quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Leiam, Meditem e tirem suas Conclusões!!!!!!!!

             

            Princípio para o Amadurecimento

http://www.minhaumbanda.com.br/wp-content/uploads/2017/09/cavar-300x240.jpg
PRINCÍPIO DE RIQUEZA Se você quer mudar os frutos, primeiro tem que trocar as raízes – quando deseja alterar o que está visível, antes deve modificar o que está invisível. Algumas pessoas dizem que é necessário ver para crer. A pergunta que tenho para elas é: “Por que você paga a conta de luz?” Mesmo não vendo a eletricidade, você com certeza percebe e utiliza o poder que ela tem. Se não estiver muito certo acerca da sua existência, experimente colocar o dedo na tomada. Garanto que a sua dúvida desaparecerá imediatamente. Aprendi com a experiência que as coisas que não vemos são muito mais poderosas do que as que vemos. Talvez você não concorde com essa afirmação, mas tenho certeza de que você sofrerá se não aplicar esse princípio na sua vida. Por quê? Porque estará indo contra as leis da natureza que dizem que o que está embaixo do solo gera o que está em cima dele, o que é invisível cria o que é visível. Como seres humanos, não estamos acima da natureza, somos parte dela. Portanto, quando respeitamos as suas leis e cuidamos das nossas raízes – do nosso mundo interior -, a vida flui suavemente. Se não fazemos isso, viver se torna difícil. Em toda floresta, fazenda, pomar, é o que está embaixo da terra que gera o que está na superfície. Portanto, é inútil concentrarmos a atenção nos frutos que já estão maduros. Não temos como mudar aqueles que já estão pendendo dos galhos, mas podemos modificar os que ainda vão nascer. Para isso, precisamos cavar a terra e reforçar as nossas raízes. 
T. Harv Eker – livro: Os segredos da mente milionária

Impossível contestar… É ler, reler, assimilar e transformar. É aceitar que o com amadurecimento pessoal fica mais harmonioso a conquista da riqueza, do amor, da tranquilidade, do crescimento espiritual, etc, porém esse amadurecimento requer esforço, romper limites, sair do cotidiano, superar os vícios, CUIDAR DAS RAÍZES.

http://www.minhaumbanda.com.br/wp-content/uploads/2017/09/plantio-de-sementes-5-1-300x169.jpg‘Bora’ cuidar do que está no invisível, do que está enterrado, do que está Além!!!

Aproveiteeemmm!!! Axé!


por Mãe Mônica Caraccio

Tira Dúvidas nº 202

Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade: Muitoem breve teremos novidade, obra psicografada ...

Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade: Muitoem breve teremos novidade, obra psicografada ...: Muito em breve teremos novidade, obra psicografada por Norberto Peixoto. Temas muito falados e pouco compreendidos das religiões mágicas br...

Por que os umbandistas batem palmas

Ensinamento legado por Pai Rubens Saraceni

Visualizar como página web

A importância da educação mediúnica:

Mitos e Preconceitospor Rubens Saraceni
(livremente editado por Laura Carreta).

“Desenvolver a mediunidade não significa dar algo a quem não está habilitado para recebê-lo, mas sim, em habilitar alguém a assumir conscientemente o Dom com o qual foi ungido. Ao contrário do que apregoam, mediunidade não é punição, e sim benção divina, concedida ao espírito no momento em que encarna.” 
A educação mediúnica é de suma importância para quem realiza práticas magísticas ou religiosas de fundo espiritual, espiritualista ou espiritualizador. Para colocar o médium em sintonia com o mundo invisível, cria-se toda uma pré-disposição às manifestações espirituais e aos rituais magísticos.
A educação mediúnica é muito importante, pois só se reeducando internamente um médium alcança níveis vibratórios mentais e conscienciais que lhe facultam os níveis espirituais superiores a sintonização mental com seu mestre individual a neutralização de possíveis vícios antagônicos (fumo e álcool, utilizados nos trabalhos) com as práticas religiosas e a compreensão ou percepção do que está acontecendo à sua volta, mas que não está visível, assim como do que está acontecendo dentro de seu campo mediúnico.
É comum dizer-se que quem desenvolve sua mediunidade torna-se mais capaz do que aquele que não a desenvolve. Isto é uma verdade somente se aquele que se desenvolveu mediunicamente também compreendeu os compromissos que assumiu.
Portanto, quando o assunto é mediunidade, todo cuidado é pouco. É preciso uma forte dose de humildade e compreensão de que um médium não é um fim em si mesmo, mas apenas um meio.
Vamos entender o que é a mediunidade:
  • 1 – mediunidade não é uma provação purgatória, mas sim uma provação Divina e um Dom que aflorou no ser que alcançou uma certa etapa evolutiva e assumiu um compromisso no plano astral antes de encarnar. Se bem desenvolvida, irá acelerar sua evolução espiritual;
  • 2 – não é uma punição cármica, mas sim um ótimo recurso que a Lei nos facultou para nos harmonizarmos com nossas ligações ancestrais;
  • 3 – não escraviza o médium, apenas exige dele uma conduta em acordo com o que esperam os espíritos que através dele atuam no plano material para socorrer os encarnados necessitados tanto de amparo espiritual quanto de uma palavra de consolo, conforto ou esclarecimento;
  • 4 – não limita o ser, pois é um sacerdócio. E, ou é entendida como tal ou de nada adianta alguém ser médium e não assumir conscientemente sua mediunidade.
Para concluir, podemos dizer que a mediunidade, por ser um Dom, tem de ser praticada com fé, amor e caridade. Só assim nos mostramos dignos do Senhor de Todos os Dons: nosso Divino Criador!
(Texto extraído do livro “O Código de Umbanda”.)
Oxalá em mim saúda Oxalá em você!
Alexandre Cumino

Cantar pontos em casa.