sexta-feira, 30 de junho de 2017

MÊS DA MAGIA NO COLÉGIO PENA BRANCA

 

Por que estudar Magia Divina? 

 

Por Rubens Saraceni

Texto publicado no Jornal de Umbanda Sagrada - Ed. 156 - Maio de 2013.

O estudo da Magia Divina começou em 1999 e, até hoje, já iniciou dezenas de milhares de pessoas, que passaram a ter nos seus graus recursos magísticos, inimaginados por elas.
Desde seu início, a Magia Divina surpreendeu a todos pela sua praticidade e objetividade no desencadeamento de ações mágicas em benefício das pessoas necessitadas. Eu tenho estimulado o estudo dela, porque conheço seus resultados benéficos! Entre as milhares de pessoas que se iniciaram nela, centenas já se tornaram magos iniciadores e hoje iniciam outras pessoas, criando uma corrente de transmissão de iniciações.
Às pessoas que desconhecem a Magia Divina ou não tiveram a oportunidade de se iniciar nela, afirmo-lhes que iniciar-se é graduar-se diante de Deus e de Suas Divindades- mistérios, para melhor servi-lo aqui na terra, prestando aos seus semelhantes um auxilio inestimável, porque todos somos necessitados, em algum momento, do auxílio da magia, seja ela de fundo religioso, ou puramente mágico.
Nas religiões, alguns de seus rituais são mágicos, ainda que não sejam entendidos como tal devido a todo um cerimonial que reveste esses rituais mágicos. Não que isto seja errado e, sim, é indispensável para que seus seguidores sejam ajudados de uma forma mais rápida, porque tudo que é gerado de forma negativa pelos seres humanos, por eles deverá ser reparado ou anulado.
QUER SABER MAIS SOBRE AS MAGIAS?
E isto é o campo da Magia Divina, que nos auxilia na solução desses desequilíbrios, tipicamente humanos. A experiência de tantos anos de ensino da Magia Divina nos mostrou que os que nela se iniciam desenvolvem uma compreensão melhor sobre o mundo espiritual, também conhecido como sobrenatural. Fato esse que anulam em seus íntimos muitos dos temores sobre o outro lado da vida.
Mas, além disso, as pessoas que se iniciam desenvolvem alguns poderes que as habilitam a auxiliar seus semelhantes, independente da religião que seguem, porque a Magia Divina não interfere na crença religiosa dos que nela se iniciam. Esses poderes são adquiridos durante as suas iniciações e tornam-se parte do poder pessoal do iniciado, fato esse que o gradua e o habilita a prestar o auxílio aos necessitados onde quer que se encontre, sem outras necessidades além dos poderes adquiridos.
 A Magia Divina não abre para os que nela se iniciam o lado sombrio ou negativo do submundo astral e, por isso, não tem aplicação destrutiva ou prejudicial a ninguém, podendo ser iniciado nela todas as pessoas que gostam de ajudar seus semelhantes. O ditado popular que diz isto: -“Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos!” é verdadeiro, assim como também o é o que nos revela que, para servirmos Deus, temos que nos preparar e nos aprimorar nos seus mistérios divinos, capacitando-nos para sermos seus instrumentos aqui na Terra, ou depois, no Plano espiritual.
Por isso, sempre envio convite aos meus amigos, oferecendo-lhes a oportunidade de vir conhecer a Magia Divina e nela se iniciarem, habilitando-se para servi-Lo também nesse campo! Estendo esse convite a você, que teve a paciência de ler até aqui esta minha mensagem, para que venha se iniciar na Magia Divina, na qual muito será revelado sobre o lado espiritual da vida e sobre os mistérios divinos que se manifestam através dela.
Conceda a si um momento de desenvolvimento do seu poder pessoal, poder este que, com o Tempo, se transformará em um dom pessoal, o qual fluirá naturalmente através do seu pensamento e da sua boa vontade em semear o bem onde a sua semeadura se fizer necessária.

VOCÊ SABIA?
A Magia Divina se divide em graus. Cada grau recorre a um poder divino específico que responde à invocação do iniciado, e direciona a ação deste poder para as pessoas que o mago deseja auxiliar. 
Neste mês de Julho, o Colégio Pena Branca abrirá o estudo de 3 diferentes Graus de Magia Divina. 
Bora estudar?

4/7 - Empoderamento Pessoal Quântico - Serie de Videos - 4/7 | 235 | Joã...

Olha aí um curso para quem desejar de Curimba e Canto!

Curso presencial • 02/07 das 10h às 11h30

Curimba e Canto
 
com Leonardo Molina
Alan,
Um curso voltado ao aprendizado dos principais toques atabaque, sendo eles: Nagô, Ijexá, Barravento, Angola e Congo.
E também será ensinado nas aulas algumas técnicas de canto e conceitos aplicados ao ritual umbandista, com um vasto repertório de pontos cantados.
Este Curso é livre e sem pré-requisitos, podendo participar homens, mulheres e crianças.

Para garantir a sua vaga, clique no botão abaixo e preencha o formulário de inscrição no site do Templo Escola Casa de Lei que logo entraremos em contato com você.
Gratidão,
Alan Barbieri

PRETO VELHO PODE TRABALHAR EM PÉ

quinta-feira, 29 de junho de 2017

D E S P E R T O #11 Bem-Aventurança I Pai Rodrigo Queiroz

D E S P E R T O #10 Evolução I Pai Rodrigo Queiroz

D E S P E R T O #09 Você não é livre! I Pai Rodrigo Queiroz

D E S P E R T O #08 I Encarnação I Pai Rodrigo Queiroz

D E S P E R T O #07 DEUS I Pai Rodrigo Queiroz

D E S P E R T O #06 Diabo I Pai Rodrigo Queiroz

D E S P E R T O #05 Pecado I Pai Rodrigo Queiroz

D E S P E R T O #04 Missão e Destino I Rodrigo Queiroz

D E S P E R T O #03 Tradição na Umbanda I Pai Rodrigo Queiroz

D E S P E R T O #02 Caridade x Solidariedade I Pai Rodrigo Queiroz

Leiam e sirvam esses exemplos para nós Umbandistas.

Um de Meus Encontros

Incorporar: agregar; integrar; juntar; reunir; incluir; aliar e ainda: construir; edificar; materializar.……. entre tantos e tantos significados. Não é a toa que na Umbanda INCORPORAMOS!…
Isso mesmo, na Umbanda incorporamos os Guias Espirituais e Orixás para edificar a vida, para materializar a Fé, para construir um futuro melhor e claro que para isso nós precisamos interagir, juntar forças, aliar e alinhar os saberes, sentimentos, sensações e ações.
No meu início dentro da Umbanda vivi muitos conflitos, os piores estavam em ver e sentir os Guias agindo de maneiras tão diferentes das minhas (tanto no aspecto intelectual, quanto emocional e corporal), era uma sensação de grande distanciamento que quase me levava a mais solidão. Achava que não era digna, que não conseguiria acompanhar a intensidade e grandiosidade dos Guias e dos trabalhos espirituais. Achava que não deveria… que não merecia… que não podia… Era uma sequencia de ‘nãos’ envoltos de um medo que fermentava pela minha estagnação e falta de apoio.
Sim, fui para a Umbanda no ápice da dor, me sentia paralisada, sem forças e sem opções, além disso, tempos atrás as coisas eram diferentes, não havia tantas possibilidades e oportunidades dentro da Umbanda e de seus saberes, a maioria dos pais espirituais eram fechados e pouco  ensinavam ou orientavam seus filhos espirituais, e foi nesse caos, quase que sob uma intensa pressão (intensa mas delicada, os Guias Espirituais sempre foram gentis e amorosos comigo… ufaaa…) que comecei a procurar meios e formas de aprendizado, de respostas mais claras e de simplificar versus potencializar os trabalhos junto com o Guias. Quase uma missão impossível para a época.
Foi ai que encontrei o Reiki.
Reiki foi meu primeiro estudo dentro de minha vida espiritual. Sabia que Reiki era (e ainda é) uma técnica oriental de imposição de mãos com iniciações próprias e que tudo era bem definido por ser uma prática antiga, sabia também que não tinha relação com qualquer religião, mas por suas questões energéticas, vibratórias e curadoras era, na época, o que mais se aproxima da minha necessidade em relação ao Saber dentro da Umbanda. Era um início, uma oportunidade de ter algumas respostas e acalmar meus medos – pensava.
Tinha razão!! Alias, tinha razão, mas não sabia que iria além e Além (se é que vcs me entendem?…) 
Com esse estudo comecei a entender um sentido maior sobre a incorporação, aquele em que agregamos, integramos, juntamos, reunimos, aliamos DE FATO tudo que é bom e faz bem, como é na Umbanda. Até hoje, até em um ‘simples’ escrever de texto sinto minhas mãos queimarem de tanta energia devido àquelas iniciações, até hoje uso técnicas para liberar canais de força e de energia inclusive na Umbanda, até hoje percebo os Guias usando as minhas mãos como as que usamos no Reiki. Simples, fácil, potente, verdadeiro, grandioso e “incorporante”.
Melhor do que tudo isso é ter o Guias Espirituais tão sábios e sublimes, no final da gira agradecer ao pé do ouvido por ter sido um bom instrumento e ter permitindo o fundir de Forças…. Ahhhh…. Privilegiadíssima me sinto!!!
Tanto que sempre peço a vocês e a todos meus filhos espirituais: estudem, se permitam, se interessem, busquem, se empenhem, persistam que quando ‘a coisa’ é boa, quando ‘a coisa’ promove o bem, os Guias Espirituais agradecem e acoplam em suas formas de trabalho tais saberes (isso se Eles já não desejavam tais manuseios e por nossos medos, travamos – fato muito comum, não é mesmo?).
Enfim, há tempos afirmo: Só nos é permitido a evolução quando nos tornamos capacitados e responsáveis pelos nossos atos.
Há tempos aprendi: incorporar é um “estado de espírito”. Precisamos estar alinhados, preparados e interessados.
Há tempos acredito: a Vida é uma Obra de Arte. Precisamos saber manusear todos os tipos de pinceis, querer trabalhar com todos os tipos de tintas, cores e técnicas além de ter um bom pedestal que pode ser nossas mãos, nossos pés, nossa mente, nossa ancestralidade, nossos anciões, os Guias Espirituais…….. Incorporado a tudo isso vem o olhar e o realizar, aqueles apurados e convictos para promoverem, verem e quererem o Belo e o Inspirador.
Garanto que é delicioso incorporar feliz, firme e forte. É maravilhoso saber que nossos saberes são usados e bem usados. É grandioso conseguir incorporar junto ao Guia Espiritual e não esperar que apenas Eles venham e incorporem – também posso e devo “subir” e me juntar a Eles, certo?!!!
Esforço sempre É e SERÁ recompensado, deixemos a gira girar e que cada um faça sua parte!
Axééé…
por Mãe Mônica Caraccio

2/7 - Empoderamento Pessoal Quântico - Serie de Videos - 2/7 | 232 | Joã...

Tira Dúvidas nº 182

INCORPORAÇÃO DE CONSULENTES

terça-feira, 27 de junho de 2017

Novo Curso

Alan,
Ao chegar na Umbanda, todos querem saber quem são os Orixás que regem a sua coroa. Mas para que saber o Orixá?
Conheça, neste curso ministrado por Marina Nagel, as características que cada um dos pais e mães exercem em cada posição da coroa de um filho e entenda por que essas forças estão ali e como podem lhe ajudar a vencer esta encarnação, compreendendo sua real atuação em nossas vidas.
Gratidão,
Alan Barbieri

Conheça a origem da Magia Divina na voz do Mestre Rubens Saraceni!

Olá!
Há muitos anos, o médium Rubens Saraceni, autor de dezenas de livros publicados, recebeu um pedido dos Mestres da Luz, Guias de Lei e de Umbanda, para que transmitisse as informações por eles reveladas. Assim, Mestre Seiman Hamiser Yê, um Ogum Sete Espadas da Lei e da Vida, assumiu a abertura da Magia do Fogo no plano material onde são ensinados os fundamentos da Magia Riscada dos Orixás, e a partir daí outros Graus de Magia Divina foram gradativamente se abrindo.
ASSISTA O VÍDEO DO MESTRE RUBENS SARACENI →
Confira o Mês da Magia no Colégio Pena Branca:
SAIBA MAIS
SAIBA MAIS
SAIBA MAIS

Tira Dúvidas nº 181

Para quem interessar em aprender e seja necessário dentro de seu terreiro!

Curso presencial • 02/07 das 10h às 11h30

Curimba e Canto
 
com Leonardo Molina
Alan,
Um curso voltado ao aprendizado dos principais toques atabaque, sendo eles: Nagô, Ijexá, Barravento, Angola e Congo.
E também será ensinado nas aulas algumas técnicas de canto e conceitos aplicados ao ritual umbandista, com um vasto repertório de pontos cantados.
Este Curso é livre e sem pré-requisitos, podendo participar homens, mulheres e crianças.

Aproveite, pois são as últimas vagas!
Gratidão,
Alan Barbieri

BÍBLIA NA UMBANDA 06 • INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO » Por Alexandre Cumino

[Magia do Fogo] Alexandre Cumino

AB Responde | COMO ENTRAR CORRETAMENTE NOS PONTOS DE FORÇA?

A FORÇA DA LEI DE UMBANDA

segunda-feira, 26 de junho de 2017

No Meu Aniversario o Presente é Seu | 230 | João Gyorgy | Dikas & Tokes ...

0/8 - O Inicio do Poder | 231 | João Gyorgy | Dikas & Tokes | CEIH

Veja se esse assunto lhe interessa !

 
Ola, vou começar esse e-mail saudando o Presente em você... Salve!
Esse é um e-mail rápido só pra repartir com você um presente que eu
resolvi te dar...

Ontem, dia 24/06, dia de São João, eu fiz aniversario...
(Por isso o meu nome é João... kkk)
E eu resolvi dar um presente para você: Uma serie de 07 videos para
você... É isso mesmo, o aniversario é meu e quem ganha o presente
é você. Vou postar um video por dia sobre o "Empodereramento" em
meu canal do You Tube... fica atento e aproveite ...

Nesse video, que eu fiz no intervalo de um curso, em que eu estava,
fala direitinho tudo isso.... Assiste e receba esse presente, pois é de
coração que eu faço pra você.... O motivo, eu falo no video 
E nesse video eu reforço uma dica que esta sendo responsável pelo
crescimento de Valor Financeiro na minha vida... Assista >>>

Eu vou ficando por aqui...

웃웃Seguimos Juntos
Gratidão Sempre !
Joao Gyorgy

Aprenda a Empoderar-Se de Si Mesmo ... E Crie a Sua Realidade Intencionalmente. 
http://joaogyorgy.com.br/

CEIH - Centro de Estudos do Interior Humano
Vendendo Espelhos na Feira da Vida Para as Pessoas se Conhecerem Melhor! 

Ser Médium é ser deslumbrante de si mesmo?

Novo post em Umbanda - Orixá Essência Divina

Deslumbramento e Fantasia – Umbanda

por cristinatormena
O deslumbramento e a fantasia mediúnica tem sido hoje um dos maiores problemas visíveis na Umbanda.
Certa vez ouvi a seguinte frase, estar incorporado, acoplado espiritualmente é você deixar de ser você mesmo. 
O que é interessante neste contexto é que estar neste estágio leva aprimoramento, estudo mediúnico,  há etapas que não podem ser puladas, não basta querer estar, tem que estar, não há meio termo caso contrário é uma farsa.
Mediunidade não pode ser forçada, não é comprada, você nasce com o dom.
Deslumbramento é o médium que tem admiração por uma entidade X, ai ele se auto sugestiona e fantasia, ele quer que aquele guia seja o dele.
Uma situação no mínimo perigosa porque atrapalha a verdadeira entidade de se manifestar, devido a falta correta de canalização e sintonia.
A fantasia entra quando o médium da uma roupagem a seu guia que não pertence a ele, visível em algumas manifestações por exemplo de pombogira e exú onde vemos um médium totalmente fantasiado com apetrechos e roupas que o próprio guia não usa, mas o médium gosta daquilo então projeta na manifestação.
Certa vez vi uma pombogira Molambo querendo uma roupa de retalhos, a médium vaidosa não queria se vestir assim e fez uma roupa de seda, a pombogira não gostou, passou pouco tempo ela começou a se manifestar com outra pombogira, com uma roupagem mais vaidosa, luxuosa. Detalhe do nada nunca mais se manifestou a outra pombogira.
Estranho não é mesmo?
Entra ai o médium tomando a frente da entidade, simplesmente por não aceitar a roupagem que uma entidade ou guia queira, dando prioridade a seus próprios gostos e vaidades, fugindo obviamente de uma manifestação verdadeira espiritual. Apenas exemplos, porque o problema vai muito além disso.
Quando um guia se aproxima de nosso corpo, ocorre toda uma série de mudanças em nossos chakras, sentimos uma visível alteração, como se todos os nossos sentidos se modificassem, e ao mesmo tempo mais aguçados e despertos,  é uma corrente elétrica magnética que percorre todos os nossos sentidos, uns sentem o corpo estremecer, outros sentem o corpo dormente, um formigamento que parece que toma cada milímetro de todo o nosso corpo, cada médium pode sentir em maior ou menor grau certos sintomas.  Quando um espírito se aproxima para um acoplamento há todo um processo elétrico psíquico.
Estágios totalmente verdadeiros no que diz respeito a presença espiritual.
Mas, não tem sido isso que estamos vendo, estamos vendo médiuns pulando esses estágios que são conquistados com muito aprimoramento e estudo, dedicação, no meu entendimento a palavra certa seria até DEVOÇÃO.
Infelizmente estamos vendo médiuns na corrente que sentem ali um arrepio, e entram numa ânsia frenética, começam ali a estremecer o corpo e pronto já tomam a forma de uma entidade, e você olha e se depara ali com o médium sem estar com nada, mas ele pensa que está, assume ali um personagem, começa uma verdadeira interpretação, é ai onde entra o deslumbramento e a fantasia, muitas vezes guiadas pela ânsia de não ficar para trás na corrente, pois querem por que querem incorporar com os guias, muitos médiuns realmente não fazem por mal, fazem por falta de conhecimento, estudo, aprimoramento e falta de acompanhamento idôneo e doutrinário. Nestes casos é fundamental o acompanhamento de um dirigente comprometido com sua missão.
E esse deslumbramento tem trazido consequências sérias porque estamos vendo manifestações espirituais extremamente fora da realidade do que deveriam ser, médiuns fantasiosos, criando e fazendo ações que fogem completamente do que deveria ser uma manifestação de um determinado guia, e muitos desses médiuns equivocados estão vestindo a roupagens de guias e entidades idôneos, porque o médium fantasia e projeta na manifestação como se fosse algo real, como se fosse oriundo de fato da entidade, nesse momento nos deparamos com entidades e guias fazendo e tomando posturas que jamais aquela entidade ou guia iria tomar de fato, simplesmente porque não pertencem a eles, foi fruto da imaginação do médium.
Isso pode gerar um grande problema, o médium sugestionado e fantasioso, pode abrir canais de acesso a espíritos mistificadores que irão brincar com suas fantasias, os tornando verdadeiros fantoches, e quando se cansam colocam o médium em situações vexatórias, muito complicadas de serem revertidas.
E por que será que isso tem estado tão evidente em várias manifestações espirituais que temos visto,  no meu entendimento um dos motivos claros é a busca de algo moderno, levando o sub título de evolução e facilidades.
Muitos falam daquela Umbanda mais antiga, até atribuem a ela chamando-a de primitiva, mas nessas Umbandas as manifestações eram mais verídicas, sustentáveis, verdadeiras, lembro-me que um médium levava tempo até se acoplar de fato com um guia, ele tinha que se devotar a sua mediunidade, aos estudos, cumprir etapas.
Antigamente o médium fazia todo um preparo adequado para estar indo num terreiro, fazia seus preceitos e resguardos, se dedicava a buscar as ervas na mata, ervas secas eram somente em último caso, o médium entrava numa mata a procura de ervas, havia todo um ritual, para entrar e sair daquela mata, o médium ia colhendo as ervas e ia implorando, rezando para os guias e os Orixás que cada erva colhida tivesse seu princípio ativado pelo espiritual, hoje nossos médiuns são preguiçosos, buscam facilidades, banhos de ervas frescas para alguns se tornou desnecessário, para que né ter trabalho na maceração e no quinar as ervas, basta ali ferver a água e jogar as ervas secas dentro. Mas será que tem o mesmo resultado, responde é claro a certos princípios energéticos, mas não é a mesma coisa. Fora que esse contato pessoal na natureza, levava o médium a meditações profundas, era uma forma de conexão com seu guia e protetor. Hoje em dia há mais dificuldades sim, mas o médium tem alternativas de plantar suas próprias ervas, pensemos sobre isso, fora que é um prazer se ter e ver as ervas nascendo e crescendo e depois a utilizarmos para nosso benefício, isso não tem preço.
O médium chegava no terreiro com uma hora de antecedência, em resguardo, ficava ali de frente ao altar, em oração, firmando o anjo da guarda, pedindo proteção para aquela gira que estaria iniciando com muito respeito, hoje a grande maioria chega as pressas e na correria, nem tem tempo de esfriar o corpo da rua.
Hoje os médiuns vão para a gira com o corpo sujo, muitos até depois de terem ingerido bebidas alcoólicas, praticado sexo, ido em bares, cemitérios, hospitais, uns até pior usam drogas.
Ai pergunto como jogar água limpa num frasco sujo, a água se contamina, fica impura.
A fantasia e o deslumbramento tem feito médiuns extremamente perturbados em suas vidas, porque há consequências de se brincar com forças espirituais, porque um médium assim se torna alvo fácil de espíritos mistificadores, nefastos, viciosos.
Nos deparamos com isso em supostas giras de trabalho, onde estamos vendo médiuns extremamente alcoolizados, entidades falando verdadeiras barbaridades, prejudicando e arruinando vidas, de pessoas leigas que não sabem distinguir uma manifestação espiritual verdadeira de uma mistificada.
O deslumbramento ele surge quando o médium por gostar e admirar demais uma determinada linha ou entidade, e quer ter aquilo para ele, então começa a fantasiar, são médiuns que não podem ouvir um ponto cantado que já falam que estão sentindo a vibração do guia, quando na realidade é fruto da sua própria mente.
Estamos vendo médiuns que estão perdendo completamente a percepção de si mesmos, certa vez num trabalho na mata vi um médium que achava estar com um boiadeiro, a suposta entidade estava a laçar galinhas que estavam soltas no santuário. Ai pergunto isso é comportamento de um boiadeiro? E o mais triste que estamos vendo dirigentes se deparando com tais posturas, e  fingem não ver, mas até isso tem uma explicação.
As raízes fundamentadas da Umbanda tem se perdido, há genética boa da Umbanda tem perdido espaço para maus dirigentes que tem sido péssimos doutrinadores de médiuns, porque vejam se o médium aprendeu o errado ele fatalmente irá ensinar a outros médiuns o errado é uma lógica, virando um círculo vicioso, porque se ele não aprendeu o certo, ele não saberá ensinar o certo aos futuros filhos no santo.  Percebam o quanto é grave isso para o seguimento de Umbanda, são cegos guiando cegos, e as raízes antigas estão se perdendo para essa Umbanda moderna, cheia de facilidades, mas com ela está vindo uma Umbanda cheia de médiuns deslumbrados, fantasiosos e pior e mais trágico mistificadores.
Essas fantasias e deslumbramentos estamos vendo nítido em manifestações cheias de luxo, cheias de ganância, vaidades, médiuns que estão usando a roupagem de guias e entidades para proveito próprio, e sem pudor nenhum colocam ali vídeos, filmagens, como se não houvesse mais pessoas da religião pensantes, tudo tem sido aceito, tudo muito conveniente.
Hoje o médium ele tem catado o guia a laço, e não o guia pego ele, ele dá ali uma estremecida e pronto já está com o guia fulano de tal, veste o personagem, como numa cena teatral, mas guias e entidades estão longe de estarem ali.
Até a roupagem de determinadas linhas e falanges estão sendo adaptadas ao gosto do freguês.  As consequências serão gravíssimas porque a cobrança cedo ou mais tarde chega.
Na situação atual tem trazido reflexões muito sérias, qual o futuro de nossa amada Umbanda, que tipo de médiuns estamos formando para dar seguimento as nossas raízes?
Será que o objetivo da Umbanda não está cedendo lugar a interesses escusos e gananciosos?
Por que tanta vaidade, onde sempre foi ensinado sobre simplicidade, humildade, caridade?
Será que nossas entidades querem isso mesmo, esse luxo, essas vaidades, essa ganância desmedida por espaço e poder?
Precisamos tomar cuidado, porque estamos saindo da essência da Umbanda e dando lugar para algo totalmente fora dos princípios da mesma.
Nossos guias e entidades não precisam de festas regada de bebidas e comidas caras, eles nunca pediram isso, os espíritos nunca exigiram tais coisas para que a caridade fosse cumprida de fato. Mas para alguns é bonito estar luxuosamente vestido, bebendo litros, competindo ali um com o outro, quem aguenta mais ficar de pé, antes bastava um médium de alma limpa e disposto para que um guia fizesse seu trabalho, hoje os médiuns querem aparecer mais que os próprios guias que se dizem manifestar.
Cada dia mais nos chega, mas críticas duras, denúncias de terreiros e supostos médiuns que tiraram proveito da credulidade e ingenuidade alheias, ai deixo a pergunta no ar, é essa a imagem que estamos deixando sobre o que é Umbanda, porque o negativo sempre chama mais a atenção infelizmente, casas sérias e idôneas estão sendo cada vez menores, está faltando médiuns corretos, comprometidos e idôneos e está sobrando médiuns teatrais, deslumbrados e fantasiosos.
A coisa mais difícil que tinha era você conseguir uma filmagem ou mesmo foto de um guia incorporado você tinha que se virar nos 30 para tirar uma foto ou fazer uma filmagem porque para os guias isso era vaidade, hoje estamos vendo guias fazendo pose para fotos, passando na frente da câmera porque querem aparecer na filmagem. Guias? ou médiuns? Fora que muitas dessas fotos estão sendo usadas para denegrir a Umbanda, com comentários pejorativos e depreciativos. reflitam.
Entendam que acoplar um guia, não é sentir apenas ali um arrepio pelo corpo, acoplar um guia é todos os seus sentidos, seu corpo inteiro, sua mente, é tomada por uma energia maravilhosa que é inconfundível.
Não mintam nem para vocês e nem para ninguém, é muito feio fingir estar com um guia, cedo ou mais tarde você pode se deparar numa situação e ser desmascarado, e o médium nunca mais será o mesmo.
O médium tem que ter dignidade, pudor, vergonha, porque um  médium que finge lhe falta caráter, idoneidade, AMOR PELA FÉ.
Para os médiuns que estão se iniciando, NÃO TENHAM PRESSA, respeitem suas etapas mediúnicas, se dediquem, vão estudar, sejam comprometidos, não busquem facilidades e nem oportunidades que visam pular essas etapas. Não importa se o irmão do lado incorporou em 3 ou 4 meses, não importa se você levar anos, o que importa é que quando acontecer seu acoplamento mediúnico ele seja verdadeiro, autêntico e não uma farsa.
Espero que esse texto abra profundas reflexões a respeito desse assunto, ajudando e trazendo aos médiuns maiores conscientizações do seu papel como médium umbandista.
Que nosso pai Oxossi nos traga sabedoria e bom entendimento.

Mãe Cristina Alves - Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Caboclo Jupira.

ACADEMIA: Texto= Renovação da Umbanda Urbana contemporânea: Por Luan Rocha de Campos

Dear Antonio, You read the paper " Algumas observações em torno da renovação na Umbanda urbana contemporânea "...