalhos de Umbanda. 

O Álcool é do elemento água, provindo de um vegetal (a cana), que se sustenta na terra, altamente volátil no ar e considerado o "fogo líquido", de fácil combustão. 

Tanto o Fumo quanto o álcool são utilizados para desagregar energia negativa, queimar larvas e miasmas astrais e, no caso do álcool, para desinfetar e limpar no externo e no interno já que pode ser ingerido. 

Logo, as entidades de Umbanda não têm vício e nem apego a esses elementos, não bebem além de alguns poucos goles e nem tragam a fumaça que é manipulada apenas. 

Alguns guias chegam a cuspir em recipientes adequados, a famosa "caixinha", que fica ao seu lado, para neste ato evitar ao máximo a ingestão da nicotina e de outros elementos que não interessam para o trabalho e muito do que vem pela química industrial. 

O Astral tem nos ensinado muitos recursos para evitarmos o uso de cigarros industrializados no Templo. 

No reino vegetal, temos ervas de várias propriedades, que quando combinadas e ativadas (queimadas) tornam-se grandes condutores energéticos, descarregadores, energizadores e equilibradores. 

Então, seguem algumas receitinhas: 

Façam charutos para caboclos com as seguintes ervas piladas: sálvia, alfazema e calêndula, pode ser enrolada na palha, o caboclo aceita esta receita que é muito boa e funciona tanto quanto um charuto bom e natural, sem a química

Para preto velho, faça o fumo de cachimbo com sálvia, alecrim, folha de café e urucum. 

Para Exu, troque o cigarro comum por charutos ou cigarrilhas. 

Para Pomba Gira, troque o cigarro por cigarrilha. 

Temos a opção para Exu de pilar sálvia, cravo vermelho seco e levante, e para Pomba Gira podemos usar sálvia, hibisco e rosa vermelha. 

Cabe a nós facilitarmos o trabalho das entidades. 

Erroneamente, algumas pessoas acreditam que Exu tem que beber garrafas de "marafo" (álcool, água-ardente, pinga), assim como baianos e outras linhas, pensam que marinheiro "enche a cara" e vem embriagado, quando sua "embriaguez" é a energia e a vibração do mar que ele traz. 

Os Guias manipulam estas bebidas onde temos para elas o nome de "curiador" (a bebida correta para cada linha de trabalho), sendo assim: . 

Caboclos bebem cerveja ou água de coco; 

Pretos-velhos bebem café e, em alguns casos, já presenciamos utilizarem vinho; 

Crianças bebem guaraná e suco de frutas, mas também presenciamos algumas que tomam outros tipos de refrigerante;

Baianos bebem água de coco ou batida de coco;

Boiadeiros bebem cerveja escura; 

Marinheiros bebem rum, e alguns bebem cerveja clara; 

Exus bebem a "marafa" (pinga). Alguns bebem uísque ou vinho; embora não seja comum, já vimos alguns que bebem cerveja; 

Pombas-Giras bebem champanhe ou sidra. 

É imprescindível o "marafo" no trabalho de Exu, mas não para beber em demasia. 

A bebida é usada para manipulação magística, é colocada no ponto, na tronqueira, lavam os instrumentos etc. 

No caso de Exu, sua vibração é mais densa, por isso pode-se antes da incorporação passar um pouco de pinga nas mãos, pés, testa e nuca, assim o médium sentirá sua vibração baixar, facilitando a conexão da incorporação. 

Se numa determinada situação é preciso derrubar mais a vibração orgânica é quando possivelmente a entidade toma um golinho de "marafo". 

Dependendo do trabalho, pode ser preciso ingerir mais, com a intenção de manipular e canalizar esta energia, nada além disso. 

Uma outra função da bebida, muito usada pelas linhas da direita, é usá-la como o "contraste", usado pela medicina tradicional. 

Quando algum problema de ordem física está ocorrendo, eles magnetizam a bebida, tal como vinho, água de coco, água pura, batida etc., e pedem para o consulente ingerir uma pequena quantidade, aí eles conseguem visualizar outras coisas no organismo, é como um check-up mais apurado. 

Mas atenção: se tiver preto-velho virando garrafas de vinho, baianos matando litros de batida, então algo está fora da doutrina e da educação mediúnica. 

Umbanda é Luz, e onde não houver bom senso e ética, não tem Umbanda. 


             Cuidado! Você não deve ser umbandista!


 por Alexandre Cumino


Ser Umbandista é amar a Deus acima de todas as coisas! 


Ser Umbandista é amar a natureza e respeitá-la, pois Deus esta lá! 

Ser Umbandista é reconhecer que os Orixás são Potências de Deus, Divindades, que manifestam as qualidades do Criador de Tudo e de Todos! 

Ser Umbandista é ser amante da sabedoria, da virtude, da justiça e da humanidade! 

Ser Umbandista é ser amigo dos pobres, desgraçados que sofrem, que choram, que têm fome e chamam pelo direito de justiça! 

Ser Umbandista é querer a harmonia das famílias, a concórdia dos povos, a paz do gênero humano! 

Ser Umbandista é levar para o terreno prático aquele formosíssimo preceito de todos os lugares e todos os séculos, que diz com infinita ternura aos homens de todas as raças, desde o alto de uma cruz e com os braços abertos ao mundo:

 “Amai-vos uns aos outros, formai uma só família, sede irmãos!” 

Ser Umbandista é pregar a tolerância; praticar a caridade sem distinção de raças, crenças ou opiniões, é lutar contra a hipocrisia e o fanatismo! 

Ser Umbandista é viver para a realização da Paz Universal, tendo pelos encarnados o mesmo respeito que se dedica aos desencarnados! 

Ser Umbandista é ter uma crença religiosa sem tabus ou preconceitos, fundamentada na ética e no bom senso, sem ferir os valores dos bons costumes! 

Ser Umbandista é respeitar a máxima que diz “somos imagem e semelhança de Deus”, vendo Deus na presença do semelhante e em nós, através de nossas virtudes de Fé, Amor, Conhecimento, Justiça, Lei, Evolução e Geração! 

Ser Umbandista é reconhecer que as religiões são as chaves de Deus para abrir os corações dos homens e que são muitos corações, diferentes uns dos outros, assim como as religiões, mas que é apenas um o Chaveiro Divino, que está em todas as religiões! 

Ser Umbandista é dar de graça o que de graça recebemos! 

SE VOCÊ NÃO REÚNE ESTAS CONDIÇÕES, AFASTE-SE DA UMBANDA! 

Texto adaptado do original: “Cuidado! O Senhor Não Deve Ser Maçom”, publicado em “A Voz do Vale do Rio Grande”, Paulo de Faria, SP, em 04 de Janeiro de 1976 e de autor desconhecido. 

                                     O que é UMBANDA? 

por Alexandre Cumino

Umbanda é uma religião que prega as mesmas verdades e busca a mesma paz de espírito que todas as outras religiões. 

Em suas práticas o bom senso, o respeito, a ética e a moral são conceitos tão válidos e importantes quanto em qualquer outro segmento. 

Mesmo sabendo de que a Umbanda é religião nos vemos cercados por práticas que nada manifestam de religiosidade e outras que não fazem parte dos fundamentos de Umbanda. 

Pessoas desavisadas e outras de má-fé, que não podem ser consideradas Umbandistas, vivem de profanar aquilo que para nós é sagrado. 

Por isso colocamos abaixo alguns elementos, práticas e comportamentos que em nada refletem a religião de Umbanda. 


NÃO É UMBANDA! 


Trabalhos espirituais financeiramente cobrados – 

NÃO É UMBANDA! 

Assédio sexual e comportamento promíscuo – 

NÃO É UMBANDA! 

Falta de moral e desrespeito aos que procuram ajuda espiritual – 

NÃO É UMBANDA! 

Trabalhos de amarração e outros similares – 

NÃO É UMBANDA! 

Promessas de milagres e soluções materiais mirabolantes – 

NÃO É UMBANDA! 

Atalhos para evolução e iluminação, sem trabalho espiritual – 

NÃO É UMBANDA! 




UMBANDA É... 

“Umbanda é a manifestação do espírito para a caridade”

 “Umbanda é Amor e Caridade” “Umbanda é aprender com os mais evoluídos e ensinar aos menos evoluídos” 

“Umbanda é religião, como qualquer outra, mas com fundamentos próprios” 

“Umbanda é acima de tudo trabalho espiritual” 

“Umbanda é Fé, Amor, Conhecimento, Justiça, Lei, Evolução e Geração” 

“Umbanda é o UM, o Todo, com todos nós, a sua BANDA, suas partes” 

“Umbanda é sinônimo de Curador, Sacerdote e Médium” 

“Umbanda é o Templo onde habita Olorum e seus Orixás, junto de nós e nossos guias” 

Hino da Umbanda por J.M.Alves

Refletiu a luz divina Em todo seu esplendor 
Vem do reino de Oxalá 
Onde há paz e amor 
Luz que refletiu na Terra 
Luz que refletiu no mar 
Luz que veio de Aruanda Para Tudo Iluminar 

Umbanda é paz e amor 
Um mundo cheio de Luz 
É a Força que nos dá vida 
E a grandeza nos conduz 
Avante filhos de fé 
Como a nossa lei não há 
Levando ao mundo inteiro 
A Bandeira de Oxalá

ACADEMIA: TEXTO de Hermes de Sousa Veras

Dear Antonio, You read the paper " O CABOCLO FORTE TUPINAMBÁ Aparelhagem sonora, agência e religião em Belém do Pará "...