quarta-feira, 23 de maio de 2018

ATIVIDADE NO TEMPLO DE UMBANDA OGUM 7 ONDAS E CABOCLA JUPIRA

 Umbanda - Orixá Essência Divina - Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira

Próxima Gira – Dia 26/05

by cristinatormena
Nosso  Feminino Sagrado:     Hoje dia das avós, saúdo as minhas antepassada...
É com grande alegria que convidamos nossos consulentes e amigos para mais uma gira em nosso terreiro.
Estaremos trabalhando com nossas queridos e amados Pretos Velhos, nossas amados falangeiros de Oxossi,  nossos valorosos e alegres  Baianos.
Teremos palestra as 18Hs.
Onde estaremos abordando o tema - Quando menos é mais e quando mais é menos. 
Nossa gira estará se iniciando as 
19Hs se estendendo por volta das 
22:30Hs.

Estamos localizados na cidade de Santo André, no bairro Recreio da Borda do Campo, na rua: macaco prego, 11 – Tel: 4452-8000.
Maiores informações poderão ser feitas através do facebook, de mãe Cris:  https://www.facebook.com/cristina.alves.9085
Gratidão, Paz e Luz a todos

Ame a Si Mesmo, Respeite-se e Valorize-se, e Todos Vão te Amar!


É fácil ficar preso em um mundo no qual nossa atenção está focada em todos e em tudo menos em nós mesmos. 
Sempre nos disseram que é preciso amar e ser amado, e para falar a verdade, isso é realmente essencial em nossas vidas. 
No entanto, embora isso seja o correto e o melhor a ser feito, raramente nos dizem que devemos ser fiéis a quem somos, para que também possamos nos proteger. 
Essas valiosas lições de vida garantem que podemos ter amor, fé, gratidão, dentre outras qualidades, mas sem sacrificar a nós mesmos e nunca deixar de observar quem realmente somos.
 
palavras de autoestima e amor

palavras de autoestima e amor

palavras de autoestima e amor 
palavras de autoestima e amor 
 
palavras de autoestima e amor

 
palavras de autoestima e amor

MENSAGEM DE MÃE CRISTINA ALVES - Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira

Quando menos é mais, e quando mais é menos. Nos bastidores de Umbanda.

Ayahuasca
Insira uma legenda
Está ai uma questão que deveria ser observada com muita cautela e mais atenção nos terreiros, tanto pelos dirigentes quanto pelo corpo mediúnico, parece uma questão fácil mais acreditem não é, tudo que envolve ego nunca é fácil de lidar, a dosagem, como acertar o ponto, a medida certa.
Algo tão complexo,  que ao mesmo tempo deveria ser algo simples no dia a dia da rotina de um terreiro.
Acredito que muitos médiuns já ouviram de várias entidades e guias a seguinte frase:
“Eu não preciso de muito, uma vela e um copo d.água já me é suficiente”.
Resultado de imagem para uma vela e um copo d.água
Pois eu garanto a vocês, que muitos não acreditam nessa máxima, até a pronunciam, mas em seus íntimos não botam fé.
Por detrás dessa frase tem um ensinamento maravilhoso, humilde e sábio.
Alguns médiuns se apegam a roupagem, a aparência, se apegam a fantasia, a vaidade. Vou citar apenas alguns pontos porque um texto não daria para englobar tudo.
Aparência: quantas vezes já não fomos em festas em terreiros, e nos deparamos com entidades vestidas luxuosamente, e ficamos embabacados? pois é, seria até compreensível se não tivéssemos tratando de questões envolvendo espiritualidade e mediunidade, muitos as vezes chegam num terreiro e se deparam com uma pombogira mais simples e humilde, e já pensam: credo, que pombogira maltrapilha, que médium relaxado, como se o hábito fizesse o monge, julgam a aparência, e não se de fato tem ali um guia ou não de verdade.
Certa vez fui numa festa de exú, uma pombogira mais luxuosa que a outra, do nada um pai no santo chega, dá passagem para sua moça e vai se trocar, quando ela volta, o terreiro parou literalmente, ela estava toda vestida de branco, com um pano estilo um morim branco, sem um brilho, lhes garanto que não teve pombogira mais bela, e pasmem era uma Maria Padilha.
Resultado de imagem para quando menos é mais espiritualidade
Sabe porque ela chamou tanto a atenção? porque seu médium fez a roupa que ela realmente queria, sem excessos anímicos, sem fantasia, sem sugestão, ela saiu do contexto mostrando que quando se tem guia de verdade a roupa pouco importa, a sua essência se destaca. 
Vou aplicar outro exemplo, alguns terreiros carregam fundamentos quanto a paramentos, caboclos com seus cocares e penachos, Oguns com suas capas e espadas, Quantas vezes vemos em algumas casas cocares e penachos que parecem que estão competindo quem tem o maior?
Será mesmo que seus caboclos pediram seus apetrechos com tanta vaidade e ostentação? isso na grande maioria é coisa de médium que quer se aparecer. Já vi médium simplesmente ir e escolher o cocar e nem perguntar ao seu guia qual ele quer de fato, dentro de minha tradição só se pega o penacho ou cocar depois de tempo de chão de terreiro, e da coroação de guiné.
Eu confesso que quando vejo um médium muito fantasiado já fico literalmente com um pé atrás, porque guia nenhum de Umbanda incentiva e motiva questões de vaidade e ostentação, isso foge dos conceitos que envolve a religião Umbanda.
Mais tomem muito cuidado para não confundirem simplicidade com relaxo, mal gosto, e displicência. Tudo que for fazer para um guia tem que ter amor e carinho e principalmente capricho.
Essa questão aplica: QUANDO MENOS É MAIS E QUANDO MAIS É MENOS.
PONTOS RISCADOS: tem coisa mais linda que um lindo ponto riscado? não.
Um ponto de fundamento de um guia verdadeiro em terra é lindíssimo de se ver.
Mas… alguns médiuns tem usado disso para querer se aparecer, um ponto não precisa ser gigante daqueles que tomam metade do terreiro, não precisa ter todas as chaves e trancas, um ponto riscado tem que ter essência, fora também alguns casos de médiuns que riscam pontos que copiam da internet, de livros etc.
Tem médium que se você chegar nele e perguntar para o guia em terra, meu pai, por favor me explique seu ponto, vai se enrolar mais que carretel de linha, porque nem eles sabem o que estão fazendo.  Momentos assim é constrangedor, porque o médium fica numa situação muito feia dentro do terreiro e aprende uma lição muito difícil.
Uma vez ouvi: mas vale uma flecha riscada de um guia verdadeiro do que um ponto riscado todo cheio de símbolos e não ter guia nenhum ali. Para refletir. 
Se as pessoas soubessem o quanto é sério o riscar de um ponto, não ficavam brincando com isso, um ponto riscado errado pode atrair energias contrárias a sintonia de um determinado médium, trazendo sérios prejuízos a ele mesmo, tanto físicos quanto espirituais.
QUANDO MENOS É MAIS E QUANDO MAIS É MENOS.
BLOQUEIOS ANÍMICOS: Existem guias que falam demais, chamam a atenção demais, por outro lado há aqueles guias, que parecem uma estátua no terreiro, não falam, não dançam, não pedem nada, não riscam ponto, não pedem uma erva.
Isso é até compreensível no início do desenvolvimento agora depois de anos? opa tem algo errado.
Há sim guias mais quietos, sérios, mas todos nossos guias dentro de uma corrente são ativos, na hora de um atendimento sabem trabalhar, sabem receitar uma erva, riscar um ponto devidamente, sabem seus nomes na ponta da língua, não titubeiam.
Mas porque isso acontece as vezes com médiuns até promissores? porque tem médiuns que seus excessos anímicos acabam provocando uma certa ansiedade, uma precipitação, uma agitação, por outro lado há médiuns que esse mesmo excesso anímico, faz com que eles se travem, acabando por atrapalhar a manifestação de seus próprios guias,  MEDO. Isso é muito comum acontecer em médiuns que são conscientes e se sentem inseguros na hora que estão trabalhando e outros sentem seguros demais da conta.
Um bom médium sabe que precisa sempre estar estudando se aprimorando, para que como instrumento da espiritualidade, cada dia fique mais afinado.
A palavra é EQUILÍBRIOCALMA E CONCENTRAÇÃO,  tem médium que monta no guia e não o guia monta nele, por outro lado tem guia que tenta pegar o médium e o médium fica com tanto medo de errar que parece quiabo, escorregadio, e em ambos casos o médium sofre tanto por excesso como pela falta de confiança.
Existem guias que tem suas roupagens típicas, que mudam de uma manifestação a outra mas não exageradamente, um preto velho por exemplo não vem em terra parecendo um furação, um caboclo por mais quieto que seja ele não vai ficar uma gira toda estatelado num canto sem sair do lugar, cada guia tem seu estereótipo, sua roupagem, mas quando essa roupagem está com excessos ou falta está ocorrendo excesso anímico.
Um guia não precisa competir por atenção e mérito, um guia sabe quem deve respeitar dentro do terreiro, tem postura e conduta e ponto.
Guias que usam as pessoas como degrau no intuito de querer se aparecer, há excesso anímico, para um guia ficar mais ostensivo dentro de um terreiro ele deve ter motivo sério, caso contrário isso não acontece por mais sério e rígido doutrinariamente esse guia seja.
Essas questões só são corrigidas com orientação doutrinária.
QUANDO MENOS É MAIS E QUANDO MAIS É MENOS.
TERREIRO NÃO É SHOW CIRCENSE – quando se tem um guia de verdade em terra, ele não precisa ficar se auto provando que é guia, quando vemos médiuns manifestados com seus guias, fazendo apresentações, existe algo muito errado com esse médium, ou aquele guia não é uma entidade confiável e verdadeira.  Certa vez vi um médium que me dava dó do que a entidade fazia, ela se espetava com agulhas, queimava os pelos do corpo, comia bichos etc, ai você vê uma cena assim e se pergunta, por que tudo isso? por que essa entidade está fazendo isso? afinal para provar o que a quem, acreditem muitos médiuns fazem isso consigo mesmo para se auto provar ou para querer mostrar uma força mediúnica que não possuem.
Mal sabem esses médiuns, que muitos que presenciam isso no lugar de dar o famoso ibope, ficam horrorizados, sim o feio também chama a atenção. E nem sempre o IMPRESSIONAR É POSITIVO.
Sabemos que há entidades que fazem coisas de cair o queixo, mas quando isso se torna algo espetaculoso, onde a tal entidade chama público para assistir, tenham certeza que ali tem tudo menos um guia de verdade. Ou é mistificação direta ou indireta, ambas extremamente danosas para os próprios médiuns que as cometem.
Então tomem cuidado com julgamentos, onde você pode achar que não tem um guia, TEM, e onde você acha que tem NÃO TEM.
As pessoas são muito focadas em aparência, algumas pessoas ficam simplesmente embabacadas, volto a dizer guias quando manipulam elementos o fazem naturalmente, não possuem objetivo de chamar a atenção de seu ninguém.
Eu já tive oportunidade de ver guias fazendo coisas extraordinárias que fogem completamente do racional,  já vi exú zangado, de dar medo de chegar nele, salvar uma pessoa enfeitiçada e desenganada por médicos, e quando se manifestou as pessoas fizeram caras e bocas pela sua roupagem e essa entidade vir dar prazo e fazer e cumprir.
As pessoas infelizmente, isso é algo humano ok, tendem a julgar precipitadamente.
Como conheci um dirigente velho no santo, que foi num terreiro e julgou a manifestação de uma médium idosa, e ter a maior prova de fogo da sua vida, de um caboclo que provou para ele que ali tinha guia de verdade. Esse dirigente foi marcado por uma bola de fogo extra física, e carrega essa marca até hoje em sua fronte. Achou que por uma médium ser bem velhinha não havia um caboclo de Oxossi ali.
TAREFAS, PARTICIPAÇÃO, PRESENÇA: está ai uma questão que todo dirigente sofre no seu dia a dia, em todo terreiro tem os médiuns “pé de boi”, médiuns sensacionais, participativos, cooperativos, amigos, leais, que chova ou faça sol estão ali, firmes e fortes. E tem aqueles que são fantasmas na casa literalmente, que aparecem quando está tudo pronto e feito.
Tem médiuns que são tão focados na rotina do terreiro, que nem gostam de dividir tarefas, são ciumentos natos, nem palpites aceitam quando pegam algo para arrumar, eles pegam tanto amor no que fazem que não aceitam ninguém triscar. De um lado é ruim porque acabam minando a participação de outros médiuns, mas de outro é compreensível porque a grande maioria quando não tinha ninguém para executar a tarefa eles estavam ali, firmes e fortes em seus desempenhos.
Há os fantasmas, que são aqueles médiuns que se o dirigente alerta sobre algo que tem que ser feito no terreiro são os primeiros arrumar desculpa, doenças, trabalho etc. E quando vem para fazer, são um desastre completo, deixam todo mundo doido, desatentos, fazem as coisas sem atenção e capricho, não vendo a hora de ir para suas casas, fazem tudo as pressas. Só quem vive no dia a dia sabe como é difícil lidar com médiuns assim.
Só uma dose extra de rivotril para não ter um colapso nervoso kkkkk. Brincadeiras a parte, esses médiuns devem ser trazidos a realidade do dia a dia do terreiro, com diálogo, com disciplina, com direcionamento, alguns  com o tempo vão se moldando, outros só em outra vida. Infelizmente.
Resultado de imagem para quando menos é mais.
EMPATIA: para finalizar vamos falar de um outro problema como é difícil ser coração de manteiga nesses dias atuais, onde se falta ética e respeito. Se o dirigente é bom demais ele com o tempo acaba sendo usado pelos médiuns, e desrespeitado em sua autoridade dentro do terreiro, porque acreditem, tem médiuns que abusam da bondade de seus dirigentes, fazem atitudes erradas, uma, duas, três, quatro e assim vai e quando o dirigente CANSA E DÁ UM BASTA, o dirigente não presta mais, me tirou do terreiro, foi ditador e autoritário, só que ninguém para e pensa o quanto certos dirigentes engolem de sapo de médiuns sem comprometimento, seriedade, idoneidade. É tal coisa quando uma das partes cede demais a outra abusa.
Por outro lado temos os médiuns que se tornam o bombril da casa, cozinham, lavam, passam, limpam o terreiro, tomam chingo, pito de dirigentes que as vezes nem são do terreiro, são submissos, passivos ao extremo.
O que começa como um auxílio, um carinho e amor e dedicação ao Orixá e aos guias se torna uma obrigação, onde você não pode mais se recusar a fazer. Caso contrário sofre as consequências.
Eu uso um exemplo da seguinte forma se você pegar um cachorro manso, doce, prendê-lo na corrente e todo dia for lá, e dar uma paulada nele, deixar ele com sede e fome, um dia a natureza dele se transforma e ele vai te avançar e morder, instinto de sobrevivência.
Assim acontece com alguns filhos que são usados como pano de chão no terreiro, só servem para servir. Não que servir seja algo negativo, porque aquele que serve é uma pessoa prestativa.
Mas infelizmente alguns médiuns só são visto como empregados do terreiro, eles não recebem um elogio, um por favor, um obrigado, um abraço, nada. E quando dão um basta, são ameaçados, expulsos, humilhados são tratados pior que cachorro, porque deram um NÃO.
Infelizmente tem pai e mãe no santo que não sabe que joia rara  tem em seu terreiro e não dá o devido valor e quando perdem, ai sim vão lamentar, porque é sempre assim só se dá valor quando perdem.
É uma coisa que tive que aprender também da pior forma, é um aprendizado complicado, pessoas boas demais são consideradas tontas e são abusadas por isso. E acreditem bondade demais para quem não merece custa caro.
Resultado de imagem para puxa saquismo frases
Só muita prudência para que essa prestação e auxílio na casa, não venha como degrau, como puxa saquismo usando uma falsa aparência para tripudiar sobre os demais.
Volto a dizer:
Reflitam sempre,  quando o menos é mais e quando mais é menos. 
Porque irá ter situações, momentos que o menos será sempre mais, e o mais será sempre menos.
Parem agora e reflitam, onde seu mais tem sido menos, e onde seu menos tem sido mais. O que você tem para melhorar e reformar?

Enfim espero que esse texto ajude a todos a serem pessoas e médiuns melhores no seu dia a dia.
Paz e Luz a todos.
Cristina Alves
Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira.

Centro de Iluminação Nosso Lar: Trabalho de Ciganos - Homenagem a Santa Sara Kali

Centro de Iluminação Nosso Lar: Trabalho de Ciganos - Homenagem a Santa Sara Kali: Sábado - 26.05.2018 - 17:00 Com a alegria e magia dos  ciganos e ciganas  em um ambiente sempre festivo, prestamos nossa homenagem a  ...