domingo, 14 de fevereiro de 2016

                       
                As Flores na Fitoterapia Brasileira

Famosa flor originária da Ásia , pertence à família das papaveráceas . As flores , de grande formato , apresentam-se isoladas dos ramos, possuindo pétalas grandes, de cor vermelho-escarlate, freqüentemente com uma mancha negra na base. As pétalas das flores devem ser coletadas às primeiras horas da manhã, após sair o sol e quando as flores estão bem abertas. As pétalas acalmam a tosse. Propriedades levemente narcóticas fazem da papoula um elemento muito importante em grande número de receitas de plantas medicinais. Dela se extrai o ópio, produto de grande valor e que ocupa lugar de destaque na farmacologia. O ópio não é propriamente um alcaloide da papoula, mas composto por vários deles, como a morfina, a epinefrina, a tebaína, a meconina, a sodeína, a papaverina e a narcotina, aos quais o ópio deve seu alto poder narcótico. A papoula foi conhecida nos tempos mais remotos, teve muito prestígio entre os médicos da Grécia antiga, onde se afirmava que Hipnos, o deus do sono, a estimava muito e por isso apresentava-se sempre com frutos da planta na mão. A Fertilidade, a Noite e a Morte, entidades mitológicas da antiga Grécia, ostentavam sempre coroas confecciona-das com papoulas. Existem muitas variedades de papoulas destacando-se a papoula branca, a papoula do oriente ou dormideira, a papoula vermelha dos campos ou dormideira silvestre. Na medicina popular brasileira, o chá das folhas é usado como hipnótico, sendo empregado nas vertigens, insônias, exacerbação nervosa, acessos de tosse, dores, nevralgias, asma e outros.

Rosa
Da família das rosáceas, o chá das pétalas é indicado na falta de regras (mas não é abortivo), nos distúrbios menstruais em geral e na hemorragia uterina. É útil também no tratamento das inflamações dos olhos, vertigens, dores de cabeça, dor de garganta, amígdalas inflamadas. A famosa água de rosas alivia o calor, a congestão do sangue e acalma as superfícies inflamadas. As pétalas frescas da rosa podem ser amassadas no mel e usadas para dor de garganta ou dores na boca. A rosa pode ser preparada fervendo-se as pétalas frescas e condensando o seu vapor em outra vasilha.. O xarope feito com rosas vermelhas facilita a concepção. A água destilada das flores é boa para os fluxos venéreos anormais, sendo menstruais em caso de leucorreia.

Sabugueiro
Esta planta da família das caprifoliáceas foi trazida para o Brasil, procedente da Europa. Na extremidade dos ramos formam-se grandes ramalhetes ou cachos de flores brancas, que exalam um suave aroma, porém não totalmente agradável. As flores são coletadas na primavera e devem ser colocadas para secar à sombra e em local ventilado. Na medicina doméstica e popular, o chá das folhas e/ou das flores do sabugueiro é famoso pela sua ação sudorífica, sendo muito indicado nas viroses infantis, para promover a exteriorização mais rápida dos sinais ou para fazer surgir uma condição incubada. É também empregado contra as gripes, tosses, bronquites, defluxos e, principalmente, para debelar a escarlatina. A decocção das flores é também útil nas hemorroidas, em banhos mornos locais. O óleo tirado das suas sementes é bom contra a gota e as queimaduras (em aplicações locais para ambos os casos). O visco (parasita) que nasce perto da flor do sabugueiro era usado pela medicina alquímica antiga contra a epilepsia. No Brasil é uma tradição na medicina doméstica a indicação do popular chá de sabugueiro para combater o sarampo.

Saudade
Flor da família das Dipsáceas e originária da Ásia. É usada desde a antiguidade para a confecção de coroas e palmas para funerais, daí o seu nome.São flores miúdas representadas por pétalas. Uma flor é na verdade um agrupamento de pequeninas flores. No Brasil estas flores são usadas na medicina doméstica e popular para a preparação de um xarope contra as tosses, bronquites e outros males do aparelho respiratório. O chá das flores é considerado bom depurativo do sangue.

Tília
É uma árvore da família das tiliáceas. As flores, muito perfumadas, nascem ao lado do pecíolo da folha e são de cor esbranquiçada, devendo ser coletadas quando acabam de abrir-se, em dia seco e de sol. As flores constituem um dos melhores sudoríficos e antiespasmódicos do reino vegetal. Sua principal virtude é a de acalmar a excitação nervosa e proporcionar um sono tranqüilo aos que sofrem de insônia. As flores também são tônicas, digestivas, expectorastes e diuréticas.

Violeta

Existem mais de cem espécies de violetas; pertencem à família das violáceas, sendo a mais comum e famosa a violeta odorata. Esta possui dois tipos de cores diferentes: a violeta propriamente dita, que é a mais comum, e a branca. Há também um tipo de violeta de cor amarela, não tão graciosa, conhecida como goivo amarelo, cujo chá é utilizado contra a apoplexia.A violeta tradicional tem o caule frágil, e numerosas folhas cordiformes, serrilhadas; as flores nascem nas extremidades de pedúnculos, têm cor violeta intensa e são delicadamente aromáticas — exalam um aroma suavíssimo. As pétalas das flores são coletadas no princípio da primavera. Esta é uma planta que se presta a expressivas interpretações e interessantes lendas. Simboliza a simplicidade, a castidade, a austeridade e a virgindade.Na medicina natural, as flores em forma de chá têm ação emoliente e diaforética. Empregam-se contra o sarampo, tosses, bronquites, dores de garganta, artritismo, conjuntivite, olhos lacrimejantes, e outros casos.

Nenhum comentário:

Cantar pontos em casa.