domingo, 17 de novembro de 2019

Umbandistas, convoco-os a lerem esse texto e darem suas opiniões!


                        SOU UMBANDISTA  
GOSTARIA DA OPINIÃO DOS QUE LEREM O TEXTO
UNICAMENTE MINHA CONSCIENTIZAÇÃO. SEM  FERIR, JULGAR A QUEM QUER QUE SEJA.



Desde 1978, quando decidi iniciar meus aprendizados na nossa Amada Umbanda, procurei colher muitos contatos, partindo do principal: Nosso Fundador  CABOCLO SETE ENCRUZILHADAS que desafiando a ideologia Espirita, acolheu em sua residência, inúmeros doentes, pobres, prestando-lhes não somente curas físicas, como materiais  e legou-nos o maior ensinamento: Dê aquilo que recebeu de graça ( o que para mim foi a base de uma religião que não deveríamos fazer algo com resposta em uma cobrança de qualquer forma.

Chamou-me a atenção, por serem os mesmo ensinamentos que tanto João Batista, Mestre Jesus e outros mais, vieram fazendo, sem pensar em dinheiro, em cobranças do que praticavam, ensinavam, desejando quem os seguiam ,soubessem que o AMOR É SEMPRE INCONDICIONAL. 

Essa foi, portanto o que mais me agradou dentre mais de 20 Religiões que tive oportunidade de estudar, frequentar colhendo o que para mim era o lado satisfatório .

O outro que não concordava por diversos falhas, ou fatores a meu julgamento, simplesmente ficava comigo.

Vimos nestes tantos anos de vida que outras Religiões  viverem à base de cobranças de tudo em especial a Católica  ser tudo  cobrado.

Possuindo uma imensa fortuna que se aplicada aos necessitados; aliviariam em muito a pobreza do planeta.
O mesmo vejo em muitas outras Religiões onde impera o dinheiro.

Como eterno aprendiz de nossa amada Umbanda, como me julgo; mesmo procurando esclarecer-me de dúvidas, questionamentos; com diversos cursos incluindo o de teologia, acompanhando inúmeros livros, na internet a mim enviado; noto que muitos de nossos Dirigentes, Sacerdotes, parece,  estarem esquecendo o principio básico de nosso FUNDADOR: 

“ Prestar seus conhecimentos aos que menos sabem”.

Sou sempre favorável que No terreiro, no Centro, no Templo de Umbanda, a manutenção geral dos mesmos, devem ser rateados pelos membros a que pertencem, salvaguardando os que podem mais, cobrirem os que podem menos ou nada podem.

Se os consulentes desejam compartilhar,  desejam fazer doações; nada a me opor.

O que, entretanto vejo, são diversos Dirigentes, Sacerdotes, utilizarem seus conhecimentos adquiridos,  alguns em longos anos, outros em poucos , utilizarem do conceito que podem e devem fazer da Religião, uma profissão com   negociações em  vendas de cursos, de livros, demonstrando que passam a viver exclusivamente do que chamam UMBANDA.

Se o Dirigente, Sacerdote, possui seu emprego; do mesmo retira seus proventos para sustentar sua família.

Se estiver aposentado; recebe sua aposentadoria que também e se não todo; pode auxiliar na manutenção familiar.

Acredito que a função primordial de um Dirigente, Sacerdote, seja o de em suas sessões quer seja para os Médiuns, é procurar transmitir-lhes os seus conhecimentos, esclarecerem-lhes suas dúvidas.

O mesmo se aplica aos assistentes que estão sempre ou quase sempre nas sessões com a finalidade de um aconselhamento, uma corrente, um passe; serem instruídos o que seja realmente a UMBANDA e não simplesmente  esperar que estes muitas vezes com vergonha, não o fazem.

Esse é meu ponto de vista que venho notando em diversas regiões de nosso País como procedem diversos Dirigentes, Sacerdotes, que para mim; contraria visivelmente o que nos foi legado por nossos antepassados na Umbanda.

Se discordarem desse pensamento que é unicamente meu, sem querer ferir a qualquer um; visa exclusivamente a alertar o andamento que estamos vendo nos dias de hoje dentro de nossa amada UMBANDA com muita tristeza.

Meu Saravá Fraterno a todos.
ACE

Houve Pandemias na época de Kardec? por Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira

3 de junho de 2020 Houve pandemias na época de Kardec? Hiper Interessante este texto. Não deixe de ler. HOUVE ALGUMA PANDEMIA À ÉPOC...