domingo, 11 de dezembro de 2011


       Umbanda


Inicio da Umbanda, muitos não conhecem mas foi o Sr.Zélio Fernandino de Moraes quem iniciou a Umbanda no Brasil, ele nasceu no dia 10 de abril de 1891, no distrito de Neves, município de São Gonçalo - Rio de Janeiro.

Aos dezessete anos quando estava se preparando para servir as Forças Armadas através da Marinha aconteceu um fato curioso.


Estávamos no ano de 1908, nessa mesma época, o jovem havia terminado o curso propedêutico(atual ensino médio), contava com quase 17 anos de idade e sofria de um estranho mal á algum tempo.

Ás vezes, sem nenhuma razão aparente, ele começava a falar em línguas estranhas.

Ou então assumia outras personalidades totalmente diversas de sua própria.

Ás vezes se assemelhava a um preto velho, arcado, reumático; outras vezes em uma figura de andar felino, jovem e lépida, e como não podia deixar de ser, este estado anormal logo chamou a atenção de seus familiares.

Principalmente, porque este jovem, seguindo uma tradição familiar, estava se preparando para seguir carreira na marinha, como aluno oficial.

Esse estado foi se agravando e os chamados ataques, se repetindo cada vez mais freqüente.

A família contava, entre outros, com o nome de um medico famoso em sua época, o Dr. Epaminondas de Moraes, diretor do Hospício de Vargem Grande e tio do referido jovem que se chamava Zélio Fernandino de Moraes.

Por isso, sua família não titubeou em envia-lo ao tio.

Este após axamina-lo e observa-lo durante alguns dias, reencaminhou-o á sua família, dizendo que a loucura não se enquadrava em nada do que ele havia conhecido, ponderando a ainda, que o melhor seria encaminha-lo a um padre, pois o garoto mais parecia estar possuído.

Como acontecia com quase todas as famílias importantes da época, também havia na família um padre católico.

E através desse sacerdote foi realizado um exorcismo para livrá-lo daqueles incômodos ataques.

Todavia, nem esse, nem os dois exorcismos realizados posteriormente, inclusive com a participação de outros padres católicos, conseguiram dar a família Moraes o tão desejado sossego, pois as manifestações prosseguiam, apesar de tudo.

Tempos depois Zélio foi acometido por uma estranha paralisia, para o qual os médicos não conseguiram encontrar a cura.

Passado algum tempo, num ato surpreendente Zélio ergueu-se do seu leito e declarou: "Amanhã estarei curado".

No dia seguinte começou a andar como se nada tivesse acontecido.

Nenhum médico soube explicar como se deu a sua recuperação.

Sua mãe, D. Leonor de Moraes, levou Zélio a uma curandeira chamada D. Cândida, figura conhecida na região onde morava e que incorporava o espírito de um preto velho chamado Tio Antônio.

Tio Antônio recebeu o rapaz e fazendo as suas rezas lhe disse que possuía o fenômeno da mediunidade e deveria trabalhar com a caridade.

O Pai de Zélio de Moraes Sr. Joaquim Fernandino Costa, apesar de não freqüentar nenhum centro espírita, já era um adepto do espiritismo, praticante do hábito da leitura de literatura espírita.

No dia 15 de novembro de 1908, por sugestão de um amigo de seu pai, Zélio foi levado a Federação Espírita de Niterói, município vizinho a São Gonçalo, onde residia a família Moraes.

A Federação era então presidida pelo Sr. José de Souza, também militar da marinha.

Estava num daqueles chamados ataques.

Que nada mais eram do que involuntárias incorporações de diferentes espíritos.

Lá chegando, o Sr. José de Souza, médium vidente, interpelou o espírito manifestado no jovem Zélio e houve o seguinte dialogo.

Sr. José de Souza – “Quem é você?”

O espírito - "Sou apenas um caboclo brasileiro"

Sr. José de Souza – “Você se identifica como um caboclo, Por que fala deste modo se está vendo que me dirijo neste momento a um jesuíta e a sua veste branca reflete uma aura de luz?” O Espírito –

“O que você vê em mim, são restos de uma existência anterior”. Fui frade, meu nome era Gabriel Malagrida e fui eu quem previu o terremoto em Lisboa em 1755. Mas em minha ultima existência física.
DEUS concedeu-me o privilegio de nascer como Caboclo Brasileiro.

“Sr. José de Souza – “ E qual é o seu nome?”

O Espírito – ‘"Se É PRECISO QUE EU TENHA UM NOME digam que sou o CABOCLO DAS SETE ENCRU­ZILHADAS, pois não haverá caminhos fecha­dos para mim.

 Venho “trazer a Umbanda, religião que harmonizará as famílias e que perdurará até o final dos séculos” ...

No desenrolar dessa conversa, entre muitas outras perguntas, O Sr. José de Souza teria perguntado se já não bastavam as religiões já existentes, e fez menção ao espiritismo então praticado e foram estas palavras do Caboclo das Setes Encruzilhadas.

O Espírito – “DEUS, em sua infinita misericórdia, estabeleceu na morte o grande nivelamento universal.

Ricos, poderosos ou humildes se tornam iguais na morte, mas vocês homens preconceituosos, não contentes em estabelecer diferenças entre os vivos, procuram levar essas mesmas diferenças até mesmo alem da carreira da morte.

PORQUE NÃO PODEM NOS VISITAR ESSES HUMILDES TRABALHADORES DO ESPAÇO, SE APESAR DE NÃO HAVEREM SIDO PESSOAS IMPORTANTES, TAMBEM TRAZEM IMPORTANTES MENSAGENS DO ALEM? POR QUE O NÃO AOS CABOCLOS E PRETOS VELHOS.

ACASO NÃO FORAM ELES TAMBEM FILHOS DO MESMO DEUS?”
A seguir, fez uma serie de revelações sobre o que estava á espera da humanidade:

- “Este mundo de iniqüidades, mais uma vez será varrido pela dor, pela ambição do homem e pelo desrespeito ás leis de DEUS.

As mulheres perderão a honra e a vergonha.

A vil moeda comprará o caráter e o próprio homem se tornará afeminado.

Uma onda de sangue varrerá a Europa e quando todos acharem que o pior dos horrores já foi atingido, uma outra onda de sangue, muito maior do que a primeira voltará a envolver a humanidade, e um único engenho militar, será capaz de destruir em segundos, milhares de pessoas.

O homem será uma vitima de sua própria maquina de destruição. ”

Não nos esqueçamos que estávamos no ano de 1908 e que nem imaginavam as armas atômicas, e que o meio de transporte mais usado, ainda era o cavalo.

E prosseguindo, ainda ante o Sr. José de Souza, disse também o Caboclo das Setes Encruzilhadas:

O Espírito – “Amanhã, na casa em que meu aparelho mora, haverá uma mesa posta a toda e qualquer entidade que queira se manifestar,independentemente daquilo que haja sido em vida.

Todos serão ouvidos.
Nós aprenderemos com aque­les espíritos que souberem mais, ensi­na­remos os que souberem menos e a nenhum viraremos as costas e nem dire­mos não, pois esta é à vontade do Pai.

" Sr. José de Souza – “Que nome darão a essa casa?”

O Espírito – “Nossa Senhora da Piedade, pois da mesma forma que MARIA ampara nos braços o Filho, a tenda acolherá aos que a ela recorrerem nas horas de aflição!

No dia seguinte, na casa da Família Moraes, o Caboclo se manifesta fundando ali a Tenda Espírita Nossa Senhora da Pie­dade, porque assim como Nossa Senhora aco­lheu Jesus em seus bra­ços, a Umbanda ha­veria de acolher os filhos seus.

Nesse mesmo dia incorporou um preto velho chamado Pai Antônio, aquele que, com fala mansa, foi
confundido como loucura de seu aparelho e com palavras de muita sabedoria e humildade e com timidez aparente, recusava-se a sentar-se junto com os presentes à mesa dizendo as seguintes palavras: "-

Nêgo num senta não meu sinhô, nêgo fica aqui mesmo. Isso é coisa de sinhô branco e nêgo deve arrespeitá",

Após insistência dos presentes fala:"-

Num carece preocupá não.

Nêgo fica no toco que é lugá di nêgo".

Assim, continuou dizendo outras palavras representando a sua humildade.

Uma pessoa na reunião pergunta se ele sentia falta de alguma coisa que tinha deixado na terra e ele responde:

"- Minha caximba.,nêgo qué o pito que deixou no toco.

Manda mureque buscá".

Tal afirmativa deixou os presentes perplexos, os quais estavam presenciando a solicitação do primeiro elemento de trabalho para esta religião.

Foi Pai Antonio também a primeira entidade a solicitar uma guia, até hoje usadas pelos membros da Tenda e carinhosamente chamada de "Guia de Pai Antonio".

No outro dia formou-se verdadeira romaria em frente à casa da família Moraes.

Cegos, paralíticos e médiuns que eram dado como loucos foram curados.

A partir destes fatos fundou-se a Corrente Astral de Umbanda.

Após algum tempo manifestou-se um espírito com o nome de Orixá Malé, este responsável por desmanchar trabalhos de baixa magia, espírito que, quando em demanda era agitado e sábio destruindo as energias maléficas dos que lhe procuravam.

Dez anos depois, em 1918, o Caboclo das Sete Encruzilhadas recebendo ordens do astral fundou sete tendas para a propagação da Umbanda, sendo elas as seguintes:

Tenda Espírita Nossa Senhora da Guia; Tenda Espírita Nossa Senhora da Conceição;
Tenda Espírita Santa Bárbara; Tenda Espírita São Pedro;Tenda Espírita Oxalá;
Tenda Espírita São Jorge; Tenda Espírita São Jerônimo.

As sete linhas que foram ditadas para a formação da

Umbanda são: Oxalá, Iemanjá, Ogum,Iansã, Xangô, Oxossi e Exu.

Enquanto Zélio estava encarnado, foram fundadas mais de 10.000 tendas a partir das acima mencionadas.

Zélio nunca usou como profissão a mediunidade, sempre trabalhou para sustentar sua família e muitas vezes manter os templos que o Caboclo fundou, além das pessoas que se hospedavam em sua casa para os tratamentos espirituais, que segundo o que dizem parecia um albergue.

Nunca aceitara ajuda monetária de ninguém era ordem do seu guia chefe, apesar de inúmeras vezes isto ser oferecido a ele.

O ritual sempre foi simples.

Nunca foi permitido sacrifícios de animais.

Não utilizavam atabaques ou qualquer outros objetos e adereços.

Os atabaques começaram a ser usados com o passar do tempo por algumas das Tendas fundadas pelo
Caboclo das Sete Encruzilhadas, mas a Tenda Nossa Senhora da Piedade não utiliza em seu ritual até hoje.

As guias usadas eram apenas as determinadas pelas entidades que se manifestavam.

A preparação dos médiuns era feita através de banhos de ervas e do ritual do amaci, isto é, a lavagem de cabeça onde os filhos de Umbanda afinizam a ligação com a vibração dos seus guias.

Após 55 anos de atividade, entregou a direção dos trabalhos da Tenda Nossa Senhora da Piedade a suas filhas Zélia e Zilméia.

Mais tarde junto com sua esposa Maria Isabel de Moraes, médium ativa da Tenda e aparelho do Caboclo Roxo fundaram a Cabana de Pai Antonio no distrito de Boca do Mato, município de Cachoeira do Macacú – RJ.

Eles dirigiram os trabalhos enquanto a saúde de Zélio permitiu.

Faleceu aos 84 anos no dia 03 de outubro de 1975.

Durante os seus 67 anos de tra­balho voltado para a Umbanda, Zélio fun­dou dezenas de Tendas e ajudou a fundar centenas delas.

Das tendas fun­dadas por ele, que se mantinham sob seu comando indireto, continua ati­va ainda a Tenda Espírita São Jorge, sob o comando do Sr. Pedro Mi­randa, tam­bém presidente da União Espírita de Umbanda do Brasil, que já se chamou Federação Espírita de Um­banda do Brasil, a primeira Federação da nossa religião fundada em 1939 por orien­tação do Caboclo das Sete encruzilhadas.
Zélio de Moraes era homem de um coração e bondade que pouco se vê, comparado apenas aos grandes Mes­tres Iluminados que já passaram por esta Terra.

Zélio deixou um legado para seus descendentes:

A mais antiga tenda de Umbanda existe e funciona até os dias de hoje na Travessa Zélio de Moraes em Boca do Mato, no município de Ca­choeiras de Macacu, onde funciona tam­bém a Cabana de Pai Antônio.

À frente dos trabalhos hoje está a neta carnal de Zélio de Moraes a Sra. Lygia Cunha. Mãe Zilméia de Moraes Cunha (Mãe carnal de Lygia) se encontra na flor dos seus 93 anos de idade com uma lucidez de
impressionar qualquer pessoa.

Mãe Zilméia é uma senhora de uma grande simpatia e muita simplicidade no modo de viver.

A forma como ex­pressa seus sentimentos a caracterizam como a pessoa mais amorosa que este simples escrevente teve o prazer de conhecer.

Pai Antônio sempre a cha­mou de carnei­rinho, por suas madeixas douradas e seu jeito doce de lidar com as pessoas.

Mãe Zilméia se emociona ao lembrar de tantos anos ao lado de seu Pai na lida espiritual e sempre que relata alguns dos casos e histórias que envolvem sua vida espiritual costuma dizer:

"Não me arre­pendo de nada, fa­ria tudo outra vez;"

"Nasci para ser espírita!"
"Papai sempre dizia..." Não há quem não se sinta ao lado de uma Mãe ou de uma Avó muito querida, quando tem a oportunidade de trocar algumas palavras com esta querida, de todos nós mãe, Zilméia, fi­lha carnal de Zélio de Moraes.



    PORQUE OS MÉDIUNS SOFREM MAIS!

A MEDIUNIDADE, EMBORA SEJA ALGO QUE SE EXERÇA COM HUMILDADE, E A PRÁTICA DA CARIDADE SEM NADA DESEJAR EM TROCA PORQUE A FINALIDADE PRINCIPAL É O RESGATE DAS NOSSAS FALHAS, DAS NOSSAS OMISSÕES EM VIDAS PASSADAS.
POR ISSO, A PREPARAÇÃO QUE SE REQUER DE UM VIVÊNCIA CONTINUA DE ÉTICA, RESPEITO A TUDO E A TODOS, A ISENÇÃO DE VÍCIOS, E A PREPARAÇÃO PARA CADA TRABALHO, REQUER DE CADA MÉDIUM UMA PERSEVERANÇA, UMA FORÇA DE VONTADE, PORQUE NOSSA ALA ESQUERDA ESTÁ SEMPRE NOS CERCANDO QUER COM PREGUIÇAS, QUER COM PENSAMENTOS FORA DA SINTONIA POSITIVA, CRIANDO ATÉ OBSTÁCULOS NO MEIO FAMILIAR PARA QUE ABANDONEMOS NOSSA MISSÃO.
AOS QUE JÁ VIVEM PARA O PRAZER DA CARNE, DOS VÍCIOS, DA GANANCIA, DO RANCOR, DO ÓDIO, DA INTRIGA; ELES NÃO SE PREOCUPAM POR TEREM ESTES EM SUAS REDES.
É PORTANTO NECESSÁRIO QUE O MÉDIUM ESTEJA SEMPRE ATENTO, SEMPRE COM SEU ESPÍRITO EM ASSUNTOS QUE O LEVEM AO CONHECIMENTO DA PAZ DO RESPEITO A NATUREZA E A SEUS SEMELHANTES, QUE JAMAIS PERMITE QUE A VAIDADE ENTRE EM SUA VIDA, FAZENDO O QUE NOSSO MESTRE MAIOR JESUS ( OXALÁ ) NOS ENSINOU:
VIGIAR E ORAR.
A CADA ASSUNTO QUE POSSA NOS CHEGAR QUE NÃO CONDUZA SUA FINALIDADE AO BEM DO PRÓXIMO OU A NÓS, DEVEMOS ABANDONAR PEDINDO AOS NOSSOS FALANGEIROS QUE EXPULSEM ESTES PARA LONGE DE NÓS.
COM TODO CARINHO E AXÉ
CABOCLO SETE ESTRELAS

Festa de Iemanjá Praia Grande 2011

Festa de Iemanjá Praia Grande 2011 devem atrair 30 mil pessoas


A MAIOR FESTA UMBANDISTA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Evento acontece nos dias 3 e 4 e 10 e 11 de dezembro.

Mais de 125 ônibus se cadastraram até o momento, para o primeiro fim-de-semana dos dois dedicados aos festejos de Iemanjá, uma das festas populares mais tradicionais de Praia Grande. Com apoio da prefeitura municipal, no que diz respeito à organização, estrutura e segurança, o evento tem abertura oficial marcada para as 20 horas do dia 4 de dezembro, em frente à estátua de Iemanjá, no Bairro Mirim.Os festejos acontecem em duas etapas: nos dias 3 e 4 e 10 e 11 de dezembro.

“A previsão é que 12 a 15 mil pessoas participem desta primeira etapa, número que deve ser maior no fim de semana seguinte (10 e 11). Só para a segunda etapa do evento já recebemos cadastro de 125 ônibus”, afirma o chefe da seção de Promoção de Eventos da Secretaria de Cultura e Turismo (Sectur).





Para garantir estrutura adequada para o evento, a Prefeitura oferece às entidades religiosas envolvidas todo o equipamento de sonorização necessário para a abertura oficial dos festejos, que deve contar com cânticos religiosos e oferendas. Um palanque também será montado em frente à estátua de Iemanjá, para as apresentações necessárias.



Os ônibus cadastrados desembarcarão seus passageiros na avenida e seguirão para o estacionamento no Espaço Alvorada, Bairro Quietude. Veículos cadastrados para os festejos que forem surpreendidos trafegando vazios pelo Município serão apreendidos.

Para garantir a segurança dos participantes, o Município conta com um efetivo da Polícia Militar e Guarda Civil Municipal. A dica é evitar levar crianças ao evento, mas caso seja inevitável, o ideal é mantê-las com identificação visível, com nome do responsável e telefone de contato.

“A Prefeitura também estará distribuindo pulseirinhas de identificação no local destinado ao posto de informações, nos postos 7 e 9 do Corpo de Bombeiros”, lembra Barbosa.

Menores que se perderem dos pais serão encaminhados à Escola Municipal Oswaldo Justo, na Rua 1º de Janeiro, 987, Bairro Mirim. Ali serão recebidas por atendentes de educação e serventes da Secretaria de Educação (Seduc), que se encarregarão da higienização e alimentação.

Uma área de descanso, com colchões e roupas de cama, será montada no local para que possam repousar. Para retirar as crianças, os responsáveis devem se dirigir ao local com documentos de identificação próprios e dos menores.


A Sectur funciona na área administrativa do Palácio das Artes, na Avenida Presidente Costa e Silva, 1.600, Bairro Boqueirão (em frente à Rotatória A Tribuna).

Outras informações..:: Coordenadoria de Eventos, telefone 3496-5716.

Fonte..:: Prefeitura Praia Grande


LEMBRE-SE QUEM FOR LEVE SACOS PLÁSTICOS PARA RECOLHER SEU LIXO AO FINAL DOS TRABALHOS, NÃO VAMOS POLUIR AS PRAIAS, OUTRA COISA É RETIRAR OS ESPINHOS DAS ROSAS, ASSIM NÃO MACHUCARÁ NINGUÉM, VIDROS QUEBRADOS PODEM FERIR, RETIRE-OS E COLOQUE-OS EM LUGAR SEGURO.
Anjos Guardiães

Os anjos guardiães são embaixadores de Deus, mantendo acesa a chama da fé nos corações e auxiliando os enfraquecidos na luta terrestre.

Quais estrelas formosas, iluminam as noites das almas e atendem-lhes as necessidades com unção e devotamento inigualáveis.

Perseveram ao lado dos seus tutelados em toda circunstância, jamais se impacientando ou os abandonando, mesmo quando eles, em desequilíbrio, vociferam e atiram-se aos despenhadeiros da alucinação.

Vigilantes, utilizam-se de cada ensejo para instruir e educar, orientando com segurança na marcha de ascensão.

Envolvem os pupilos em ternura incomum, mas não anuem com seus erros, admoestando com severidade quando necessário, a fim de lhes criarem hábitos saudáveis e conduta moral correta.

São sábios e evoluídos, encontrando-se em perfeita sintonia com o pensamento divino, que buscam transmitir, de modo que as criaturas se integrem psiquicamente na harmonia geral que vige no Cosmo.

Trabalham infatigavelmente pelo Bem, no qual confiam com absoluta fidelidade, infundindo coragem àqueles que protegem, mantendo a assistência em qualquer circunstância, na glória ou no fracasso, nos momentos de elevação moral e naqueloutros de perturbação e vulgaridade.

Nunca censuram, porque a sua é a missão de edificar as almas no amor, preservando o livre-arbítrio de cada uma, levantando-as após a queda, e permanecendo leais até que alcancem a meta da sua evolução.

Os anjos guardiães são lições vivas de amor, que nunca se cansam, porquanto aplicam milênios do tempo terrestre auxiliando aqueles que lhes são confiados, sem se imporem nem lhes entorpecerem a liberdade de escolha.

Constituem a casta dos Espíritos Nobres que cooperam para o progresso da humanidade e da Terra, trabalhando com afinco para alcançar as metas que anelam.

Cada criatura, no mundo, encontra-se vinculada a um anjo guardião, em quem pode e deve buscar inspiração, auscultando-o e deixando-se por ele conduzir em nome da Consciência Cósmica.

Tem cuidado para que te não afastes psiquicamente do teu anjo guardião.

Ele jamais se aparta do seu protegido, mas este, por presunção ou ignorância, rompe os laços de ligação emocional e mental, debandando da rota libertadora.

Quando erres e experimentes a solidão, refaze o passo e busca-o pelo pensamento em oração, partindo de imediato para a ação edificante.

Quando alcances as cumeadas do êxito, recorda-o, feliz com o teu sucesso, no entanto preservando-te do orgulho, dos perigos das facilidades terrestres.

Na enfermidade, procura ouvi-lo interiormente sugerindo-te bom ânimo e equilíbrio.

Na saúde, mantém o intercâmbio, canalizando tuas forças para as atividades enobrecedoras.

Muitas vezes sentirás a tentação de desvairar, mudando de rumo. Mantém-te atento e supera a maléfica inspiração.

O teu anjo guardião não poderá impedir que os Espíritos perturbadores se acerquem de ti, especialmente se atraídos pelos teus pensamentos e atos, em razão do teu passado, ou invejando as tuas realizações... Todavia te induzirão ao amor, a fim de que te eleves e os ajudes, afastando-os do mal em que se comprazem.

O teu anjo guardião é o teu mestre e amigo mais próximo.

Imana-te a ele.

Entre eles, os anjos guardiães e Deus, encontra-se Jesus, o Guia perfeito da humanidade.

Medita nas Suas lições e busca seguir-Lhe as diretrizes, a fim de que o teu anjo guardião te conduza ao aprisco que Jesus levará ao Pai Amoroso.



Autor: Joanna de Ângelis

Apenas uma gota…

Axé pessoal! Passamos pelo dia 15 de novembro, dia em que se comemora a oficialização da Umbanda que aconteceu em 1908 com a Tenda Nossa Senhora da Piedade. Sei que eventos aconteceram, festejos específicos e giras especiais ocorreram, mas gostaria que aproveitássemos esse período para também refletir sobre a Umbanda e as palavras daquele que, como muitos conhecem, corajosamente transformou o movimento espírita e espiritual da época refletindo até os dias atuais com a Umbanda mais perto de nós manifestando todas suas funções, doutrina e missão.
Falo das palavras ditas pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas que, ao ser questionado por José de Souza, membro da Federação Espírita do Estado do Rio de Janeiro, explica a razão de ser, a função de existir e o porquê da Umbanda ao manifestar-se pela primeira vez no médium Zélio Fernandino de Moraes, um jovem de apenas 17 anos.
Falo das sábias e inspiradoras palavras ditas por aquele que até hoje luta e trabalha pela estruturação da Umbanda, pela boa conduta espiritual e pela moral religiosa – o generoso Caboclo das Sete Encruzilhadas.
Falo das palavras transcritas abaixo, que penso, devem ser lidas com atenção para que se perceba a grandiosidade de cada frase e, consequentemente, da Umbanda:
Deus, em sua infinita bondade, estabeleceu na morte, o grande nivelador universal, rico ou pobre, poderoso ou humilde, todos tornam-se iguais na morte, mas vocês homens preconceituosos, não contentes em estabelecer diferenças entre os vivos, procuram levar estas mesmas diferenças até mesmo além da barreira da morte.
Por que não podem nos visitar estes humildes trabalhadores do espaço, se apesar de não haverem sido pessoas importantes na Terra, também trazem importantes mensagens do além?
Porque o não aos caboclos e pretos-velhos? Acaso não foram eles também filhos do mesmo Deus?
…Amanhã, na casa onde meu aparelho mora, haverá uma mesa posta a toda e qualquer entidade que queira ou precise se manifestar, independente daquilo que haja sido em vida, todos serão ouvidos, nós aprenderemos com aqueles espíritos que souberem mais e ensinaremos aqueles que souberem menos e a nenhum viraremos as costas a nenhum diremos não, pois esta é à vontade do Pai.
Inspirador, não?!!! Inspirador saber que essas frases formam o prisma de nossa religião Umbanda que tem a função de irradiar igualdade, respeito, humildade e a capacidade de ensinar, aprender e compartilhar.
Inspirador pensar que o Caboclo, há mais de cem anos atrás, já fazia seu discurso contra o preconceito com essa bela reflexão social e já afirmava a importância do falar, do ouvir e de se comunicar para o bem estar emocional. Ações que vemos hoje em todos os terreiros de Umbanda quando os consulentes expressam suas dores, desejos e necessidades diante daquele “simples” Preto-velho, “corajoso” Caboclo ou “irreverente” Exu.
Inspirador pensar que na Umbanda todos podem “entrar”, que todos são recebidos, todos são atendidos diante de seus merecimentos, independente do que são ou do que foram. Um belíssimo aprendizado sobre Amor, Compaixão e Esperança, um grandioso exemplo para todos nós umbandistas, não é mesmo?
É, são palavras tão intensas que deveriam estar registradas no íntimo de todos nós, umbandistas ou não umbandistas, afinal é um clamor de Paz, uma súplica por Humildade e um brado pela Igualdade. São palavras que deveriam ser lembradas a cada abertura de gira, a cada bater cabeça e a cada reza.
Palavras ditas por quem sabe o que é Umbanda, por quem sabe qual é caminho, por quem sabe o que é coragem, persistência e Fé, ditas há 103 anos por um índio, caboclo e espírito que garante: Não existirão caminhos fechados para mim, sou o Caboclo das Sete Encruzilhadas e venho trazer a“Umbanda”  uma religião que harmonizará as famílias e que há de perdurar até o final dos séculos.
Que possamos, todos nós umbandistas, não apenas festejar, comemorar ou girar em comemoração à Umbanda, mas refletir sobre o que é Umbanda e toda sua capacidade espiritual, social, humana, emocional e moral.
Que possamos compreender nossa responsabilidade em “colocar” a Umbanda no seu devido lugar, que possamos compreender que precisamos “levar” à Umbanda a sua “verdadeira essência”, que possamos compreender que precisamos fazer mais por aquela que tanto faz por nós, a Umbanda.
Com essa esperança latejando meu coração, lembro de um pedido feito pelo Caboclo “Se vocês derem uma gota do oceano de bênçãos que recebem, se vocês derem apenas uma gota para a Umbanda, eu já ficarei feliz”.
Enfim, que possamos honrar o Pai, o Chefe, o Corajoso, Amoroso e Generoso Caboclo das Sete encruzilhadas que transformou nossa história, que transforma nossa vida, que nos acolhe como seus falangeiros e que ainda, diante de tanta imperfeição e maldade, diz: “Obrigado meu filho, muito obrigado!”
Conselhos Simples



Utilize as horas com moderação, realizando cada tarefa por sua vez, sem interrupção.

Trabalho continuado - rendimento vultuoso.


Modifique, sem mais tardança, o conceito negativo a respeito de quem você conheceu num momento infeliz.


A opinião má que se renova contribui para a sementeira da fraternidade.


Antes que os labores diurnos o surpreendam, realize no leito a comunhão com o Senhor, através da meditação.


O homem mantém a comunicação com o Pai Celeste pelos invisíveis fios do pensamento.


Resguarde-se da enfermidade, cultivando a higiene mental.

Mente asseada - corpo equilibrado.


Recolha, em cada dificuldade, a mensagem oculta de advertência para a vida.


Obstáculo vencido - aprendizagem inesquecível.


Acomode-se ao temperamento alheio, vencendo as imposições do instinto, quando a serviço do auxílio.


Quem relaciona dificuldades não dispõe de tempo para ajudar.


Receba o intrujão com delicadeza, expondo-lhe a verdade sem arrogância deliberada.


Todo usurpador se transforma em algoz de si mesmo.


Precavenha-se da agressão do ódio, pelo exercício do amor.

A constância no bem imuniza o homem contra o contágio das misérias morais.


Aceite o sofrimento como fenômeno natural da experiência evolutiva.

A enfibratura moral consolida-se no fragor das batalhas diárias.


Repare a terra submissa e boa, sulcada pelo arado para a dádiva do pão.

Aprenda com ela a lição da humildade e deixe que o Agricultor Compassivo transforme sua vida num seminário de amor para o bem de todos.



Autor: Marco Prisco

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Festa de Iemanja Praia Grande 2011

Festa de Iemanjá Praia Grande 2011

Festa de Iemanjá Praia Grande 2011 devem atrair 30 mil pessoas


A MAIOR FESTA UMBANDISTA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Evento acontece nos dias 3 e 4 e 10 e 11 de dezembro.

Mais de 125 ônibus se cadastraram até o momento, para o primeiro fim-de-semana dos dois dedicados aos festejos de Iemanjá, uma das festas populares mais tradicionais de Praia Grande. Com apoio da prefeitura municipal, no que diz respeito à organização, estrutura e segurança, o evento tem abertura oficial marcada para as 20 horas do dia 4 de dezembro, em frente à estátua de Iemanjá, no Bairro Mirim.Os festejos acontecem em duas etapas: nos dias 3 e 4  e 10 e 11 de dezembro.

“A previsão é que 12 a 15 mil pessoas participem desta primeira etapa, número que deve ser maior no fim de semana seguinte (10 e 11). Só para a segunda etapa do evento já recebemos cadastro de 125 ônibus”, afirma o chefe da seção de Promoção de Eventos da Secretaria de Cultura e Turismo (Sectur).





Para garantir estrutura adequada para o evento, a Prefeitura oferece às entidades religiosas envolvidas todo o equipamento de sonorização necessário para a abertura oficial dos festejos, que deve contar com cânticos religiosos e oferendas. Um palanque também será montado em frente à estátua de Iemanjá, para as apresentações necessárias.



Os ônibus cadastrados desembarcarão seus passageiros na avenida e seguirão para o estacionamento no Espaço Alvorada, Bairro Quietude. Veículos cadastrados para os festejos que forem surpreendidos trafegando vazios pelo Município serão apreendidos.

Para garantir a segurança dos participantes, o Município conta com um efetivo da Polícia Militar e Guarda Civil Municipal. A dica é evitar levar crianças ao evento, mas caso seja inevitável, o ideal é mantê-las com identificação visível, com nome do responsável e telefone de contato.

“A Prefeitura também estará distribuindo pulseirinhas de identificação no local destinado ao posto de informações, nos postos 7 e 9 do Corpo de Bombeiros”, lembra Barbosa.

Menores que se perderem dos pais serão encaminhados à Escola Municipal Oswaldo Justo, na Rua 1º de Janeiro, 987, Bairro Mirim. Ali serão recebidas por atendentes de educação e serventes da Secretaria de Educação (Seduc), que se encarregarão da higienização e alimentação.

Uma área de descanso, com colchões e roupas de cama, será montada no local para que possam repousar. Para retirar as crianças, os responsáveis devem se dirigir ao local com documentos de identificação próprios e dos menores.


A Sectur funciona na área administrativa do Palácio das Artes, na Avenida Presidente Costa e Silva, 1.600, Bairro Boqueirão (em frente à Rotatória A Tribuna).

Outras informações..:: Coordenadoria de Eventos, telefone 3496-5716.

Fonte..:: Prefeitura Praia Grande


LEMBRE-SE QUEM FOR LEVE SACOS PLÁSTICOS PARA RECOLHER SEU LIXO AO FINAL DOS TRABALHOS, NÃO VAMOS POLUIR AS PRAIAS, OUTRA COISA É RETIRAR OS ESPINHOS DAS ROSAS, ASSIM NÃO MACHUCARÁ NINGUÉM, VIDROS QUEBRADOS PODEM FERIR, RETIRE-OS E COLOQUE-OS EM LUGAR SEGURO.



Que a Divina Luz esteja entre nós
Emidio de Ogum