sábado, 30 de abril de 2016

                      

                       UMBANDA – UMA VISÃO SISTÊMICA

Umbanda – Uma visão Sistêmica
Manoel Lopes


“A explicação da umbanda em rede veio ao encontro do que tenho adotado como postura político-filosófica.Trabalhei como formadora em alguns trabalhos de responsabilidade social sob a ótica ecologista de Marcos Reigota e outros, além de ser uma admiradora de Edgar  Morin que escreveu sobre a teoria da complexidade.Costumo referir-me à metáfora moriniana quando estou ensinando professores ou alunos na escola onde trabalho, que diz:“Os fios compõem o tapete, mas esse só é tapete por causa dos fios”.Conseguir trazer esse conceito de rede, de sistema, para a umbanda foi muito bom, excelente! Uma lição da qual não me esquecerei e que possibilitou um passo meu a mais na umbanda.Estou sinceramente agradecida por estar aprendendo com o Manoel Lopes.Poderia citar outras generalizações decorrentes desse conceito, mas acho que não é preciso por ora.Obrigada Meu Pai Oxalá, por mais esta ajuda que veio através de um irmão, Manoel Lopes, que teve a ousadia de usar a internet para ensinar o que eu preciso aprender.”
Stella Martins ( aluna do curso EAD do Núcleo Mata Verde)

No Núcleo Mata Verde   ( www.mataverde.org ) estudamos e ensinamos, uma doutrina umbandista, que tem como características principais:
1-Os Sete Reinos Sagrados – modelo que tem por origem a formação do planeta Terra;
2-Campo Estrutural – estruturas de natureza mental e emocional, mantidas pelos espíritos e que são, entre outras coisas, a origem de toda a realidade material e espiritual.
3-Visão sistêmica de sua organização – Diversidade de Rituais umbandistas
Vamos discutir neste artigo, de forma sucinta o item 3 – Visão sistêmica da organização umbandista, origem da diversidade de rituais existentes na umbanda.
Este texto (Diversidade de rituais umbandistas) que apresentamos logo abaixo foi escrito pela primeira vez em 2005, depois em 2006 quando lançamos a RBU – Rede Brasileira de Umbandawww.rbu.com.br ) novamente tornamos a lembrar sobre a estrutura complexa da Umbanda e que a RBU tinha como uma das principais funções revelar esta complexidade da organização umbandista.
Em 2007 quando lançamos o livro “Umbanda Os Sete Reinos Sagrados”, incluímos ao final do livro o capitulo “Nasce um Rede”, chamando a atenção dos Umbandistas para a importância daRBU como uma nova rede social, e que teria entre outras características a finalidade de unir os umbandistas sem impor qualquer tipo de comando ou direcionamento doutrinário; pois devido a sua natureza complexa não admitia este tipo de comando único, centralizado.
Em 2009 publicamos novamente o texto “Diversidade de Rituais Umbandistas” fazendo questão de mostrar aos umbandistas esta visão sistêmica da Umbanda, realçando o conceito de estrutura em rede de sua organização.
Neste texto de 2009 incluímos logo ao início comentários sobre os “choques”  entre os umbandistas ao se depararem através da RBU com centenas (ou talvez  milhares) de formas de se vivenciar a Umbanda.
Continuamos a divulgar este conceito de organização em rede através dos cursos desenvolvidos no Núcleo Mata Verde e que estão a disposição dos interessados através da plataforma EAD (www.mataverde.org/ead )
Muitos foram os alunos que passaram (e continuam a passar) pelos nossos cursos; alunos (Umbandistas ou não) de várias origens, dos mais diferentes tipos de Terreiros, Centros, Núcleos, Ilês, etc… e todos sem exceção ao estudarem a questão da “Diversidade Ritualística da Umbanda” comentam sobre a estrutura em rede, que permitiu finalmente que pudessem entender esta diversidade.

                                

                           O QUE É UMBANDA?

O que é Umbanda?
por Manoel Lopes

Neste texto vamos interromper nossos estudos de Fitoenergética para falarmos um pouco sobre o que pensamos sobre a umbanda.
Lembramos que os assuntos que estamos apresentando neste blog de estudos, são novas experiências realizadas por umbandistas, são novos conhecimentos que devem ser estudados, debatidos e aplicados, sempre com o objetivo de auxiliar aos necessitados da alma e do corpo que procuram nossas casas espirituais.
Em nenhum momento estamos preocupados em ditar regras ou impor doutrinas, sabedores que somos da grande diversidade de rituais e princípios existentes na Umbanda.
Para aqueles que ainda possuem dificuldade para entenderem esta grande diversidade de rituais existentes na umbanda, sugerimos a leitura do texto de nossa autoria  “Umbanda Uma Visão Sistêmica“ que deve ser lido no link http://www.blog.mataverde.org/archives/187
O que propomos e estimulamos é que os umbandistas, independente da orientação que estejam seguindo, procurem as respostas, se desenvolvam, se libertem das amarras dos preconceitos, não sejam somente joguetes nas mãos de pessoas ignorantes e mal intencionadas.
A Umbanda em hipótese alguma deve ser utilizada para subjugar, para impor medos, restrições, preconceitos ou submissões.
A Umbanda é a luz que liberta da escravidão espiritual imposta pelas grandes religiões dogmáticas, a umbanda abre novos horizontes, liberta as almas que se encontram presas em preconceitos e dogmas milenares.
A Umbanda, através da simplicidade, humildade e caridade, traz o conhecimento espiritual necessário para equilibrar a nossa sociedade materialista, totalmente desorientada de princípios e das verdades espirituais.
O grande livro seguido pela umbanda á o livro da natureza, o livro da vida e dos bons exemplos.
Entendemos a umbanda não somente como uma religião, como as diversas existentes na atualidade, que brigam entre si para disputarem seus adeptos, para dominarem as consciências e cobrarem  dízimos.
A Umbanda não necessita de templos formosos, nem de catedrais monumentais, seu maior templo foi construído pelo criador, é a própria natureza.
Caboclo Mata Verde ensina, e nós aceitamos que a umbanda é muito mais do que uma religião.
Os espíritos não precisam e nem possuem religião, são os humanos ignorantes do conhecimento espiritual que ainda necessitam.
A Umbanda é uma verdadeira escola espiritual, onde todos os assuntos devem ser abordados, estudados, compreendidos e aplicados no dia a dia.
Como dizia Caboclo Mirim: Umbanda é a escola da vida.
Umbanda é mais que uma religião, umbanda é arte, é filosofia, é ciência é o conhecimento universal.
No Núcleo Mata Verde entendemos a umbanda como uma verdadeira escola iniciática; onde amigos espirituais, mestres espirituais nos auxiliam na busca deste conhecimento maior.
Caboclos, Pretos Velhos, Crianças, Exus são nossos amigos, mas são amigos especiais, são verdadeiros mestres que veem em nosso auxilio, para em conjunto com os umbandistas iniciados nesta sabedoria universal, auxiliarem a todos aqueles necessitados, e que ainda materializados, buscam ajuda em nossas casas espirituais.
Casas espirituais, Terreiros, Tendas  são verdadeiros Templos Iniciáticos da atualidade.
É com tristeza que nos deparamos com notícias como  o caso do menino de nove anos que foi assassinado em Brejo da Madre de Deus, e seus assassinos após serem presos afirmarem que o  menino foi sacrificado em ritual religioso e que eram Umbandistas.
São psicopatas, doentes mentais, miseráveis da alma e da vida e que com toda certeza não eram umbandistas, nunca foram e com toda certeza serão cobrados pela justiça divina.
Saravá!
São Vicente, 22/07/2012
Manoel Lopes – Dirigente do Núcleo Mata Verde
Obs.: ESTE TEXTO PODE SER REPRODUZIDO, DESDE QUE SEJA NA ÍNTEGRA E QUE SEJA CITADA A SUA ORIGEM

Alguns momentos do rito de Iniciação ao 1ºGrau

1º Ciclo Cultural Mata Verde

139 - Postura do Sacerdote

Cantar pontos em casa.