sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

231 - Carnaval e excessos

Tira Dúvidas nº 246

SUA FÉ PODE ESTAR SENDO TESTADA

SUA FÉ PODE ESTAR SENDO TESTADA

Quem é Mãe Monica Caraccio?

Axé, Mônica! 49 anos, casada, bem casada e vivendo lindas e fortes emoções, sempre de grande aprendizado com esse companheiro de vida. Mãe de uma filha a qual me sustenta e me ensina valores como amorosidade, resiliência e esperança. Sou de família tradicional onde a educação era encapsulada, mas a Fé era a base para minha mãe e o prover para meu pai. Irmã de 3 Seres lutadores e íntegros. E como Mãe Mônica Caraccio, sou mãe espiritual de 19 médiuns os quais, juntos, lutamos por serenidade para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar as que podemos e sabedoria para distinguir umas das outras.   (ahhhh… importante: esse número de filhos é mutável dependendo não do sucesso da luta, mas da permissão espiritual de cada um, inclusive o meu!)
Formei-me em Ciências das Religiões pela Faculdade Claretiano SP, estudei Teologia na PUC SP e fiz pós graduação da História da África e do negro no Brasil pela UniCastelo SP.
Cheguei ao grau 12º da Magia Divina com Pai e Mestre Rubens Saraceni (em memória) no Colégio Tradição de Magia Divina e me especializei em radiestesia e radiônica pelo Senac SP.
Sou mestra em reiki e apometria a qual estudei e pratiquei por anos com querido Sr. Sardinha (em memória) e sua esposa Dona Leticia na casinha Azul.
Sou taróloga. Há 16 anos pesquiso, analiso e viajo profundamente pelas cartas Tarô de Marseille e seus símbolos sagrados, surpreendendo-me e fascinando-me a cada nova abertura de mesa.
A mais de 18 anos me reconheço como médium cheia de dons espirituais, mediúnicos e humanos, e que, depois de muitas iniciações ritualísticas, consagrações espirituais e graus conquistados e outorgados, há 13 anos me tornei sacerdotisa com grau de Yalorixá fundando meu próprio pedaço do céu, meu próprio solo sagrado, meu próprio Centro de Umbanda – Núcleo Cultural e Social de Umbanda Carismática Luz de Oxalá Força de Oxum, tendo Ogum em minha companhia e a responsabilidade de Mãe Espiritual.
Sou escritora, criadora e sustentadora do blog www.minhaumbanda.com.br e do Jornal de Umbanda Carismática – JUCA – editado, escrito e diagramado por mim, rodado pela Folha de São Paulo com mais de 16 paginas e 10 mil exemplares/mês distribuído gratuitamente por mais de 7 anos consecutivos.  (https://pt.wikipedia.org/wiki/Jornal_de_Umbanda_Carism%C3%A1tica)
O QUE NÃO ACREDITO?
Não acredito em coincidência.
O QUE ACREDITO?
Ahhh, super importante… Acredito em MILAGRES!!! (já vivenciei vários…)
O QUE FAÇO HOJE:
  • GIRA ESPIRITUAL: Abro minha gira religiosamente toda sexta feira com a Graça Divina e toda Espiritualidade Superior nos iluminando e auxiliando.————————————————————
  • DESENVOLVIMENTO: Auxilio novos médiuns a percorrer esse caminho sagrado da evolução espiritual em nosso Desenvolvimento Mediúnico sempre com momentos edificantes e inesquecíveis. ————————————————————
  • ENSINO: Ensino Umbanda, religiosidade, espiritualidade, magia transformadora – dou aula em meu centro há mais de 12 anos formando centenas e mais centenas de novos olhares e saberes. Escrevo para meu blog www.minhaumbanda.com.br – meu canto de poesia, desabafo, saberes, marcas e compartilhamento.————–
  • MANDALAS: Abro mandalas magísticas e energéticas usando os elementos da natureza e todos meus graus conquistados para promover melhoras consideráveis e surpreendentes na vida da pessoa atendida. Tudo dentro da Lei Maior e Justiça Divina.                         ————————————————————
  • ENERGIA: Aplico e ensino reike acoplado com saberes cromoterápicos, espirituais, florais, metafísicos e vibracionais. Abro mesa radiestésica e gráficos radiônicos os quais, mede detalhadamente e projetam campos de energias com uma exatidão surpreendente.———————————————————————–
  • TARÔ: Faço leituras de Tarô. Jogo o Tarô tradicional, terapêutico e/ou Junguiano abertos em um espaço mágico cabalístico com intuito de trazer o máximo de revelação. Normalmente o jogo toma proporções surpreendentes e saímos embasbacados por tanta informação – claro que tudo dentro da abertura pessoal, do desejo, respeito e busca da pessoa, além do merecimento e permissão de cada um.
OU SEJA
Falo verdades, obedeço as ordens da espiritualidade superior, conduzo meu rebanho, luto pelo que acredito, ínsito demais, peço muita inspiração, saúde e força, agradeço mais do que peço.
Além de amar, sorrir, chorar, crer, lamentar, acreditar em missão, estudar, aprender e ainda indignar-me, esborrachar-me, arrepiar-me, curar-me por mim mesma e levantar muitas e muitas vezes focada no meu objetivo.
O QUE NÃO FAÇO?
Não faço o que você quer (mas sim o que devo, diante de meus valores religiosos, espirituais, humano e magísticos)
Não faço trabalho espiritual/magia para o mal ou qualquer tipo amarração. Acredito mesmo no poder do bem + esforço + conhecimento pois é assim que conquistamos aquilo que queremos, assim que realizo as melhores e mais fortes transformações.
Não indico outras casas ou outros meios, só confio – e confio muito – no que sai de mim.
Não adivinho números da mega, aliás, não sou adivinha.
Não digo o que você quer ouvir (sem sentido isso, não é mesmo?!)
Não incorporo quando você quer e muito menos só quando você pagar. Não prostituo o meu dom nem sou cafetã da espiritual.
COMO EXECUTO?
  • GIRA: as giras acontecem às sextas feiras no meu Terreiro de Umbanda, são atendimentos espirituais caritativos com intuito da melhora espiritual e mediúnica. Não se paga nada para participar das giras e conversar com os Guias espirituais, porém sempre saliento a importância da colaboração de todos para crescimento e melhora de TODOS! Afinal, além dos Guias em terra a sua disposição, temos velas acessas, ervas, água, limpeza, defumador, eletricidade, papel… comprados e pagos por alguém. ——————————————————————————— 
  • DESENVOLVIMENTO: o desenvolvimento mediúnico está direcionado aos filhos da Casa, isso acontece quando um assistido vem as giras e encontra uma nova forma de viver, assumindo a espiritualidade, a casa e sua condição de aprendiz/filho espiritual. Nessa ocasião começamos percorrer um caminho de verdade, esforço e transformações. O desenvolvimento mediúnico é uma “escolha” pessoal, um momento em que o novo médium se entrega a Algo Maior e que juntos, tudo fica mais fácil, pleno e seguro.——————————————————————————— 
  • ENSINO: os cursos são disponibilizados e abertos a todos que buscam conhecer um pouco mais o entorno e a si mesmo. Os cursos estão sempre sendo divulgados em nosso blog (próximos eventos), nas nossas redes sociais: facebook: Minha Umbanda e Eu – Mãe Mônica Caraccio – instagram: @maemonicacaraccio; ou ainda em nosso grupo da Umbanda Carismática (caso deseje fazer parte e receber nossos e-mails com nossas novidades, mande-me um e-mail pedindo para se inserir no grupo minhaumbandacarismatica@gmail.com). Já o blog, é só acessar e curtir!! —————————————– 
  • MANDALAS: as mandalas são espaços mágicos abertos e que seguem determinações para sua ativação e ação. Os atendimentos acontecem em datas e horários agendados.——————————————————————————— 
  • ENERGIA: tanto o reiki como radiestesia, também ocorrem em horários e datas marcados com antecedência. Todos merecem cuidados específicos antes, durante e depois dos atendimentos —————————————————————————————————————————- 
  • TARÔ: ahhh o tarô… O jogo de Tarô é aberto em dias e horários especiais dependendo de uma energia constelar. A abertura de mesa é individual, com dia e hora marcada, e normalmente o jogo completo chega a ter uma hora e meia de exploração.  –  No primeiro momento não se pergunta nada ao Tarô, você não fala nada! Nessa primeira tiragem as cartas mostram o que está acontecendo no tempo PRESENTE; aspecto positivo, negativo, ponto de estagnação o que é mais preocupante (com um conselho geral do que deve ser corrigido). No segundo momento, você faz perguntas diretas às cartas e vai-se em busca das respostas, do melhor caminho, sempre com a proposta de entender o presente e traçar uma rota para o futuro.  –  Durante o jogo vou lendo as mensagens e símbolos direcionando e aconselhando as ações que devem ser tomadas para promover o sucesso e tranquilidade para as inquietações.  –  Sei que muitas vezes esse direcionamento e aconselhamento são difíceis de ouvir, em outros de executar e outros ainda, são negados pelo ouvinte, mas aí não é mais de minha alçada ou responsabilidade, cada um com suas escolhas, cada um com seus resultados, certo?! Entenda, o Tarô mostra um caminho, eu “enxergo” essa rota e, como ponto máximo do jogo, te digo ‘o que’, ‘como’ e ‘a melhor’ forma de seguir, a decisão, se vai ou não acreditar e seguir, é unicamente SUA. Não me culpe por suas inseguranças, erros e escolhas.  –  Importante pontuar que o Tarô que jogo é um trabalho que alia muito estudo, energia, merecimento, permissões, técnica, sensibilidade e conhecimento. Eu não fico apenas lendo os significados das cartas como escritos em um livro, mesmo porque qualquer um pode fazer isso, eu uso meus talentos e dons na leitura das cartas. Saiba ainda: estudo, vivencio e pratico esse universo transcendente a mais de 18 anos e o tarô que interpreto vem surpreendendo e encantando conforme as permissões Divinas e o merecimento de cada um, até mesmo nos casos em que o jogo se fecha como “simples” reflexo…
HORA MARCADA:
Sim! Os atendimentos com hora marcada, como é com as mandalas, radiestesia, reiki e tarô são cobrados, obviamente. Esses NÃO SÃO atendimentos religiosos espirituais, portanto não são caritativos. São trabalhos que envolvem muitos elementos, energia, tempo e estudo, além disso, não conquistei nenhuma dessas capacidades de graça, ou seja, não se encaixa naquele ditado “De graça recebestes, de graça dai”.
Especificamente sobre o Tarô, existe nas tradições cigana uma superstição que se jogarmos carta de graça para as pessoas, as cartas mentem, elas fogem da realidade, e ambas as pessoas, tanto quem abriu o jogo como quem recebeu (consulente), acabam um dia se tornando inimigos por não ter havido uma TROCA JUSTA!
Havendo desistências, o valor do atendimento deverá ser cumprido da mesma forma, afinal todos os atendimentos, independente de para quem seja, merecem cuidados específicos antes, durante e depois.
Desistências repetidas, eu cancelo a possibilidade do atendimento definitivamente, obviamente não está havendo merecimento ou permissão para tal. Além disso, a busca por ajuda é razoável e acredito ser antiético bloquearem meu horário para simplesmente não aparecerem ou ficarem desmarcando sem discriminação.
IMPORTANTE: impossível responder perguntas remanescentes ou que foram “esquecidas” no momento do atendimento em um outro momento, ok? Difícil também será eu gravar todas as informações ditas no atendimento e tê-las que relembra-las para sua segurança ou comodidade.
Por fim, me considero uma pessoa de Fé, que pede respeito e que acredita no Poder do que está Além, no PODER DO TRANSCENDENTE!

Meus contatos: 
minhaumbandacarismatica@gmail.com 
whatsApp (11) 99707-8295 

Mãe Mônica CaraccioFOTO MONICA E MARCO

Cuidados que nós precisamos ter no carnaval

Algo místico, humano e Divino!

eazyy






Axééé, hoje trago ‘um assuntão’… Quero compartilhar minhas conclusões e contextualizar algumas relações da vida trazendo mais responsabilidade, leveza e respeito a todos nós. Começo falando sobre a “dualidade das festas”.
Acredito ser interessante abrir esse assunto para que reflitamos sobre nossos valores, atos e sentimentos durante as festas e principalmente neste período de carnaval e quaresma.
Pensem comigo, a festa é uma presença constante e marcante em nossas vidas, é antes de qualquer coisa e acima de tudo um ato coletivo, festejamos quando nos socializamos. Tem realidade e dinâmica própria, é um ato extra-ordinárioextra-temporal e extra-lógico. 
Uma festa propicia uma espécie de ‘parada’ na vida cotidiana, inclusive pede que contemplemos o momento atual e que esqueçamos o mundo real para transformá-lo em um mundo de esperança onde a imaginação fica livre e à vontade. É símbolo de alegria e do amor que, muitas vezes por nossas próprias forças, não conseguimos tornar definitivo ou contínuo. É um cenário de atos, vozes, imagens e símbolos que se integram numa harmoniosa conjunção com o presente e o passado. Aliás, uma verdadeira festa é aquela que celebra a vida, a conquista, que contempla e comemora encontros. É algo místico.
É fato que nas festas se vive o “tempo das emoções intensas”.
Inclusive, em muitas religiões as festas fazem parte do ritual sagrado, pois é através das festas que o ser humano supera o cansaço e a monotonia da vida e se abre à transcendência, é o encontro entre o Ser e o Divino.
O próprio Candomblé é uma religião que, entre tantas atribuições, têm as festas como parte intrínseca, fundamental e Sagrada. É um conjunto de atividades, de atos, danças e músicas sagradas que reúne seus fiéis, muitas vezes por vários dias, como um ciclo próprio, alimentando o espírito e a alma por um longo período.
É tão forte o sentido das festas para o Candomblé que a própria palavra candomblé significa, segundo Eduardo De Lascio em seu livro Candomblé – um caminho para o conhecimento, ‘festa’ ou ‘nome que se dá ao local onde são realizadas’.
Lascio também afirma em seu livro que para a Umbanda o ciclo de festas é composto de inúmeros encontros ordinários, também chamados de giras ou sessões.
E aí vale lembrar a frase de São João Crisóstomo que dizia: ‘Ubi caritas gaudet, ibi est festivitas’ ou seja: onde a caridade irradia a sua alegria, aí temos a festa “.
No entanto, muitas pessoas se aproveitam das festas para fazerem delas momentos de excessos e aí, o frenesi, a orgia, as drogas, o esbanjamento e a destruição tornam-se partes integrantes da essência da festa, vertendo para o negativismo desenfreado.
Inclusive as festas são verdadeiros atos mágicos, portanto extremamente duais. E se pararmos para pensar, muitas vezes as festas geram em nós um intenso sentimento de alegria, mas outras vezes geram um intenso sentimento de tristeza, não é mesmo?
É fato que nas festas nossas emoções são tão evidenciadas, que as pessoas amam e odeiam vigorosamente, festejam e brigam freneticamente e ainda sorriem e choram compulsivamente muitas vezes sem nenhum discernimento.
Temos o exemplo do carnaval que tem como origem na comemoração da alegria, das conquistas, da prosperidade, da fertilidade do solo, momento em que os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses, mas acaba sendo relacionado por muitos como ‘deleite dos prazeres da carne’, marcado pela expressão “carnis valles”, formando a palavra “carnaval” (em grego “carnis” significa carne e “valles” significa prazeres).
Hoje em dia poucos vivenciam o encanto do carnaval, poucos festejam a prosperidade e compreendem o sentido poético, antropológico, cultural e social dessa festa e cada vez mais personagens como colombinas e pierrôs, perdem força e expressão deixando em seus lugares a vulgaridade e a indecência.
Bebidas, drogas e o sexo irresponsável tornam-se parte integrante desse momento que, para nós que conhecemos e entendemos as questões energéticas e espirituais, que conhecemos as Leis da Atração, da Afinidade e da Ação e Reação, é um verdadeiro suicídio espiritual.
Aliás – aqui vem o segundo assunto – não posso deixar de mencionar e afirmar que nesses dias abrem-se intensos e grandiosos portais negativos e espíritos de baixíssimos níveis adentram nossas faixas vibratórias atuando facilmente nos seres encarnados.
São dias delicados e difíceis dentro do contexto espiritual, energético e vibracional, muitas magias negativas se potencializam através das atitudes prazerosas das pessoas – principalmente dos médiuns – ou ainda são ativados exatamente nos momentos mais sórdidos. Portanto, toda vigilância é pouca.
Estar nas giras, fazer delas lindos e fortes momentos de fé e doutrina intima e pessoal é FUNDAMENTAL!!! Não se pode bobear, a energia fica muito densa, avalie-se!
O que quero ressaltar é que, para vivenciarmos somente o lado positivo das festas, precisamos entender que Lévi-Strauss tinha total razão quando afirmava: festa não é somente boa para dela participar, é também boa para pensar, pensar os fundamentos do vínculo coletivo, o que faz sociedade. Enfim, o bom de uma festa é pôr em cena gestos, versos, sabedorias e memórias.
Esta é, sem duvida, uma forma de evocar o próprio mistério do viver e do viver feliz.Junto com todo esse saber e cheios de atitudes, estar nos terreiros também é sem duvida uma atitude inteligente e Divina.
Axééé…
por Mãe Mônica Caraccio

Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade: O umbandista e o carnaval.

Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade: O umbandista e o carnaval.:              O devoto dos Orixás diligente, sabe manter e preservar a vibração de seu Ori, independente de datas festivas sociais e locais ...