sexta-feira, 29 de setembro de 2017

CONGÁ

Umbanda, CURA?

Alexandre Cumino ministra palestra na USP sobre Processo de Cura na Umbanda

Programa de Saúde, Espiritualidade e Religiosidade – ProSER do Instituto de Psiquiatria – IPq da FMUSP realizou nesta terça-feira (26/09) reunião que buscava debater sobre a relação existente entre espiritualidade e religiosidade no tratamento da saúde mental.
O objetivo do evento é reunir trabalhos expressivos acerca dessa temática, que contribuam para o crescimento e afunilamento dos estudos e pesquisas que consideram a crença particular de cada pessoa um importante fato a ser esmiuçado durante o tratamento psiquiátrico.
Na ocasião estiveram presentes diversos expoentes desse ramo de pesquisa já consagrados no ambiente acadêmico da medicina nacional, dentre eles o Coordenador do ProSER Prof. Dr. Frederico Camelo Leão e o vice presidente da Associação Espírita Médica, pesquisador sênior do Hospital Israelita Albert Einstein e professor de pós-graduação no IPq da FMUSP Dr. Mario Fernando Prieto Peres.
Mesmo levando em consideração as crenças individuais de cada usuário o proSER não tem como objetivo disseminar uma vertente religiosa, adotando em seus trabalhos uma postura cientificista e desvinculada de religiões em seu particular. Contudo, é ainda por meio do programa que a forma mais expressiva de assistência, estudo, pesquisa e geração de informações, acontece no cenário da psiquiatria e neurologia atual.
Dentre as metas do proSER estão a investigação do impacto da espiritualidade e religiosidade na saúde mental de pacientes do centro, a promoção de atividades terapêuticas que promovam o contato com a espiritualidade, assistência às necessidades e conflitos espirituais e religiosos e sua relação com a saúde mental, desenvolver pesquisas na interface saúde mental, espiritualidade e religiosidade e promover ensino a alunos, residentes e profissionais da área de saúde sobre a relação saúde e espiritualidade.
Representando a religião e à convite da psicóloga, umbandista e membra do ProSER Andreia Guimarães, o Sacerdote e escritor umbandista Alexandre Cumino proferiu palestra sobre o Processo de Cura na Umbanda onde elucidou as conjecturas existentes entre a crença umbandista e como isso é refletido e influencia fortemente na saúde mental de seus adeptos.
A forma como cada pessoa se relaciona consigo mesmo, seu autoconhecimento, a crença na cura espiritual em conjunto com a médica, a meditação dentre outras questões foram levantadas ao decorrer da exposição.
Cerca de 50 pessoas participaram da palestra (dentre eles representantes de outras congregações religiosas) que durou cerca de 1h30m.

Texto:
Júlia Pereira

De segunda a sexta: ervas para banhos de acordo com o dia da semana

A seleção a seguir sugere ervas que podem ser usadas nos banhos ritualísticos e estão separadas por dia da semana levando em consideração os Orixás que tem maior vibração em tais dias. Por exemplo, na segunda-feira a regência é de Mãe Nanã Buruquê, por isso as ervas da Orixá são uma ótima opção para começar a semana!
O intuito é de indicar ervas – viáveis para a realização dos banhos – que contribuam para manter o equilíbrio energético, propiciar a cura e ativar o ânimo da semana. 
Combine-as ou use apenas uma, não há restrições quanto a isso. As ervas dispostas no texto são de caráter morno ou equilibradoras (saiba mais em: como a alfazema age em meu corpo espirituale desde que usadas com bom senso podem ser empregadas no intervalo mínimo de 24 horas.
“O que é importante lembrar é que a regra de bom senso deve prevalecer sempre. Nem exagerando, nem deixando a desejar [..] Percebendo-se a necessidade de energia, renovação das forças, ânimo, vontade, raciocínio, enfim, podemos usar essas ervas.”
Adriano Camargo, O Erveiro da Jurema
SEGUNDA-FEIRA 

Para começar bem a semana a alfavaca é uma boa pedida. Nesse dia também podemos incluir na lista o hibisco e a camomila, sendo a primeira concentradora de vibrações de cura e ânimo e a segunda uma forte energizadora do sistema imunológico, que por sua vez, também age como regenadora de ânimo. Já a camomila como erva acalmadora é ótima para banhos, defumações e escaldar pés, e por conter o aspecto tranquilizador do campo astral sugere-se que o banho seja feito antes de dormir, diferente do hibisco que é aconselhável que se faça pela manhã.
TERÇA-FEIRA
Cipó caboclo traz para a terça-feira a firmeza de propósito e é indicado para banhos que evocam a concentração, os “pés no chão”, a segurança, a direção e a proteção. Outra erva para esse dia é o poejo que evoca para a semana a boa sorte e a atração pessoal unindo isso a sua ação concentradora.
E para quem quer dar um “up” na semana, o hortelã e todos os tipos de menta, são ótimos para abrir caminhos, levantar o astral e atuam em todos os sentidos da vida.
QUARTA-FEIRA
Abre-caminho, Calêndula, Gengibre, Girassol, Laranja, Limão, Losna, Manjericão Roxo, Pitangueira, Romanzeiro êta dia bom pra ter erva dedicada aos orixás que as regem ein!
Bom meio da semana e já tá todo mundo na expectativa do final de semana.. a canseira da segunda e da terça também estão batendo a porta. Para manter o foco na semana e garantir a energia necessária para termina-la bem, a indicação de banho com a abre-caminho é um sucesso!
Melhoradora de ânimo para a solução das dificuldades do dia a dia a erva viabiliza o foco no aproveitamento das oportunidades, que passam desapercebidas em meio as conflitos cotidianos.
Seguindo a lista, temos a: calêndula que pode ser usada para melhorar a apatia, as folhas do gengibre que estimulam a energia individual e as pétalas de girassol que revigoram a “vontade de viver” da pessoa apatizada.
Já as folhas da laranjeira produzem a “água de flor de laranjeira” que é um potente tranquilizador de ambientes e seguindo essa linha também temos o limão que como no banho de laranjeira usa-se apenas sua folhas durante a feitura. A ele se atribui o aspecto de desenrolar situações difíceis.
Direcionadora e movimentadora de energias de pessoas e ambientes, a Losna é usada em banhos e defumações. Precisa tomar uma decisão? a pitangueira quando ativada auxilia a encontrar um melhor caminho e solução do problema em questão.
Por fim, citamos o popular romanzeiro ao qual utilizamos as folhas frescas para os banhos de prosperidade.
QUINTA-FEIRA
Alecrim.. a icônica erva do ponto de defumação também é uma forte equilibradora e traz consigo os aspectos rejuvenescedores, alegres e de iluminação do espírito.
Chegamos na quinta nos questionando sobre o que realizamos durante a semana e para abrir nossa visão sobre nós mesmos nada melhor do que a Artemísia. “O banho de artemísia ajuda na necessidade de autoanálise e consequentemente na solução da necessidade ilusória.” (Rituais com Ervas – banhos, defumações e benzimentosEd. Livre Expressão. Camargo, Adriano).
Bom nesse dia da semana as indicações de uso também são extensas e pode se utilizar na feitura dos banhos as folhas de café, o capim-cidreira, as folhas de incenso, as folhas de louro e as folhas de mangueira.
Lembrando que essas ervas se relacionam com os orixás que regem esse dia da semana, você pode realizar o banho com apenas uma ou combina-las de acordo com o seu campo de atuação.
SEXTA-FEIRA
Aceitação e compreensão de perdas, hoje é o dia da alfazema fazer seu trabalho trazendo a pazque nosso espírito precisa para a resolução de problemas pendentes. Irmãos, banho de alfazema além de bom para a alma é um maravilhoso perfume natural!
Para a sexta também temos uma erva de mãe Iemanjá. O anis-estrelado vai te ajudar no sentido das decisões que precisam ser tomadas com rapidez, tem algo que precisa ser resolvido com certa urgência e necessita da sua intuição para o desenlace? o banho de Anis vai agir no seu chacra coronal trazendo o equilíbrio e a luz necessários para que você chegue a uma resposta tranquila.
Para a sexta também separamos uma erva que vai ajudar quem não está bem de saúde. Grande harmonizador dos chacras, o manjericão é uma erva pertencente a todos os orixás e uma das mais utilizadas no meio religioso.
Para fechar nossa semana temos a erva que é oferenda natural para Oxalá e Iemanjá.., a rosa branca potencializa a mediunidade e é magnetizadora de tranquilidade, por isso, para médiuns o banho da erva age como um facilitador dessa faculdade.



Nada impede que você use as ervas de um dia em outro, como dito a ordem disposta se relaciona com o Orixá que vibra com maior intensidade no dia e por sua vez que rege o tipo de erva descrito.
Na hora da escolha, atente ao seu objetivo e a funcionalidade que cada erva traz, até porque algumas dessas ervas são regidas por vários Orixás, transitando entre os dias. Foque no seu objetivo, se arme de intuição e sirva-se das dicas aqui propostas 🙂

Umbanda, minha vida! Mestre Diamantino Fernandes Trindade

Exu na gira de crianças

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

O que Batismo na Umbanda??????


BATISMO NA UMBANDA


É muito comum médiuns umbandistas serem batizados sem nenhum tipo de consciência sobre o que significa esse sacramento. Pais e Mães espirituais batizam seus filhos sem prepararem ou explicarem o que significa esse ritual, assim como é comum vermos médiuns trabalhando há anos em seus terreiros com várias confirmações religiosas, mas sem terem sidos batizados ou convertidos para a Umbanda, religião que comunga, ama e pela qual se dedica.
O Batismo é o mais importante sacramento para qualquer religião, e isso é tão claro que percebemos com facilidade o quanto as religiões de forma geral incentivam, divulgam e trabalham em prol do batismo entre sua comunidade e seus fiéis, algumas inclusive chegam a exigir tal sacramento.
É fato que existe hoje em dia um movimento de valorização da Umbanda, mas será que as principais regras ou atos litúrgicos estão sendo cumpridas? Será que os fundamentos básicos e iniciais estão sendo preparados? Será que o Batismo ou a Conversão Religiosa, sacramentos fundamentais para todo Ser que dão “vida ao Espírito”, estão sendo realizados nos terreiros com total consciência, responsabilidade e beleza?
Assunto para se pensar não acham?
Tem um ponto muito bonito em nossa Umbanda que diz “a Umbanda tem fundamento é preciso preparar…”, portanto é preciso trabalhar, estudar, organizar, estruturar e REALIZAR A UMBANDA. É preciso transmitir a Graça Divina, satisfazer as necessidades, nutrir de fé e de Sagrado cada fase da vida, evitando assim que os médiuns umbandistas procurem outras religiões para realizarem determinados ritos e sacramentos.
É preciso realizar belíssimos batismos, emocionantes conversões, maravilhosos casamentos, grandiosos rituais de amaci tudo com muito AXÉ, FUNDAMENTO e AMOR. É fazer com que esses sacramentos se tornem inesquecíveis a qualquer um, seja para os convidados, para o médium, para o Terreiro, para os Pais de Santo e claro, para toda espiritualidade que engrandece, vibra e agradece ao término de cada ritual.
E para que esse assunto não fique só na ‘boa vontade’, coloco um pouco dos fundamentos básicos que envolvem o Ritual de Batismo em Nossa Umbanda, esclarecendo que cada Terreiro acrescenta suas particularidades ao ritual, o que não tem nada de errado, mesmo porque isso acontece de acordo com a Linha e o Orixá que comanda esse Terreiro.
BATISMO
É um rito de passagem, feito principalmente com água sobre o iniciado através da imersão, efusão (derramamento) ou aspersão (borrifo). Segundo o Dicionário Aurélio, o termo batismo vem do grego, baptismós, que significa mergulhar, em latim, baptismu. É um sacramento religioso onde através da imersão, da ablução (lavagem) ou simplesmente da aspersão (borrifo) de água significa um renascer espiritual.
A origem deste sacramento é tão antiga quanto a humanidade. Cada povo, de uma forma ou de outra, sempre teve seu ritual iniciático. Na Igreja Católica, por exemplo, o Batismo liberta do pecado original e regenera o Ser tornando-o membro de Cristo. Portanto, após o Batismo aquele membro incorpora a Igreja e é feito participante dela.
O BATISMO NA UMBANDA
É realizado para revestir o espírito e o mental do Ser com uma aura protetora semelhante a proteção divina que o espírito recebe ao reencarnar. É a “entrada” do espírito na dimensão religiosa da Umbanda, é quando o médium se torna Filho de Olorum e seguidor de Pai Oxalá, passando a fazer parte de seu “exército branco”.
Ele é o primeiro e o mais importante Sacramento, pois é a porta de entrada para o recebimento das bênçãos divinas e dos demais sacramentos. Pelo batismo, a pessoa é incorporada à Umbanda, passando a ter os direitos e deveres próprios da religião. É um cerimonial litúrgico poético, santificado e participativo da vida divina onde preces, toques, cantos e atos litúrgicos específicos compõem a linguagem expressiva e encantadora de nossa religião.
O ritual pode ser praticado dentro do próprio terreiro, como também na cachoeira, local de vibração pura de Mãe Oxum, mãe e protetora de todos os filhos de Umbanda e Senhora das Águas Doces. Pode-se também, por orientação do Chefe da Casa, ser realizado na praia, consagrando assim, os filhos a Iemanjá. No entanto é indispensável a água da cachoeira que tem o poder de limpar, purificar e alimentar nosso espírito e quando jogada ou aspergida na coroa, chacra coronário, faz a purificação desse chacra e ativa-o promovendo uma unificação com as forças espirituais superiores além de fortalecer, equilibrar e alimentar nossa alma com vibrações puras e harmoniosas.
Há ainda o cruzamento com a pemba, ato sagrado que coloca o Ser sob a ação da Lei de Pemba da Umbanda, lei que sustenta e conduz nosso espírito. Com esse ato também se cruzam os chacras, vórtices captadores e irradiadores de energia, fechando-os às energias negativas e ligando-os à supremacia espiritual, ativando-os assim à entrada de energias positivas e benéficas.
A banha de ori que é colocada no centro do chacra coronário, coroa, tem o poder de fazer a ligação com o Astral Superior formando um canal Divino que auxiliará o médium em qualquer momento, precisando somente, que ele eleve seus pensamentos para ter o auxilio necessário. A banha de ori é também chamada de limo da costa e é uma substância gordurosa extraída da glândula supra-renal do carneiro, também existe a banha de ori vegetal que é extraída do fruto de Karité, árvore encontrada somente na África e seus frutos guardam poderes místicos.
A vela batismal que é acessa simboliza a luz, o ‘espírito vivo’, que deve ser entregue ao batizando para que se lembre da luz que o acolheu e que sempre o acolherá.
Na Umbanda ainda, mais que padrinhos encarnados, contamos com o amparo dos Guias Espirituais e/ou Orixás que se manifestam na hora da consagração adquirindo a guarda desse médium. Momento mágico e divino que exprime a verdadeira realidade do amor, da bondade e da benevolência, superando qualquer sentimento.
Reunião de Batismo (ritual a ser realizado dia 22/10/17)
dia 01/10/17    –   às 19:30hrs

por Mãe Mônica Caraccio

Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade: FEITIÇO EVOCANDO OS ORIXÁS?!?

Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade: FEITIÇO EVOCANDO OS ORIXÁS?!?:         É possível o enfeitiçamento para prejudicar um indivíduo evocando o poder de realização dos Orixás?          Diante o cresciment...

Tira Dúvidas nº 208

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

ATIVIDADES A SER REALIZADAS NO CENTRO DE ILUMINAÇÃO NOSSO LAR !

              Centro de Iluminação Nosso Lar


Posted: 25 Sep 2017 01:37 PM PDT

Sábado
07/10
17:00
Trabalho de Caboclo com Xamanismo, Pajelança e Homenagem a Xangô
O poder de cura e equilíbrio com as ervas, reiki e demais instrumentos e técnicas xamânicas, orientados pelo axé e energia dos caboclos.
Homenagem a Xangô, orixá dono da casa, responsável pela justiça e vitórias sobre as dificuldades.

Quinta
12/10
17:00
Festa de Cosme e Damião com Homenagem aos Orixás Ibejis e Oxum
Festa para as sagradas crianças com muito doce e diversão, concentração de energias para alegria, fertilidade e saúde
Homenagem ao Orixá Ibejis, responsável pela alegria, pureza e felicidade, nos mostra a criança existente dentro de nós.
Homenagem a Senhora do amor, das águas doces, da vida e do ouro, Oxum!

Sábado
21/10
17:00
Trabalho de Prosperidade (Exu e Pomba-Gira)
Trabalho com os Guardiões (Exu) e Guardiãs (Pomba-Gira), voltado para proteção e conquistas tanto materiais quanto amorosas.
Limpeza com Marinheiros ao final deste trabalho.

Sábado
28/10
17:00
Festa Cigana
Os espíritos ciganos com muita magia para atrair sorte, amor e prosperidade. Leitura de oráculos, dança e muita alegria.

FEITIÇO EM NOME DO ORIXÁ

Webinário #57 - Defesa Espiritual - parte 2

Simpatias, Benzimentos, Banhos, Ervas e Chás com Pai Joaquim.

Pai Joaquim - Ensinamentos de Ervas e Benzimento.

Caboclos desenvolvedores - Live c/ Norberto Peixoto.

TiraSobre Cosme e Damião !- 26-09-2017

Novo Curso Online: DEFESA ESPIRITUAL UMBANDISTA

SALVE NOSSA IBEJADA !

Gira de MILAGRES

cosme


Chegou o dia… a Festa está sendo preparada…
Siiimmm… a Festa de Cosme e Damião com terreiros doces, cheirosos, coloridos, cheios de pureza e encanto transformam nossas vidas. Um dia de milagres, magia, amor, alegria e fé!!! Um dia marcante para todos aqueles de bom coração… Salve, salve os Erês, Salve Ibeji! “Salve Nossas Crianças”…
As Forças Superiores que se manifestam na Linha das Crianças, Linha de Yori ou Linha de Ibêji costumam ter nomes típicos de crianças brasileiras, como Rosinha, Mariazinha, Ritinha, Pedrinho, Paulinho, Vítor, Cosminho, como também recebem nomes ligados ao Orixá regente do médium como, por exemplo, Pipocão e Formigão para os filhos de Obaluaiê; Pingo Verde e Folhinha Verde para os de Oxóssi; Rosinha para os de Oxum; Conchinha Dourada para um de Iemanjá. Estas crianças possuem as características do elemento em que atuam: se trabalham sobre a influência do ar, são alegres e expansivas; sendo do elemento e Linha do fogo, são irritáveis facilmente; da terra, são caladas;  já as das águas sob a Linha de Yemanjá ou Oxum, são carinhosas e melodiosas no falar.
Essa Linha de trabalho – os Erês –  que se manifesta alegremente dentro de nossa Umbanda distribuindo sorrisos, balas e esperança é uma das poucas Linhas que consegue dominar a Magia na sua essência natural e muitas vezes de forma extremamente imperceptível. Isso fica claro quando observamos que as formas, um tanto quanto peculiares, de suas incorporações nada mais são que ações mágicas capazes de exercer funções específicas no médium, no Terreiro e em toda a assistência. As incorporações de forma alegre, dançante, os pulos, os cantos e até os choros, são ações de descargas energéticas, de equilíbrio emocional, de cura etérica, além, é claro, de estimular a alegria interna das pessoas, assim como o espírito infantil de cada um. Aliás, o espírito infantil, já que não é mantido, deveria ser a verdadeira busca das pessoas, assim todos poderiam encontrar a tão desejada alegria de viver. Basta observarmos que uma criança não mente, não tem maldade acredita nas pessoas, não carrega mágoa, acorda sempre feliz e brinca com tudo, sem dúvida, isso é viver em felicidade e harmonia plena.
Sabemos que poucos são aqueles que dão a devida importância às giras onde o trabalho acontece com a Linha de Crianças. Com suas balinhas “melecadas” e falas infantis, recebem pouca valorização por parte da assistência que vê essas entidades como sendo ‘apenas crianças’ que não têm capacidade de ajudar em seus problemas. Percebemos até mesmo médiuns cheios de vergonha e preocupados com o que os outros irão pensar vendo-o, por exemplo, com o dedo na boca e falando errado. Além, é claro, de descaracterizar a figura autoritária e machista que muitos homens impõem às pessoas em sua volta, mexendo com o ego e a vaidade. Tudo isso é uma pena, pois atrás dessa vibração infantil se escondem espíritos de extraordinário conhecimento, sem contar a força pura da natureza que é capaz de envolver o íntimo de qualquer pessoa, afinal é impossível conter os risos diante das palavras e atitudes dessas crianças, o que, mais uma vez, é puro ato de magia transmutadora e transformadora.
É com o Doce e com a Magia que essas Forças Espirituais elevadíssimas nos envolvem e nos auxiliam, regeneram o corpo astral e adoçam nosso espírito. São grandes conselheiros e curadores, não se calam diante de nossos erros quase sempre caracterizado pelo nosso mau humor e impaciência. Com certeza é uma Linha fenomenal, MILAGROSA e para compreendê-la ou manifestá-la, só com muita pureza e amor no coração.
Aproveite o dia, a energia, a vibração e todo o entusiasmo dessas maravilhosas Entidades, de uma pausa para pensar, abrir o coração e entenda, embora de forma simples e pura, as profundas e sábias mensagens desses verdadeiros SÁBIOS – Senhores da Pureza Cósmica.  Aproveite também e determine algo especial para você. Determine que seu lado infantil e puro sempre influencie suas decisões e seus relacionamentos.
E, se for à uma festa de Cosme e Damião em um Terreiro de Umbanda, aproveite ao máximo a oportunidade e todos os ensinamentos e leve para casa, além dos doces e bolos, o exemplo de alegria dessa encantadora falange de Yori!
Salve as ‘Nossas Crianças’! Salve os Erês!
Salve Cosme e Damião!
Salve Oni beijada!

Denominações usadas para Linha das Crianças na Umbanda

YORI: um dos raros termos sagrados que se manteve sem nenhuma alteração. Esse termo, assim como Yorimá, era de pleno conhecimento da pura Raça Vermelha, só se apagando do mental do Ser humano após a catástrofe da Atlântida. Ele ressurgiu através do Movimento Umbandista, em sua mais alta pureza e expressão. Traduzindo este vocábulo através do alfabeto Adâmico, temos: A Potência Divina Manifestando-se; A Potência dos Puros.
BEIJADA: Nome dado no Brasil, às entidades que se apresentam sob a forma de crianças. São, conforme a crença geral, nos cultos afro-brasileiros e na Umbanda, as falanges dos Orixás gêmeos africanos IBEJIS
IBEJI: (ib: “nascer”; eji: “dois”) Orixás gêmeos africanos que correspondem, no sincretismo afro-brasileiro, aos santos católicos Cosme e Damião. Ibeji na nação Keto, ou Vunji nas nações Angola e Congo.
DOIS DOIS: Nome pela qual são designados os santos católicos Crispim e Crispiniano; os santos Cosme e Damião; o Orixá africano IBEJI e a falange das crianças na Umbanda.
ERÊ: Vem do yorubá iré que significa “brincadeira, divertimento”. Existe uma confusão latente entre o Orixá Ibeji e os Erês. É evidente que há uma relação, mas não se trata da mesma entidade. Ibeji, são divindades gêmeas, sendo costumeiramente sincretizadas aos santos gêmeos católicos Cosme e Damião. Erês, Crianças, Ibejada, Dois-Dois, são Guias ou Entidades de caráter infantil que incorporam na Umbanda.
Festa de Cosme e Damião
Mãe Mônica Caraccio

Trancar mediunidade

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Webinário #56 - Defesa Espiritual

ESTATUTO DA LIBERDADE RELIGIOSA APROVADO pela CCJ

MENSAGEM DO SR. ZÉ PELINTRA !

Subindo degraus
Mensagem do Espírito Zé Pelintra pela médium Fátima Gonçalves
Contato: fatimahgoncalves@uol.com.br

Em boa parte do tempo, caminhamos na jornada terrena presos a incertezas, dúvidas, altos e baixos... Planos são construídos e, de repente, se desfazem, gerando um clima de insatisfação e insegurança íntima. O que fazer? Como compreender essas ocorrências?
Podemos pensar na existência carnal como uma longa escada, composta de vários degraus. Quem está no primeiro degrau tem uma visão da paisagem em torno; quem está no segundo terá outra, mais ampla; quem está no terceiro alcançará mais além; e assim por diante. Porém, a realidade em torno será sempre a mesma.
O que muda é o ângulo de visão e a capacidade de percepção do caminhante, de acordo com a sua posição naquela escada. O que não era possível compreender para quem estava no primeiro degrau, logo se tornará melhor entendido quando o segundo degrau for alcançado; e assim sucessivamente, até que todo o quadro se torne compreensível e claro.
Aquele que se determinar a continuar subindo alcançará, com o tempo, melhor compreensão do todo à sua volta, descobrindo novos horizontes, sempre. Isso nos leva a pensar e compreender, ao final, que cada momento da nossa vida é essencialmente transitório; e que tudo dura apenas o tempo que precisa durar.
Assim, não estamos obrigados a estacionar num único degrau ou num único patamar da existência. Se nós fomos colocados naquela escada, é que o nosso destino é subi-la, para atingir o topo. Este é o Propósito Divino, para cada um de nós e para todos nós. Então, se hoje as coisas lhe parecem sombrias e tristes, busque na sua Fé em Deus e nos Sagrados Orixás o ânimo, o entusiasmo e a determinação para continuar caminhando e subindo os degraus da sua vida. Pense nas sementes lançadas na terra: a princípio, elas podem parecer destinadas a viver soterradas e, no entanto, têm como destino real brotar, crescer, dar frutos e gerar novas sementes, numa cadeia perfeita e contínua de vida e de bênçãos.
Cada um de nós é como uma “sementinha de Deus”. A nossa essência é Deus, somos filhos de Deus. Ou seja, Deus é, em nós, uma centelha Sagrada, Plena de Luz e de Vida. Esta centelha, que somos nós, foi posta por Deus a caminhar na Escada da Vida, de modo a subir degrau por degrau, até atingir o máximo da expansão e então poder colher os frutos desse crescimento e gerar novas sementes, brotos e frutos. Preparemos o nosso coração para essa caminhada de Luz. Os olhos do coração percebem a Luz em toda parte e podem guiar nossos pés onde parecia haver apenas escuridão. Não podemos nos deixar prender num ponto do caminho. Os tropeços surgem é para nos dar a oportunidade de reflexão, aprendizado e fortalecimento, capacitando-nos a prosseguir e alcançar outros patamares.
Lembremo-nos de que o dia sucede a noite; que a primavera sucede o inverno; que a renovação celular diária restaura em nosso físico as energias que se haviam esgotado, preservando a vida. Enfim, observemos que tudo se renova de forma perfeita e contínua em todo o Universo. Da mesma forma, a nossa essência íntima tem a capacidade de se renovar, de se fortalecer e de nos fortalecer, quando nos dispomos a refletir sobre as decepções e desenganos do caminho. Importa é caminhar. Somos eternos, imperecíveis e destinados ao topo da escalada, para o encontro das Luzes do Criador.
É preciso, no entanto, aprender a buscar e perceber a Luz em cada momento ou degrau dessa caminhada. Não há motivo para desânimo ou desistência: a transitoriedade, a impermanência das coisas, é apenas uma ferramenta Divina que nos faz seguir em frente, para nos conduzir ao nosso destino final e verdadeiro. O que fica para trás são as ilusões que precisavam ser abandonadas. Por acreditar que somos espíritos vestidos de carne é que precisamos buscar forças internas e reagir diante do sofrimento. Tudo pode ser superado com fé e determinação.
Vamos aprender a nos livrar do fardo do passado. Aceitar que ficou para trás aquilo de que precisávamos nos despojar. Um coração iluminado sabe reter apenas as experiências que de fato importam ao nosso progresso. Aceitemos que a Vida nos ilumine, ampare e oriente. Vamos então, juntos e com determinação, para a nossa escalada. Mãos, pensamentos e corações unidos. Vamos com a certeza na mente e a confiança no coração.
O Pai Eterno nos ampara e incentiva, em cada degrau, com Infinito Amor e Compaixão, porque compreende as nossas limitações, tristezas e incertezas de momento. Ele confia que aprenderemos e nos espera no topo, para nos tornar Luz com Ele, porque sempre fomos UM.
Publicado no JUS – Ed - 135 - Agosto de 2011
Oxalá em mim saúda Oxalá em você!
Alexandre Cumino
Enviado por Colégio de Umbanda Sagrada Pena Branca

Cantar pontos em casa.